Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona – 03 brazucas, estão nas semifinais desta sexta-feira – Assistam aos vídeos!

Publicado por AdrenaNews 0

Maratona de baterias nas ondas de 4-6 pés de quinta-feira no point break de Punta Roca. 03 brazucas, estão nas semifinais do Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona. Acessem aos links abaixo com os vídeos dos melhores momentos.

La Libertad, El Salvador. Foto: Thiago Diz – World Surf League

ASSISTAM AOS VÍDEOS, CLICANDO NOS PLAYERS ABAIXO:

Highlights Day 2 Surf City El Salvador Pro:

Top 5 Moments Day 2 – El Salvador Pro:

TRANSMISSÃO AO VIVO: O Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona, deve ser encerrado nesta sexta-feira. A primeira chamada para as semifinais foi anunciada para as 7h45 em El Salvador, 10h45 no Brasil, está sendo transmitido ao vivo das direitas de Punta Roca. O fuso horário de El Salvador é de 3 horas a menos do Brasil. O evento está sendo transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL  pelo Globoplay e SporTV. Para os fãs do Brasil, a transmissão pelo YouTube é interrompida quando começarem as quartas de final e continuam apenas pelo canal SporTV e WorldSurfLeague.com,

O tricampeão mundial Gabriel Medina pode garantir uma decisão verde-amarela, se passar pelo norte-americano Griffin Colapinto na primeira bateria. A outra vaga na grande final será disputada pelo vice-campeão mundial e líder do ranking 2022, Filipe Toledo, e o campeão olímpico Italo Ferreira.

Gabriel Medina em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

“É sempre bom ganhar, mas essa bateria foi bem lenta de ondas”, disse Gabriel Medina, sobre o confronto com Jack Robinson pelas quartas de final. “O Jack é um surfista muito bom e melhorou muito. É incrível ver a evolução dessa galera mais nova. Ele ganhou de mim em G-Land, então foi bom dar o troco aqui. Esse é o objetivo sempre, por isso é tão divertido competir. Para mim, está sendo ótimo surfar sem pressão e espero fazer a final aqui amanhã”.

A quinta-feira, começou com a segunda fase pela repescagem onde foi utilizado o sistema “overlapping heats”, com duas baterias sendo disputadas simultaneamente na segunda fase pela repescagem, dos quatro brazucas que competiram Jadson André foi o primeiro a competir mas não conseguiu encontrar boas sendo eliminado pelo australiano, Callum Robson. Na seguinte Italo superou o local Joshua Burke. Já pela sétima e oitava baterias os irmãos Pupo foram foram eliminados em baterias de poucas ondas. Miguel e Samuel foram derrotado por Jake Marshall e Connor O´Leary, respectivamente.

Jadson André em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

O tricampeão mundial Gabriel Medina venceu a primeira bateria brasileira das oitavas de final, com o também paulista Caio Ibelli, que não encontrou boas ondas terminando na nona colocação embolsando 13.500 dolares e 3.320 pontos no ranking.

Caio Ibelli em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

A outra bateria brasileira das oitavas de final foi entre Yago Dora e Filipe Toledo, que confirmou o primeiro lugar no ranking com a classificação para as quartas de final e a lycra amarela para competir no Oi Rio Pro apresentado pela Corona em Saquarema, que começa na próxima quinta-feira na Capital Nacional do Surf da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Filipe vai tentar o tricampeonato consecutivo na etapa brasileira do WSL Championship Tour, pois venceu as duas últimas edições, em 2018 e em 2019. Na ultima bateria das oitavas, Italo Ferreira usou a tática correta surfando o maior numero de ondas derrotando o australiano, Connor O´Leary.

Yago Dora em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

FEMININO: Pela categoria feminina. A francesa Johanne Defay passou pela australiana Sally Fitzgibbons e Lakey Peterson ganhou o duelo norte-americano Courtney Conlogue. Depois, a californiana Caroline Marks, que está voltando a competir depois da contusão sofrida no ano passado, barrou a número 1 do ranking, Carissa Moore. Ela já havia eliminado a vice-líder, Brisa Hennessy, da Costa Rica, na repescagem.

Johanne Defay em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

Depois de passar pela pentacampeã mundial, Carissa Moore, o próximo desafio de Caroline Marks será contra a heptacampeã, Stephanie Gilmore, que venceu o confronto australiano com Isabella Nichols. Caroline e Stephanie vão disputar a segunda vaga para a grande final do Surf City El Salvador Pro. A briga pela primeira será entre Lakey Peterson e Johanne Defay , que assume a liderança do ranking caso seja campeã em El Salvador.

Carissa Moore em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

Logo após as quartas de final femininas, foram iniciadas as masculinas, fechando a quinta-feira de 24 baterias realizadas nas direitas de Punta Roca. Gabriel Medina foi o primeiro a se classificar para as semifinais, vingando a derrota sofrida para o australiano Jack Robinson nas semifinais do Quiksilver Pro G-Land na Indonésia.

Jack Robinson em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

Depois de passar por Yago Dora nas oitavas, Filipe Toledo despachou o australiano Callum Robson com um dos maiores placares do dia. Ele totalizou 16,67 pontos com as notas 8,50 e 8,17 das primeiras ondas que surfou na bateria. Este confronto foi uma reedição da vitória de Filipe Toledo no Rip Curl Pro Bells Beach deste ano na Austrália. O resultado se repetiu, com o brasileiro avançando para as semifinais pela quarta vez nas sete etapas desta temporada.

Filipe Toledo em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

“Foi uma bateria incrível, com boas ondas e eu estava bem confiante”, disse Filipe Toledo. “Eu fiz a final contra o Callum (Robson) em Bells Beach, então já sabia que ia precisar ter duas notas boas no início. Certamente, este tem sido o melhor ano da minha carreira e estou bem feliz com meus resultados. Estou me sentindo em sintonia com as ondas aqui de Punta Roca, meu equipamento também está muito bom, então estou pronto e preparado para a próxima”.

E a próxima será contra o campeão mundial de 2019 e medalha de ouro nas Olimpíadas, Italo Ferreira. Os dois já se enfrentaram em 12 baterias no CT e Filipe tem vantagem, ganhando 7 delas. A última foi também na semifinal do MEO Pro Portugal em Supertubos esse ano. O potiguar fechou a quinta-feira fazendo sua melhor apresentação nas direitas de Punta Roca. Foi outro confronto direto entre Brasil e Austrália e Italo teve que mostrar o seu surfe, para somar 8,80 e 8,67 na vitória por 17,47 a 16,10 pontos do Ethan Ewing.

Italo Ferreira em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

“Foi um dia muito longo e estou bem cansado”, disse Italo Ferreira. “Eu cheguei aqui umas 5h30 da manhã para treinar e surfei mais três baterias durante o dia, então foi bem cansativo. Mas, agora só faltam duas para chegar no topo do pódio e vai ser irado, comigo e o Gabriel e o Filipe no dia das finais. Espero que dê boas ondas amanhã e obrigado a todos pela torcida”.

VAGAS NOS TOP-5: A bateria entre Italo Ferreira e Ethan Ewing foi uma batalha direta por vaga no grupo dos top-5, que vai disputar o título mundial da temporada no Rip Curl WSL Finals, em setembro em Trestles, na Califórnia. O potiguar de Baía Formosa estava em sexto lugar no ranking, logo abaixo do australiano. Agora, Italo subiu para a terceira posição e Ethan desceu para a sétima. O outro que entrou no grupo dos top-5 em El Salvador foi Griffin Colapinto, tirando o contundido John John Florence da lista.

Ethan Ewing em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

Os três que permaneceram foram Filipe Toledo, que segue firme na frente e vai vestir a lycra amarela de número 1 da World Surf League pela quarta etapa seguida no Oi Rio Pro apresentado pela Corona em Saquarema, o australiano Jack Robinson na vice-liderança e o japonês Kanoa Igarashi, que caiu do quarto para o quinto lugar.

Kanoa Igarashi em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

VAGAS NOS TOP-5: Na categoria feminina, a brasileira Tatiana Weston-Webb não passou nenhuma bateria em Punta Roca e despencou da quinta para a nona posição no ranking das sete etapas completadas em El Salvador. A australiana Tyler Wright, que não foi competir no Surf City El Salvador Pro, também saiu do grupo das top-5.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Pat Nolan – World Surf League

As duas que entraram na zona de classificação para o Rip Curl WSL Finals, foram a americana Lakey Peterson e a australiana Stephanie Gilmore, que no momento ocupam a quarta e quinta colocações, respectivamente. A havaiana Carissa Moore continua na frente, mas pode perder a lycra amarela se Johanne Defay vencer esta etapa. A francesa já tirou a vice-liderança de Brisa Hennessy, que caiu para o terceiro lugar.

Stephanie Gilmore em ação. Foto: Thiago Diz – World Surf League

SEMIFINAIS DO SURF CITY EL SALVADOR PRO:

CATEGORIA MASCULINA – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:

1.a: Gabriel Medina (BRA) x Griffin Colapinto (EUA)
2.a: Filipe Toledo (BRA) x Italo Ferreira (BRA)

CATEGORIA FEMININA – 3.o lugar com US$ 40.000 e 6.085 pontos:

1.a: Johanne Defay (FRA) x Lakey Peterson (EUA)
2.a: Caroline Marks (EUA) x Stephanie Gilmore (AUS)

RESULTADOS DA QUINTA-FEIRA EM EL SALVADOR:

SEGUNDA FASE – Derrota=17.o lugar com US$ 12.125 e 1.330 pontos:

1.a: Ethan Ewing (AUS) 12,00 x 8,26 Bryan Perez (SLV)
2.a: Callum Robson (AUS) 12,00 x 9,20 Jadson André (BRA)
3.a: Italo Ferreira (BRA) 13,20 x 8,83 Joshua Burke (BRB)
4.a: Matthew McGillivray (AFR) 12,87 x 11,20 Kolohe Andino (EUA)
5.a: Griffin Colapinto (EUA) 13,84 x 8,90 Carlos Munoz (CRI)
6.a: Jordy Smith (AFR) 14,44 x 10,87 Nat Young (EUA)
7.a: Jake Marshall (EUA) 9,26 x 8,20 Miguel Pupo (BRA)
8.a: Connor O´Leary (AUS) 12,63 x 12,53 Samuel Pupo (BRA)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 13.500 e 3.320 pontos:

1.a: Jack Robinson (AUS) 17,76 x 15,17 Jackson Baker (AUS)
2.a: Gabriel Medina (BRA) 16,00 x 11,23 Caio Ibelli (BRA)
3.a: Kanoa Igarashi (JPN) 10,73 x 7,10 Jake Marshall (EUA)
4.a: Griffin Colapinto (EUA) 13,67 x 10,83 Jordy Smith (AFR)
5.a: Filipe Toledo (BRA) 14,66 x 11,33 Yago Dora (BRA)
6.a: Callum Robson (AUS) 11,83 x 8,30 Barron Mamiya (HAV)
7.a: Ethan Ewing (AUS) 15,27 x 12,94 Matthew McGillivray (AFR)
8.a: Italo Ferreira (BRA) 14,73 x 13,43 Connor O´Leary (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:

1.a: Gabriel Medina (BRA) 12,50 x 6,50 Jack Robinson (AUS)
2.a: Griffin Colapinto (EUA) 17,60 x 16,20 Kanoa Igarashi (JPN)
3.a: Filipe Toledo (BRA) 16,67 x 10,57 Callum Robson (AUS)
4.a: Italo Ferreira (BRA) 17,47 x 16,10 Ethan Ewing (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:

1.a: Johanne Defay (FRA) 15,60 x 11,00 Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: Lakey Peterson (EUA) 12,77 x 12,43 Courtney Conlogue (EUA)
3.a: Caroline Marks (EUA) 14,03 x 11,56 Carissa Moore (HAV)
4.a: Stephanie Gilmore (AUS) 16,20 x 12,66 Isabella Nichols (AUS)

Covid-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona, sétima etapa do WSL Championship Tour está sendo realizado com patrocínio da Surf City, Corona, El Salvador Tourism, SHISEIDO, Pura Vida, Red Bull, Oakley, Hydro Flask e Expedia.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League (WSL)

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas