STU National 2022 – Luiz Francisco e Raicca Ventura são os campeões do Park em Criciúma

Publicado por AdrenaNews 0

As duas semanas da nata do skate brasileiro em Criciúma se encerraram neste domingo, com a final da modalidade Park da primeira etapa do STU National, que abriu o calendário 2022. E quem subiu ao lugar mais alto do pódio no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi foram Luiz Francisco, o Luizinho, e Raicca Ventura.

Luiz Francisco em ação. Foto: Júlio Detefon – Divulgação STU

Um show de voos e manobras, no masculino e no feminino, mesmo sob um forte calor de 37 graus durante as finais, com sensação térmica de 41º. A primeira final foi a masculina. Depois de ter sido muito festejado, ainda na borda do bowl, por todos os skatistas, Luizinho fez questão de se isolar por um momento para ligar para sua mãe – conhecida como Bidu – para narrar seu feito. Segundo ele, ela não costuma acompanhar os filhos (André Mariano, que ficou em sétimo, é o outro) por superstição, porque Luizinho costuma ficar nervoso com a presença dela nas competições. Mas diz que está tentando mudar isso.

Em relação à conquista, revelou uma questão que tem o incomodado. Das quatro voltas de 40 segundos a que cada um tem direito na final, valendo sempre a melhor delas, Luizinho, quarto lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, só conseguiu acertar a volta do título na sua terceira tentativa, com a nota 77,33.

“Eu tenho tomado decisões muito erradas nos campeonatos pósolimpíada. Onde eu sabia que iria ganhar se acertasse, acabava indo para o tudo ou nada antes de garantir algo. Então, como tomei essas decisões erradas nos últimos, aqui fiquei um pouco nervoso. Pensei: vou garantir uma volta e, na última, vou para o tudo ou nada, fico bem na fita e pego um pódio, sei lá… Mas só fui acertar mesmo na terceira volta e, com o que fiz, deu pra ganhar”, relatou.

Pódio Masculino. Foto: Júlio Detefon – Divulgação STU

Outro que levou a torcida à loucura com seu carisma e descontração foi Augusto Akio, o “Japinha”, que garantiu o segundo lugar com uma nota 75,00. Antes de cada volta, ele pegava umas bolinhas coloridas e fazia malabares, ganhando a atenção e o apoio da galera antes mesmo de descer a pista.

“Isso também faz parte da minha concentração, porque, quando estou feliz, ando de skate mais descontraído, é o skate verdadeiro, sem pressão, sem cobrança. É o fazer só por gostar de fazer”, disse ele. “As coisas aconteceram, a pista estava muito boa, fiquei muito feliz com minha colocação, que coincidiu de ser a mesma do ano passado. Consegui fazer uma linha com tudo o que eu queria. Então, só tenho a agradecer”, concluiu Augusto Akio o “Japinha”, que também foi segundo lugar na etapa de Criciúma em 2021.

Em terceiro lugar ficou o catarinense Pedro Carvalho, natural de Florianópolis, com a nota 72,00. E por ser um dos representantes do Estado de Santa Catarina na competição, levou a torcida ao delírio quando resolveu andar a sua última volta com a camisa do Criciúma.

“Ontem, quando terminou a semifinal, um local aqui de Criciúma me deu a camisa do time e pediu para eu colocar ela, que a torcida iria junto comigo. Daí fiz as três primeiras voltas com a camisa do patrocinador e, na última, vesti a do Criciúma para dar uma moral pra galera e devolver toda receptividade que tive aqui”, “Treinei a semana inteira e estou muito feliz pelo resultado e por ter conseguido colocar uma das minhas melhores manobras na volta. Foi irado, a galera toda quebrou e a torcida pôde ver uma final emocionante.”contou, Pedro Carvalho

Já no feminino, o fim de semana todo em Criciúma foi dominado pela paulista Raicca Ventura, de apenas 14 anos. Mas ela também passou por um grande susto e teve que se superar. Nas semifinais de sábado (22/01), chegou a cair e a bater com a cabeça na pista, numa volta de aquecimento. Teve uma amnésia instantânea, além de ter fraturado um osso no pulso. Mas, ainda assim, garantiu a melhor volta para a final. Sua presença, porém, chegou a ser dada como incerta ao ser levada para o hospital, onde fez uma tomografia.

Raicca Ventura em ação. Foto: Júlio Detefon – Divulgação STU

“Quando cheguei na ambulância, não lembrava de nada. Fiquei perguntando para o meu pai se eu tinha conseguido correr, se eu tinha passado para a final. Falava para a minha mãe: eu caí igual a uma bosta?! Não estava entendendo nada, não me lembrava da queda. Mais para o fim do dia, já estava sem dor nenhuma, com muita vontade de andar de novo e preocupada se iria disputar a final. Graças a Deus, deu tudo certo”, relatou.

“Foi muito difícil pra gente. Além de torcer, você tem que cuidar, acalmar, um misto de tudo, mas, no fim, deu tudo certo. Deus falou: vamos colocar uma proteção a mais nessa menina e ela vai que vai para essa final. Ela vem trabalhando muito forte faz tempo para conseguir esses resultados. Quem está aí na torcida por nós e acompanha sabe que nunca foi fácil. Legal o reconhecimento que ela vem tendo. Que venham mais competições”, desabafou a mãe, Camila.

Quanto à conquista, Raicca comentou que jamais perdeu as forças e a esperança de que estaria na final para mostrar o que sabe. Mas admitiu que o seu treinador foi fundamental para que abrisse 2022 com o título.

“Voltei aqui hoje com a intenção de dar o meu máximo novamente, estava muito a fim de correr. Independentemente se estivesse com dor ou com o braço todo quebrado, eu faria o meu melhor porque eu queria muito. Fiz uma linha bem completa, mas com a ajuda do meu treinador, porque a volta não estava tão boa, ele conseguiu me ajudar bastante e minha nota subiu bem”, disse Raicca, campeã com a nota 51,73. As catarinenses Isadora Pacheco (48,67) e Érica Leguizamon (46,50) completaram o pódio.

Pódio Feminino. Foto: Júlio Detefon – Divulgação STU

Sábado de muito calor e fortes emoções:

Com velocidade, voos altos, muita técnica, manobras precisas e disputas acirradas, foi assim o sábado nas semifinais da etapa de Criciúma (SC) do STU National, no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi. Pelo Masculino Luiz Francisco, o Luizinho, quarto lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, garantiu a melhor volta (nota 75,23) e avançou em primeiro para a final da modalidade Park.

Luiz Francisco em ação. Foto: Pablo Vaz – Divulgação STU

“Guardei boa parte das coisas para a final. Hoje, fiz só o que eu tenho muita segurança. Sabia que, pelas duas primeiras voltas, já tinha feito o suficiente para passar e, agora, vou com tudo para esse domingo. E para você ver como o skateboarding é tão subjetivo: o Quintas, que esteve na Olimpíada, acabou errando e não está na final. A nova geração, com Minhoca (André Mariano), Gui, Kalani, Pedrinho, passou entre os oito. O skate é uma parada muito doida. Quando não é seu dia, não tem jeito. Mas quando é…”, avaliou Luizinho.

Um desses prodígios da nova geração de skatistas citado por Luizinho é o paranaense Gui Khury, o mais novo da turma, de apenas 13 anos, que levou o público à loucura com seu carisma. E ele praticamente se garantiu na final logo na primeira volta, a melhor das três a que cada um tem direito. Com a nota 66,37, acabou avançando em sétimo.

Gui Khury em ação. Foto: Pablo Vaz – Divulgação STU

“Na real, acertei tudo que eu queria e vamos para essa final. Terminei em sétimo, mas o que mais importava hoje era terminar entre os oito. Estou muito ansioso. Tenho mais algumas manobras especiais pra amanhã, algumas bordinhas, mais um flip, mais um 540º… Nunca participei de um campeonato de Park tão grande como esse e estou muito feliz por estar em Criciúma. É um prazer estar aqui”, disse Gui Khury.

O catarinense Mateus Guerreiro, um dos que correm em casa, avançou com a segunda melhor nota (73,00) e o paulistano Murilo Peres, que já tinha passado das eliminatórias de sexta-feira com a melhor nota, terminou em terceiro (70,00). Lembrando que, na final, cada um dos oito skatistas tem quatro voltas, valendo a melhor delas.

Pelo feminino a jovem skatista paulista Raicca Ventura, de apenas 14 anos, viveu sentimentos antagônicos neste sábado (22/01), no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi. A felicidade por avançar em primeiro lugar para a final da modalidade Park da etapa de Criciúma (SC) do STU National, com a maior das notas das semifinais (48,00), se transformou em apreensão ao cair e bater com a cabeça no chão, tendo que ser levada para o hospital, onde foi submetida a uma tomografia. Na queda, chegou a ter uma amnésia instantânea. Sua presença na final ficou incerta.

Raicca Ventura em ação. Foto: Thiago da Luz – Divulgação STU

“A atleta Raicca, ao sofrer uma queda após colisão com a atleta Dora, foi imobilizada e transportada para o posto médico. Após avaliação médica, foram constatados sinais de concussão cerebral com amnésia retrógrada de memória recente. Decidi por transporte em UTI móvel com médico para diagnóstico de imagem em rede hospitalar”, explicou o doutor Carlos Wahle, coordenador médico do evento.

Raicca garantiu a maior das notas justamente na sua primeira volta – cada skatista tem direito a três, valendo a melhor delas. Entre a segunda e a terceira volta, ao atravessar o bowl, praticamente um aquecimento, acabou se chocando com Dora Varella de forma infortuna. Mesmo sem realizar sua última volta, acabou em primeiro. Yndiara Asp passou para a final com a segunda melhor nota (42,67), com Isadora Pacheco em terceiro (41,03).

“Realmente, teve essa infelicidade da Raicca, mas ela está bem. Sem falar que andou muito. Quanto ao meu desempenho, fiquei feliz de ter acertado a minha primeira volta, uma volta de segurança para me garantir logo na final. Gostei, ela me deu uma boa colocação e passei em segundo para a final. As meninas mandaram muito bem nas duas baterias, uma puxando a outra, e amanhã é dia de jogar todas as manobras e espero acertar minha melhor linha. Fiz uma volta mais simples hoje e guardei algumas manobras para jogar na final”, disse Yndiara.

RESULTADO FINAL – PARK MASCULINO:

1 – Luiz Francisco – 77,33
2 – Augusto Akio – 75,00
3 – Pedro Carvalho – 72,00
4 – Kalani Konig – 71,33
5 – Gui Khury – 70,00
6 – Murilo Peres – 66,00
7 – André Mariano – 56,00
8 – Mateus Guerreiro – 16,33

RESULTADO FINAL – PARK FEMININO:

1 – Raicca Ventura – 51,73
2 – Isadora Pacheco – 48,67
3 – Érica Leguizamon – 46,50
4 – Dora Varella – 46,23
5 – Yndiara Asp – 44,00
6 – Victoria Bassi – 42,07
7 – Emily Antunes – 39,33
8 – Letícia Gonçalves – 28,50

Siga as nossas redes:

Instagram: @skatetotalurbe
TikTok: @skatetotalurbe

Confira mais informações:

Acesse: https://www.skatetotalurbe.com.br/ 

O STU segue na proposta de investir no esporte como forma de contribuir para as mudanças sociais. Nesta empreitada, conta com parceria do Banco BV, que apresenta os eventos da Plataforma STU. A etapa foi viabilizada pela Prefeitura Municipal de Criciúma, através da Fundação Municipal de Esportes de Criciúma e contou com patrocínio da Monster Energy e parceria da New Era, Layback e Drop Dead, homologada pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk) com a idealização e realização da Rio de Negócios.

Reportagem: Erich Onida – SMG Brasil

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72