Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona – Boas ondas na quarta-feira em La Libertad – Assistam aos vídeos!

Publicado por AdrenaNews 0

Depois de 03 dias de espera, a quarta-feira foram de boas ondas de 3-4 pés no 1º dia de disputas pelo Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona. Acessem aos links abaixo com os vídeos dos melhores momentos.

La Libertad, El Salvador. Foto: Thiago Diz – World Surf League

ASSISTAM AOS VÍDEOS, CLICANDO NOS PLAYERS ABAIXO:

Highlights Day 1 Surf City El Salvador Pro:

Top 5 Moments Day 1 – El Salvador Pro:

TRANSMISSÃO AO VIVO: O Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona será transmitido ao vivo das direitas de Punta Roca. O fuso horário de El Salvador é de 3 horas a menos do Brasil. O prazo vai até o dia 20 para ser encerrada em El Salvador. O evento está sendo transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL  pelo Globoplay e SporTV. Para os fãs do Brasil, a transmissão pelo YouTube é interrompida quando começarem as quartas de final e continuam apenas pelo canal SporTV e WorldSurfLeague.com,

04 Brazucas venceram suas baterias da primeira fase nas direitas de Punta Roca, em La Libertad. Gabriel Medina e Yago Dora estrearam com os recordes do dia e Filipe Toledo e Caio Ibelli também passaram direto para as oitavas de final. Os outros quatro vão disputar a repescagem.

Caio Ibelli em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

O Surf City El Salvador Pro tem até a próxima segunda-feira para ser encerrado e três dias depois começa o prazo do Oi Rio Pro apresentado pela Corona em Saquarema, que vai até 30 de junho na Capital Nacional do Surf da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. A etapa brasileira do CT vai abrir a reta final da batalha pelas vagas para a decisão dos títulos mundiais da temporada no Rip Curl WSL Finals em Trestles. Depois do Brasil, restam as etapas da África do Sul e do Taiti, para definir os top-5 e as top-5 do ranking.

Saquarema, Rio de Janeiro, Brazil. Foto: Thiago Diz – World Surf League

A competição masculina começou bem para a esquadra brazuca da WSL. O catarinense Yago Dora mais uma vez, substituindo o contundido Seth Moniz, do Havaí, como no Quiksilver Pro G-Land. Yago arriscou um aéreo reverse invertido incrível de frontside, voou muito alto e conseguiu completar a manobra, aterrissando com segurança. Os juízes deram nota 9,00, a maior do dia, para ele superar o australiano Ethan Ewing por 14,27 a 14,00 pontos, com o sul-africano Jordy Smith ficando em último com 10,73.

Yago Dora em ação . Foto: Thiago Diz – World Surf League

“Esse aéreo foi a melhor manobra que eu fiz desde a minha lesão no ano passado (risos)”, disse Yago Dora. “Estou muito feliz por acertar um aéreo como aquele. É uma sensação incrível e eu já estava nas nuvens, mesmo que não vencesse a bateria. Quando você se machuca, não sabe se vai conseguir fazer o mesmo que antes, então acertar uma manobra dessa num campeonato é fantástico. Eu ainda não estava tão confiante para arriscar os aéreos nos treinos, mas aquela onda pediu isso e até a aterrissagem foi bem suave, então foi tudo perfeito”.

Samuel Pupo foi o segundo brazuca a estrear terminando em último no confronto vencido pelo atual vice-líder do CT 2022, o australiano Jack Robinson.

Samuel Pupo em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

LYCRA AMARELA: A segunda vitória brasileira foi conquistada pelo vice-campeão mundial Filipe Toledo, que está competindo com a lycra amarela de número 1 do ranking pela terceira etapa seguida. Ele também usou os aéreos para derrotar o norte-americano Nat Young e Bryan Perez, de El Salvador, por 13,83 pontos.

Filipe Toledo em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

“Foi uma viagem longa desde G-Land. Dormi só uma noite em casa (na Califórnia) e já voltei para o aeroporto para vir para cá. Tem sido bastante cansativo, mas faz parte do jogo e estou me sentindo super bem aqui”, disse Filipe Toledo. “Essa onda tem umas características parecidas com Jeffreys Bay. A diferença é a água quente e o calor, mas tem várias seções e é importante saber os pontos certos para soltar as manobras. É uma onda superdivertida e estou feliz por ter vencido minha primeira bateria aqui”.

Logo após a estreia vitoriosa de Filipe Toledo, o campeão mundial e medalha de ouro nas Olimpíadas, Italo Ferreira, foi mandado para a repescagem por uma pequena diferença de 11,84 a 11,17 pontos para o australiano Jackson Baker.

Italo Ferreira em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

As duas baterias seguintes foram vencidas por brasileiros. Caio Ibelli derrotou os norte-americanos Griffin Colapinto e Jake Marshall, enquanto o tricampeão mundial Gabriel Medina fez o maior placar da primeira fase, 14,50 pontos, contra Jadson André e o australiano Callum Robson.

Gabriel Medina em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

“Eu consegui pegar muitas ondas na bateria, mas a onda é meio difícil de surfar”, disse Gabriel Medina. “Estou feliz com a vitória e espero que as condições melhorem. Eu já vim para cá algumas vezes e gosto bastante daqui, das pessoas, da comida deliciosa e das ondas. Tenho passado bastante tempo com os brasileiros, com o Filipe (Toledo), o Jadson (André), então isso tem me deixado bem descontraído. Quero conseguir outro bom resultado aqui, mas sem pressão. Meu objetivo é chegar nos top-5 e vou ficar bem feliz se conseguir”.

REPESCAGEM: Enquanto Filipe Toledo, Gabriel Medina, Caio Ibelli e Yago Dora, já estão nas oitavas de final do Surf City El Salvador Pro, a outra metade da seleção brasileira vai tentar aproveitar a segunda chance de classificação na repescagem. Os dois conterrâneos do Rio Grande do Norte serão os primeiros a competir. Jadson André está na segunda bateria com o australiano Callum Robson e Italo Ferreira na terceira com Joshua Burke, de Barbados.

Jadson Andre em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

Depois, tem os irmãos Pupo disputando as últimas vagas para as oitavas de final. Miguel Pupo, entra na penúltima bateria com o norte-americano Jake Marshall e o Samuel fecha a repescagem com o australiano Connor O`Leary. Quem perder agora, termina em 17.o lugar na primeira etapa do WSL Championship Tour em El Salvador, marcando apenas 1.330 pontos no ranking. E quem passar para as oitavas de final, já aumenta essa pontuação para 3.320.

Miguel Pupo em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

FEMININO: Pelo Feminino A brasileira Tatiana Weston-Webb estreou no primeiro confronto do dia e terminou em último lugar contra a norte-americana Lakey Peterson e a havaiana Gabriela Bryan. Depois, Tatiana competiu na bateria que fechou a quarta-feira e decidia a última classificação para as quartas de final do Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

A australiana Sally Fitzgibbons marcou a maior média da primeira fase (12.87), derrotando a francesa, Johanne Defay e sua compatriota Stephanie Gilmore, se classificando direto para as quartas de final.

Sally Fitzgibbons em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

A brasileira novamente não achou boas ondas para mostrar o seu surfe, enquanto a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore conseguiu a sua maior nota na temporada e das mulheres nas direitas de Punta Roca, 8,73. Com ela, eliminou Tatiana Weston-Webb por 14,40 a 9,13 pontos.

Stephanie Gilmore em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

RESULTADOS DA QUARTA-FEIRA EM EL SALVADOR:

CATEGORIA MASCULINA – 1.o=Oitavas de Final / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Yago Dora (BRA)=14.27, 2-Ethan Ewing (AUS)=14.00, 3-Jordy Smith (AFR)=10.73
2.a: 1-Kanoa Igarashi (JPN)=10.70, 2-Connor O´Leary (AUS)=10.03, 3-Carlos Munoz (CRI)=3.27
3.a: 1-Jack Robinson (AUS)=12.67, 2-Joshua Burke (BRB)=10.00, 3-Samuel Pupo (BRA)=9.93
4.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=13.83, 2-Nat Young (EUA)=10.66, 3-Bryan Perez (SLV)=8.96
5.a: 1-Jackson Baker (AUS)=11.84, 2-Italo Ferreira (BRA)=11.17, 3-Kolohe Andino (EUA)=9.50
6.a: 1-Caio Ibelli (BRA)=12.00, 2-Jake Marshall (EUA)=10.33, 3-Griffin Colapinto (EUA)=9.60
7.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=14.50, 2-Jadson André (BRA)=10.86, 3-Callum Robson (AUS)=4.37
8.a: 1-Barron Mamiya (HAV)=13.50, 2-Miguel Pupo (BRA)=11.93, 3-Matthew McGillivray (AFR)=10.94

CATEGORIA FEMININA – 1.a=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: 1-Lakey Peterson (EUA)=12.16, 2-Gabriela Bryan (HAV)=10.27, 3-Tatiana Weston-Webb (BRA)=7.57
2.a: 1-Courtney Conlogue (EUA)=11.13, 2-Carissa Moore (HAV)=10.50, 3-Tia Blanco (EUA)=8.67
3.a: 1-Isabella Nichols (AUS)=11.53, 2-Caroline Marks (EUA)=9.17, 3-Brisa Hennessy (CRI)=7.44
4.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=12.87, 2-Johanne Defay (FRA)=8.50, 3-Stephanie Gilmore (AUS)=8.34

SEGUNDA FASE – Derrota=9.o lugar com US$ 13.500 e 2.610 pontos:

1.a: Carissa Moore (HAV) 15,66 x 7,84 Tia Blanco (EUA)
2.a: Johanne Defay (FRA) 13,26 x 10,47 Gabriela Bryan (HAV)
3.a: Caroline Marks (EUA) 13,30 x 10,44 Brisa Hennessy (CRI)
4.a: Stephanie Gilmore (AUS) 14,40 x 9,13 Tatiana Weston-Webb (BRA)

PRÓXIMAS BATERIAS DO SURF CITY EL SALVADOR PRO:

SEGUNDA FASE – Derrota=17.o lugar com US$ 12.125 e 1.330 pontos:

1.a: Ethan Ewing (AUS) x Bryan Perez (SLV)
2.a: Callum Robson (AUS) x Jadson André (BRA)
3.a: Italo Ferreira (BRA) x Joshua Burke (BRB)
4.a: Kolohe Andino (EUA) x Matthew McGillivray (AFR)
5.a: Griffin Colapinto (EUA) x Carlos Munoz (CRI)
6.a: Jordy Smith (AFR) x Nat Young (EUA)
7.a: Miguel Pupo (BRA) x Jake Marshall (EUA)
8.a: Connor O´Leary (AUS) x Samuel Pupo (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:

1.a: Johanne Defay (FRA) x Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: Lakey Peterson (EUA) x Courtney Conlogue (EUA)
3.a: Carissa Moore (HAV) x Caroline Marks (EUA)
4.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Isabella Nichols (AUS)

Covid-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona, sétima etapa do WSL Championship Tour está sendo realizado com patrocínio da Surf City, Corona, El Salvador Tourism, SHISEIDO, Pura Vida, Red Bull, Oakley, Hydro Flask e Expedia.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League (WSL)

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas