Rip Curl Pro Bells Beach – Sexta-feira de Ondas Clássicas em Bells – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

A sexta-feira foi mais um dia de altas ondas em Bells pelo quinto dia de disputas do Rip Curl Pro Bells Beach, quarta etapa do WSL Championship Tour 2022. 03 Brazucas, classificados para as quartas de final. Acessem ao link abaixo com o vídeo dos melhores momentos.

Filipe Toledo em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

ASSISTAM AO VÍDEO COM OS MELHORES MOMENTOS, CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Rip Curl Pro Bells Beach – Highlights Day5:

A primeira chamada para as quartas de final é as 7h00 do sábado na Austrália, 18h00 da sexta-feira no Brasil e o último dia será transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo canal SporTV

Três brasileiros passaram para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach, em mais um dia de praia lotada e show de surfe nas ondas perfeitas de 4-6 pés no Bowl de Bells.

Torcida lotou a praia na sexta-feira. Foto: Beatriz Ryder – World Surf League

Filipe Toledo já tirou a liderança do ranking de Kanoa Igarashi e vai disputar a lycra amarela na reedição da última final desta etapa em 2019, vencida por John John Florence.

John John Florence em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

“Acredito que é essencial fazer duas ou três manobras grandes lá fora, porque depois a onda fica gorda até o inside”, analisou Filipe Toledo. “Eu estou me sentindo bem, minha prancha está mágica e sei que posso chegar nas finais, se eu ficar em sintonia com as séries para pegar as melhores ondas. Me sinto abençoado por estar surfando ondas como essas. A previsão não era muito boa, mas as ondas estão ótimas e temos muita sorte em competir nessas condições”.

Italo Ferreira e Miguel Pupo também seguem na disputa do título e com chances matemáticas nesta briga pela ponta do CT 2022. Na sexta-feira também foram definidas as semifinais femininas. Na primeira semifinal, a bicampeã mundial Tyler Wright, que fez os recordes femininos do dia, nota 9,00 e 17,17 pontos, enfrenta a americana Courtney Conlogue.

Tyler Wrigh em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

Já a líder do ranking, Brisa Hennessy, da Costa Rica, terá um confronto direto pela lycra amarela com a pentacampeã mundial Carissa Moore. Quem vencer a disputa pela segunda vaga na final do Rip Curl Pro Bells Beach, fica com o primeiro lugar no ranking do World Surf League Championship Tour 2022.

Brisa Hennessy em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

Nas oitavas de final masculinas, o melhor da sexta-feira foi o havaiano John John Florence, que atingiu 17,77 pontos com as notas 9,07 e 8,70 que somou na vitória sobre Morgan Cibilic. Foi logo após Filipe Toledo despachar outro australiano, Connor O´Leary, também com mais uma grande apresentação nas direitas de Bells Beach. Filipe fez uma boa escolha de ondas e aproveitou bem as chances que teve, para mostrar suas manobras inovadoras e progressivas. Nas melhores que surfou, recebeu notas 8,43 e 7,83 para vencer por 16,26 a 13,00 pontos.

LIDERANÇA: Filipe Toledo já é o lider do ranking, mas três surfistas ainda têm chances matemáticas nesta briga pela ponta, porém, Italo Ferreira e Miguel Pupo necessitam da vitória para ultrapassar os 19.185 pontos que Filipe garantiu no ranking. Já o havaiano John John Florence precisa chegar na final. Os dois terão um confronto direto no último dia, reeditando na segunda quarta de final, a decisão do último título do Rip Curl Pro Bells Beach disputado em 2019.

Filipe falou sobre defender a lycra amarela de número 1 da World Surf League: “Isso é fantástico, mas tem muita coisa para acontecer ainda e acho que o John John precisa chegar na final pra ficar com ela né. De qualquer maneira, estou numa posição muito boa para o próximo evento, mas um bom resultado aqui vai aumentar minha confiança. Eu adoro o evento de Margaret River, que eu ganhei no ano passado. Estou tranquilo, feliz, então é manter a humildade e seguir em frente”.

Depois das fantásticas apresentações do Filipe Toledo e do John John Florence, o convidado especial do Rip Curl Pro Bells Beach, Mick Fanning, atraiu as atenções e a vibração da torcida que lotou a praia na sexta-feira. O tricampeão mundial dominou toda a bateria, porém, no último minuto, o novato na elite deste ano e também australiano, Callum Robson, conseguiu virar o placar para 14,50 a 14,27 pontos, com uma nota 7,77.

Mick Fanning em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

É a primeira vez que Callum Robson passa para as quartas de final e vai enfrentar o brasileiro Miguel Pupo, que igualmente nunca tinha chegado tão longe nas cinco etapas que disputou em Bells Beach. Miguel usou a verticalidade do seu backside nas batidas executadas nos pontos mais críticos das ondas, para superar o californiano Kolohe Andino pela décima vez nas doze baterias que eles se enfrentaram no CT. Agora, a vitória foi por 14,76 a 10,90 pontos.

Miguel Pupo em ação. Foto: Aaron Hughes – World Surf League

DUELO BRASILEIRO: Depois, Miguel ficou torcendo para o seu irmão mais jovem, Samuel Pupo, no duelo brasileiro com o campeão mundial e medalhista de ouro na estreia do surfe nas Olimpíadas de Tóquio, Italo Ferreira. Foi a última bateria das oitavas de final e os dois fizeram uma disputa de altíssimo nível. O potiguar largou na frente com seu ataque agressivo de backside, variando batidas e rasgadas executadas com muita pressão e velocidade. A nota da sua primeira onda foi 7,83.

Samuel Pupo em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

Samuca respondeu na mesma altura, com grandes manobras e batidas verticais de frontside, que valeram 7,33. Italo depois fez um 5,17 e só surfou mais uma onda, mandando até um tail slide invertendo totalmente a direção da prancha, para somar 7,57 no seu placar de 15,40 pontos. Samuel tentou a vitória até o fim e vibrou bastante ao completar um aéreo na sua melhor onda, mas terminou com 15,13 pontos com a nota 7,80 recebida.

QUARTAS DE FINAL: Com a vitória no primeiro duelo com o estreante na seleção brasileira, Italo Ferreira avançou para enfrentar Jack Robinson na disputa pela última vaga para as semifinais do Rip Curl Pro Bells Beach. Quem passar, pegará o vencedor da bateria de Miguel Pupo contra outro australiano, Callum Robson. Na chave de cima, que vai apontar o primeiro finalista, um confronto 100% australiano abre as quartas de final, entre Owen Wright e Ethan Ewing. Depois, tem a reedição da última final em Bells Beach em 2019, com o defensor do título, John John Florence, agora tentando tirar a liderança do ranking de Filipe Toledo.

Italo Ferreira em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

ÚLTIMO DIA DO RIP CURL PRO BELLS BEACH 2022:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 16.000 e 4.745 pontos:

1.a: Ethan Ewing (AUS) x Owen Wright (AUS)
2.a: Filipe Toledo (BRA) x John John Florence (HAV)
3.a: Miguel Pupo (BRA) x Callum Robson (AUS)
4.a: Italo Ferreira (BRA) x Jack Robinson (AUS)

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 25.000 e 6.085 pontos:

1.a: Tyler Wright (AUS) x Courtney Conlogue (EUA)
2.a: Carissa Moore (HAV) x Brisa Hennessy (CRI)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA EM BELLS BEACH:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 13.000 e 3.320 pontos:

1.a: Owen Wright (AUS) 16,40 x 15,77 Nat Young (EUA)
2.a: Ethan Ewing (AUS) 14,27 x 9,10 Jackson Baker (AUS)
3.a: Filipe Toledo (BRA) 16,26 x 13,00 Connor O´Leary (AUS)
4.a: John John Florence (HAV) 17,77 x 7,83 Morgan Cibilic (AUS)
5.a: Callum Robson (AUS) 14,50 x 14,27 Mick Fanning (AUS)
6.a: Miguel Pupo (BRA) 14,76 x 10,90 Kolohe Andino (EUA)
7.a: Jack Robinson (AUS) 16,04 x 14,53 Imaikalani Devault (HAV)
8.a: Italo Ferreira (BRA) 15,40 x 15,13 Samuel Pupo (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 16.000 e 4.745 pontos:

1.a: Courtney Conlogue (EUA) 14,57 x 11,93 Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: Tyler Wright (AUS) 17,17 x 12,07 Bronte Macaulay (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV) 13,67 x 12,53 Stephanie Gilmore (AUS)
4.a: Brisa Hennessy (CRI) 11,60 x 11,57 Johanne Defay (FRA)

COVID-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19. Os procedimentos incluem triagem pré-evento em conformidade com as diretrizes estaduais e locais, que recomenda o uso de máscara em toda a arena do evento.

TRANSMISSÃO AO VIVO: O prazo desta quarta etapa do World Surf League Championship Tour 2022 vai até o dia 20 na Austrália, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL e pelo canal SporTV

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

O Rip Curl Pro Bells Beach acontece com patrocínio da Rip Curl, Visit Vic, Red Bull, Shiseido, Oakley, Hydro Flask, Expedia, Surf Coast Shire, TAC, Bond University, Harvey Norman, Bonsoy, Boost Mobile, Oakberry, Dometic, Coopers, FCS e Pura Vida.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas