Rip Curl Pro Playa Grande – As principais estrelas passaram pelas suas baterias na Argentina.

Publicado por AdrenaNews 0

As principais estrelas do Rip Curl Pro Playa Grande confirmaram as expectativas e passaram pelas suas primeiras baterias na etapa argentina do World Surf League (WSL) Qualifying Series em Mar del Plata.

Lucas Vicente em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

TRANSMISSÃO AO VIVO: O terceiro dia vai começar, as 8h00, ao vivo de Mar de Plata pelo WorldSurfLeague.com

Na quinta-feira de boas ondas na Playa Grande, foram definidos quais surfistas vão disputar a classificação para as quartas de final do evento que abre a temporada 2022/2023 da WSL Latin America.

Sophia Medina em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

As mulheres estrearam na quinta-feira a primeira bateria formada somente por brasileiras foi vencida pela jovem, Naire Marquez seguida pela atual campeã latina-americana, Sophia Medina.

Naire Marquez em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

As vencedoras das três etapas femininas, das oito edições do Rip Curl Pro Playa Grande, ganharam suas baterias. A equatoriana Dominic Barona foi bicampeã nas duas primeiras, em 2017 e 2018, e detém todos os recordes do evento. Foi ela quem mais vestiu a lycra de competição em Mar del Plata e mais saiu do mar em primeiro lugar, chegando a 13 vitórias em 15 baterias disputadas, incluindo a da quinta-feira. Ela também é recordista de nota – 9,50 – e pontos – 16,75 – nos 3 anos de história.

Dominic Barona em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

“Estou muito feliz em estar aqui novamente e sempre me sinto em casa em Mar del Plata”, disse Mimi Barona. “Estava muito frio de manhã, mas tem boas ondas pra poder surfar e estou contente por me classificar. Temos bastante campeonatos esse ano, na segunda-feira já viajo pro Brasil, depois tem Galápagos no meu país, Chile, então estou feliz em poder desfrutar desta oportunidade. Parabéns por esse evento, que me encanta e vamos com tudo”.

Dominic Barona estreou na sexta bateria do dia e a jovem brasileira Kiany Hyakutake se classificou em segundo lugar, eliminando as argentinas Malena Pessagno e Josefina Ané, que foi finalista no bicampeonato da equatoriana no Rip Curl Pro Playa Grande de 2018. Na sexta-feira, ela já vai enfrentar a defensora do título, Daniella Rosas, além das argentinas Coco Cianciarulo e a experiente Ornella Pellizzari, na terceira batalha por vagas nas quartas de final.

Ornella Pellizzari em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

MELHOR DO DIA: Ornella foi semifinalista em Mar del Plata nos dois últimos anos, em 2018 e em 2019, enquanto Daniella Rosas só participou da última edição e já foi campeã sem perder nenhuma bateria na Playa Grande. E a peruana começou bem a defender seu título, fazendo os recordes femininos do Rip Curl Pro Playa Grande 2022, nota 7,50 e 14,00 pontos. Daniella Rosas está vindo de vitória no Brasil, no LayBack Pro encerrado no domingo e que fechou a temporada 2021/2022 na Praia Mole de Florianópolis.

“Eu estou vindo do Brasil, onde consegui ganhar o evento lá no domingo, então estou superpreparada para competir aqui”, disse Daniella Rosas. “Estou bem confiante e feliz por esta aqui, as ondas estão boas e espero que continuem assim. Eu só vim a Mar del Plata uma vez e pude vencer o evento. Foi incrível, por ter sido minha primeira vitória no QS e me sinto em casa aqui, pois todos falam espanhol, tem boas ondas e espero seguir avançando”.

CABEÇAS DE CHAVE: Depois das oito baterias que iniciaram a categoria feminina, os cabeças de chave do Rip Curl Pro Playa Grande começaram a estrear em Mar del Plata. Eles entraram direto na terceira fase e o argentino Santiago Muniz já fez as marcas a serem batidas no primeiro confronto masculino do dia. Ele é o único surfista da Argentina classificado pelo ranking regional da WSL Latin America para o Challenger Series 2022, circuito que começa em maio na Austrália e vale dez vagas para a elite do World Surf League Championship Tour do ano que vem.

Santiago Muniz em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

Santiago ganhou nota 7,15 na melhor onda que surfou e venceu sua primeira bateria por 14,15 pontos. Ele é irmão mais jovem do ex-top do CT, Alejo Muniz, nasceram em Mar del Plata, mas moram em Santa Catarina desde crianças. Alejo sempre competiu como brasileiro desde o início da sua carreira e Santiago escolheu defender a Argentina no Circuito Mundial. Alejo também passou sua bateria, mas em segundo lugar na disputa vencida por outro catarinense, Lucas Vicente, vice-campeão no QS de Mar del Plata em 2019.

Alejo Muniz em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

“Eu só cheguei ontem (quarta-feira) aqui, porque são dois eventos com datas muito próximas e agradeço a Deus, que me mandou boas ondas na bateria”, disse Santiago Muniz. “Estou contente em volta a Mar del Plata, rever os amigos e, dessa vez, junto com meu irmão (Alejo), que há 10 anos não vinha pra cá. Foi uma boa bateria, eu pude me divertir dentro d´água e somos todos amigos. Competimos juntos há muitos anos, então estou feliz por ter dado o primeiro passo”.

RECORDISTA DO DIA: A nota 7,15 de Santiago Muniz foi superada quatro vezes, mas seus 14,15 pontos só foram igualados por Rodrigo Saldanha. O brasileiro conseguiu nota 8,00 numa direita iniciada por um aéreo, seguido por batidas e rasgadas na onda que abriu até a beira do mar. Antes, na terceira bateria, o argentino Leandro Usuna e o peruano Alonso Correia, tinham recebido notas 7,90 e 7,50, respectivamente. E na sexta, Gabriel André tirou um 7,35.

Alonso Correa em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

“É a minha primeira vez em Mar del Plata e gostei porque tem boas ondas, mas está muito frio e não estou acostumado com isso”, disse Rodrigo Saldanha, de apenas 17 anos de idade, que mora na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP). “A água é bem fria, então tem que ficar remando bastante pra esquentar um pouco. Eu tenho participado de muitos eventos esse ano e estou muito focado, porque quero muito me classificar para o Challenger Series”.

FEITOS HISTÓRICOS: A segunda maior nota do dia ficou sendo a 7,90 do surfista que mais competiu no Rip Curl Pro Playa Grande. O argentino Leandro Usuna disputou sua 22.a bateria em Mar del Plata na quinta-feira e outro feito histórico dele, é o de ser o único não brasileiro a conquistar o título de campeão sul-americano da WSL Latin America, em 2016. Lele Usuna só não conseguiu quebrar a hegemonia verde-amarela de vitórias nos 7 anos desta etapa do QS em sua casa. Chegou perto disso no mesmo ano de 2016, mas perdeu a final para Flavio Nakagima.

Leandro Usuna em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

“Fazia tempo já que não tinha um evento internacional na Argentina, então é muito bom estar em casa, com a família e os amigos de toda a América do Sul”, disse Leandro Usuna. “Estou feliz por ter boas ondas e entrei na água para fazer o meu papel. Acredito que cumpri com meu objetivo. O Alonso (Correa) e os outros competidores são muito bons e sabia que não ia ser fácil. A primeira bateria sempre tem um pouco de pressão, então estou contente por ter achado boas ondas e feliz por ter passado junto com o Alonso, que é um grande amigo”.

Os recordistas de nota da quinta-feira, Leandro Usuna e Rodrigo Saldanha, vão se encontrar na segunda disputa por vagas nas quartas de final do Rip Curl Pro Playa Grande. Outro brasileiro, Leo Casal, e o único chileno classificado, Noel De La Torre, serão seus adversários e somente os dois melhores avançam. Santiago Muniz está na primeira bateria com o peruano Alonso Correa, o brasileiro Ryan Kainalo e o uruguaio Sebastian Olarte.

Na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista, as duas baterias ficaram formadas com um argentino enfrentando três brasileiros, na briga por duas vagas para as quartas de final em cada. Na terceira, é José Gundesen contra Alejo Muniz, Krystian Kymerson e Heitor Mueller. E na última, tem Tomas Lopez Moreno com Lucas Vicente, Marcos Correa e Gabriel André.

Marcos Correa em ação. Foto: Mariano Antúnez – Rip Curl Pro

PRÓXIMAS BATERIAS DO RIP CURL PRO PLAYA GRANDE:

SEGUNDA FASE FEMININA – 1.a e 2.a=Quartas de Final:
———3.a=9.o lugar com 350 pontos e 4.a=13.o lugar com 295 pts

1.a: Yanca Costa (BRA), Karol Ribeiro (BRA), Kalea Gervasi (PER), Naire Marquez (BRA)
2.a: Sophia Medina (BRA), Arena Rodriguez Vargas (PER), Melanie Giunta (PER), Lucia Indurain (ARG)
3.a: Daniella Rosas (PER), Dominic Barona (ECU), Coco Cianciarulo (ARG), Ornella Pellizzari (ARG)
4.a: Summer Macedo (BRA), Taina Hinckel (BRA), Kiany Hyakutake (BRA), Sophia Gonçalves (BRA)

QUARTA FASE MASCULINA – 1.o e 2.o=Quartas de Final:
———3.o=9.o lugar com 350 pontos e 4.o=13.o lugar com 295 pts

1.a: Santiago Muniz (ARG), Alonso Correa (PER), Ryan Kainalo (BRA), Sebastian Olarte (URU)
2.a: Leandro Usuna (ARG), Leo Casal (BRA), Rodrigo Saldanha (BRA), Noel De La Torre (CHL)
3.a: Alejo Muniz (BRA), Krystian Kymerson (BRA), José Gundesen (ARG), Heitor Mueller (BRA)
4.a: Marcos Correa (BRA), Lucas Vicente (BRA), Gabriel André (BRA), Tomas Lopez Moreno (ARG)

RESULTADOS DA QUINTA-FEIRA NA PLAYA GRANDE:

PRIMEIRA FASE – 3.a=17.o lugar (200 pts) e 4.a=25.o lugar (150 pts):

1.a: 1-Naire Marquez (BRA), 2-Sophia Medina (BRA), 3-Pamella Mel (BRA)
2.a: 1-Kalea Gervasi (PER), 2-Melanie Giunta (PER), 3-Lucia Cosoleto (ARG), 4-Lorena Fica (CHL)
3.a: 1-Lucia Indurain (ARG), 2-Yanca Costa (BRA), 3-Isabela Saldanha (BRA), 4-Victoria Muñoz Larreta (ARG)
4.a: 1-Arena Rodriguez Vargas (PER), 2-Karol Ribeiro (BRA), 3-Genesis Garcia (ECU), 4-Catalina Mercere (ARG)
5.a: 1-Daniella Rosas (PER), 2-Sophia Gonçalves (BRA), 3-Jessica Fermino (BRA)
6.a: 1-Dominic Barona (ECU), 2-Kiany Hyakutake (BRA), 3-Josefina Ane (ARG), 4-Malena Pessagno (ARG)
7.a: 1-Taina Hinckel (BRA), 2-Ornella Pellizzari (ARG), 3-Rafaella Montesi (CHL), 4-Sol Aguirre (PER)
8.a: 1-Summer Macedo (BRA), 2-Coco Cianciarulo (ARG), 3-Vera Jarisz (ARG), 4-Estela Lopez (CHL)

TERCEIRA FASE – 3.o=17.o lugar (200 pontos) e 4.o=25.o lugar (150 pts):

1.a: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Noel De La Torre (CHL), 3-Joaquin Muñoz Larreta (ARG), 4-Gustavo Dvorquez (CHL)
2.a: 1-Sebastian Olarte (URU), 2-Leo Casal (BRA), 3-Fernando Junior (BRA), 4-Luan Hanada (BRA)
3.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Alonso Correa (PER), 3-Cauã Costa (BRA), 4-Felipe Oliveira (BRA)
4.a: 1-Rodrigo Saldanha (BRA), 2-Ryan Kainalo (BRA), 3-Alax Soares (BRA), 4-Joaquin Reyes (CHL)
5.a: 1-José Gundesen (ARG), 2-Tomas Lopez Moreno (ARG), 3-Julian Honores (ARG), 4-Vitor Ferreira (BRA)
6.a: 1-Krystian Kymerson (BRA), 2-Gabriel André (BRA), 3-Manuel Selman (CHL), 4-Valentin Neves (BRA)
7.a: 1-Lucas Vicente (BRA), 2-Alejo Muniz (BRA), 3-Roberto Araki (CHL), 4-Daniel Adisaka (BRA)
8.a: 1-Marcos Correa (BRA), 2-Heitor Mueller (BRA), 3-Theo Fresia (BRA), 4-Luan Carvalho (BRA)

TRANSMISSÃO AO VIVO: O terceiro dia vai começar, as 8h00, ao vivo de Mar de Plata pelo WorldSurfLeague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas