Roxy apresenta Maui Pro 2020 – Próxima chamada nesta segunda-feira as 6h30 no Havaí e as 13h30 aqui no Brasil.

Publicado por AdrenaNews 0

O primeiro dos dois swells de noroeste previstos, não apareceram em Honolua Bay, então o domingo foi mais um dia de folga no Havaí. Próxima chamada será nesta segunda-feira as 6h30 no Havaí e as 13h30 no Brasil.

Os troféus do Maui Pro apresentado pela Roxy. Foto: Keoki Saguibo – WSL

Mas, a expectativa é grande para o Maui Pro apresentado pela Roxy dar a largada na disputa do título mundial feminino nesta segunda-feira. A primeira chamada do dia foi até antecipada em 01 hora para a abertura da etapa do World Surf League Championship Tour 2021 que tem o prazo até o dia 15 para ser encerrada.

Line Up de Honulua Bay em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

Apesar das ondas não estarem boas ainda para iniciar o Maui Pro apresentado pela Roxy, algumas das melhores surfistas do mundo entraram no mar para treinar na tarde do domingo em Honolua Bay. Foi o terceiro adiamento consecutivo e a expectativa das atletas só aumenta. A temporada 2020 do WSL Championship Tour precisou ser cancelada pelo perigo da pandemia do Covid-19 e a última vez que elas se enfrentaram foi quase 1 ano atrás.

“Hoje (domingo) foi um pouco complicado. Estávamos esperando esse swell entrar, mas infelizmente isso não aconteceu, então tivemos que anunciar mais um day-off”, disse Jessy Miley-Dyer, vice-presidente de circuitos e competições da WSL. “Esperamos que o segundo swell entre aqui em Honolua Bay e até marcamos a chamada mais cedo amanhã (segunda-feira), às 6h30 (13h30 no Brasil), para tentar fazer o máximo de baterias. A expectativa é de fazer duas ou três fases amanhã, dependendo da condição do swell”.

Diferente da maioria dos esportes profissionais, que são realizados com horários programados para acontecer, no surfe é necessário se ajustar ao que as condições meteorológicas oferecem. Essa incerteza pode ser um desafio à mais para quem participa do Circuito Mundial da World Surf League, pois precisam estar preparados para competir a cada dia da janela dos eventos. Em Maui, as dezessete concorrentes ao título aguardam ansiosas para iniciar a temporada.

200 BATERIAS NO CT – A única brasileira que vai brigar pelo título mundial em 2021 é a gaúcha Tatiana Weston-Webb, que mora na ilha de Maui desde criança. Ela entrou na divisão principal do Circuito Mundial em 2015 e a próxima bateria, contra as norte-americanas Courtney Conlogue e Sage Erickson, será a de número 200 da sua carreira na elite do esporte.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Cait Miers – WSL

Ela já ficou em quarto lugar no ranking final da temporada duas vezes, em 2016 e 2018, enfrentando 26 surfistas diferentes nas 54 etapas que participou nestes 5 anos. Decidiu o título em sete delas e na segunda festejou sua primeira e até agora única vitória, no Vans US Open of Surfing de 2016, derrotando a havaiana Malia Manuel na grande final.

Na etapa de Maui, que vem fechando a temporada desde 2014, Tatiana foi semifinalista no ano passado e chegou nas quartas de final nos dois primeiros anos na elite das top-17 da World Surf League. Em 2016 e em 2019, foi barrada pela mesma bicampeã mundial Tyler Wright, que tem 11 vitórias nas 17 baterias disputadas contra a brasileira em etapas do CT. A história da gaúcha vai continuar sendo escrita agora no Maui Pro apresentado pela Roxy.

“Acho que isso é apenas uma parte do nosso jogo. Faz parte da nossa profissão”, destaca Tyler Wright, que venceu esta etapa de Maui em 2016 e foi vice-campeã na final australiana de 2019 contra Stephanie Gilmore. “Não sabemos qual dia haverá competição, então temos que ficar ligadas. Eu não sei dizer se isso é mais difícil, porque nunca fiz outra coisa. Eu tento ficar o mais descontraída possível, mas me focar ao máximo uma hora antes de competir”. completou Tyler.

Tyler Wright em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

A australiana conquistou dois títulos mundiais consecutivos no World Surf League Championship Tour em 2016 e 2017. Em 2018, participou das cinco primeiras etapas e só voltou a competir no Maui Pro apresentado pela Roxy que fechou o circuito de 2019. O de 2020 foi cancelado pela pandemia do Covid-19 e ela permanece na elite das 17 melhores do mundo, com a vaga da WSL reservada para as atletas que se contundem durante a temporada. Tyler Wright está escalada na segunda bateria com duas jovens promessas, a vice-campeã mundial de 2019, Caroline Marks, de apenas 18 anos de idade, e a estreante Isabella Nichols, 23 anos.

WSL CT FANTASY – Com a adiamento, os fãs do surfe mundial ganham mais um dia para escalar ou rever seus times no jogo oficial do WSL CT Fantasy, que está apresentando várias novidades este ano. Se você ainda não se cadastrou, registre-se agora para entrar no jogo da temporada 2021 do World Surf League Championship Tour. Veja os novos recursos:

– Escolha equipes combinadas: os circuitos masculino e feminino agora estão integrados em um único jogo e você vai escolher os homens e mulheres para cada evento. A estrutura com as duas categorias simplifica a interface do usuário e oferece mais opções de combinação de surfistas aos jogadores, promovendo confrontos cruzados entre as ligas.

– Mudar atletas durante o evento: a relação dos surfistas não será mais bloqueada no início dos eventos. Você poderá mudar sua equipe até o final da rodada eliminatória.

– Marque mais pontos com seu surfista “power”: você agora vai escolher para cada evento um homem e uma mulher para serem o “power surfer”. Quem for escolhido, irá computar o dobro dos pontos conquistados. Este recurso permitirá que você ganhe vantagem com um surfista específico, oferecendo maior diferença entre equipes com escalações semelhantes.

Os jogadores já podem se registrar agora no fantasy.worldsurfleague.com ou no aplicativo da WSL

COVID-19 – A World Surf League trabalhou em colaboração com especialistas da área médica e dos governos estadual e municipal, para garantir que o Maui Pro apresentado pela Roxy seja seguro para as atletas, funcionários e comunidade local, em relação à proteção do Covid-19. Para evitar aglomerações, haverá controle de público na praia e o evento será realizado como uma produção de filme para a transmissão ao vivo. O protocolo desenvolvido pela WSL e já usado com sucesso nos eventos do WSL Countdown esse ano, terá aplicação de testes Covid-19 nos atletas, seus acompanhantes e funcionários, com verificações diárias de temperatura, medidas de distanciamento social, desinfecção frequente em áreas comuns e com pessoal mínimo no local. Esses padrões foram desenvolvidos com base nas diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS), dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e serão utilizados em todos os eventos da WSL.

O prazo de realização do Maui Pro apresentado pela Roxy começou nesta sexta-feira e vai até o dia 15 de dezembro. A competição será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e no aplicativo da WSL, além da ESPN no Brasil e pelo Spectrum Surf Channel no Havaí.

PRIMEIRA FASE DO MAUI PRO APRESENTADO PELA ROXY:

1.a: Lakey Peterson (EUA), Nikki Van Dijk (AUS), Keely Andrew (AUS)
2.a: Caroline Marks (EUA), Isabella Nichols (AUS), Tyler Wright (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV), Bronte Macaulay (AUS), Bettylou Sakura Johnson (HAV)
4.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Macy Callaghan (AUS)
5.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Johanne Defay (FRA), Brisa Hennessy (CRI)
6.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Courtney Conlogue (EUA), Sage Erickson (EUA)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo. Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA.

A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com.

A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo. Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com

Mais informações sobre eventos regionais – incluindo o CS, QS, Big Wave, Longboard, Pro Junior – estão disponibilizados nas páginas de eventos regionais no WorldSurfLeague.com.

Para obter mais informações, visite: worldsurfleague.com

Reportagem: João Carvalho e Chloe Kojima – World Surf League

Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72