Rip Curl Pro Bells Beach – 03 Brazucas já classificados para o 3º Round – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

Nesta noite de domingo aqui no Brasil, fim da manhã de segunda-feira na Austrália, começou o Rip Curl Pro Bells Beach, quarta etapa do WSL Championship Tour 2022. Os brazucas começaram bem. Acessem ao link abaixo com o vídeo dos melhores momentos.

Samuel Pupo em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

ASSISTAM AO VÍDEO COM OS MELHORES MOMENTOS, CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Rip Curl Pro Bells Beach – Highlights Day 1:

A próxima chamada foi marcada para as 7h00 da terça-feira na Austrália, 18h00 da segunda-feira no Brasil, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo Globoplay.com.

A competição começou na segunda chamada às 11h00 e somente foram realizadas oito das doze baterias da primeira fase. Apenas três brasileiros competiram e todos se classificaram, assim como o peruano Lucca Mesinas. Italo Ferreira e Samuel Pupo estrearam com vitórias, enquanto Filipe Toledo mandou o tricampeão mundial Mick Fanning para a repescagem.

Filipe Toledo em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

Mick Fanning é a grande atração do evento. O australiano divide o recorde de quatro vitórias no Rip Curl Pro Bells Beach com Kelly Slater e Mark Richards. O campeonato mais tradicional do Circuito Mundial, não foi realizado em 2020 e em 2021 por causa da pandemia, mas retorna agora para abrir a decisiva perna australiana para a disputa dos títulos mundiais de 2022. Esta etapa de Bells tem prazo até o dia 20 para ser encerrada e na sequência vem a de Margaret River, que fechará a primeira metade da temporada.

Bells Beach, Victoria, Austrália. Foto: Aaron Hughes – World Surf League

É quando haverá um corte na elite, para o restante do ano. Os 22 primeiros colocados e as 10 melhores da categoria feminina, permanecerão competindo nas outras cinco etapas, buscando terminar entre os top-5 dos rankings, que irão disputar os títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals em Trestles, na Califórnia. Esse grupo dos 22 e das 10, também já estará garantido na elite do CT 2023. Para quem ficar abaixo da linha de corte, o Challenger Series é o caminho para tentar confirmar suas permanências na elite dos top-34 e das top-17 do ano que vem.

Os três brasileiros que estrearam na segunda-feira e o peruano Lucca Mesinas, estão dentro do G-22 no momento. Filipe Toledo ocupa a quarta posição no ranking das três etapas já disputadas no Havaí e em Portugal. O campeão olímpico, Italo Ferreira, está em décimo lugar, enquanto Samuel Pupo e Lucca Mesinas dividem a 18.a colocação com mais três surfistas. Estes cinco estão fechando a zona de classificação para a segunda metade do WSL Tour 2022.

Italo Ferreira foi o primeiro a competir na segunda-feira. Ele entrou na segunda bateria e achou boas direitas nas séries de 3-5 pés do primeiro dia em Bells Beach, para mostrar a força do seu backside nas batidas e rasgadas. Somando notas 6,50 e 6,33, derrotou dois havaianos por 12,83 pontos, contra 10,73 de Ezekiel Lau e 8,46 de Imaikalani Devault, que terá que disputar a repescagem por ter ficado em último na bateria. Foi em Bells Beach, onde Italo Ferreira conquistou a primeira vitória da sua carreira no CT em 2018, ganhando a final que marcou a despedida de Mick Fanning do Circuito Mundial.

Italo Ferreira em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

“Estou bem feliz em estar de volta aqui competindo”, disse Italo Ferreira. “Aquele ano (2018) foi muito especial para mim. O Mick (Fanning) está de volta aí e espero vencer ele na final de novo (risos). Brincadeira, mas é muito legal ver o ‘legend’ de volta competindo. Surfei com ele de manhã e foi bem divertido reencontrá-lo. O evento de Portugal foi bom para mim, queria ter feito a final lá, mas tem que seguir passo a passo. Estou feliz em estar de volta a Austrália e bem animado já para a próxima bateria aqui em Bells”.

Os outros dois brasileiros que já estrearam na segunda-feira, enfrentaram o convidado especial do Rip Curl Pro Bells Beach na quinta bateria do dia. O novato na seleção brasileira deste ano, Samuel Pupo, achou uma boa onda logo no início e fez uma combinação de batidas e rasgadas de frontside que valeram nota 7,50. As séries estavam demorando a entrar e Filipe Toledo só surfou as duas que são computadas, recebendo notas 6,40 e 5,83. Samuca pegou mais quatro e somou 5,73, para vencer por 13,23 a 12,23 pontos do Filipe. Mick Fanning foi em sete ondas, mas errou as manobras, algumas fecharam e só conseguiu 6,73 nas duas melhores.

“Eu estava falando com o meu irmão (Miguel Pupo) antes e a estratégia era ter um início forte, para ganhar confiança na bateria”, disse Samuel Pupo. “Foi isso que fiz e acabei ganhando a bateria. Rolou uma batalha para ter a primeira prioridade (de escolher a onda), mas eu estava na posição certa e estou muito feliz pela vitória”. Samuca também comentou sobre o novo logotipo da Rip Curl na prancha: “É muito lindo, já tá todo mundo da equipe como adesivo novo, uma nova cara para a Rip Curl e espero que todos gostem”.

DESTAQUE DO DIA: Apesar da atração especial ser a participação de Mick Fanning, voltando a competir no palco onde encerrou sua brilhante carreira de três títulos mundiais e quatro vitórias no Rip Curl Pro Bells Beach, o destaque do dia foi Kanoa Igarashi. Ele estreou no confronto seguinte com um fato inédito, sendo o primeiro surfista do Japão a usar a lycra amarela de número 1 da World Surf League. E Kanoa honrou a posição, fazendo os recordes do dia, somando notas 9,07 e 7,17 no placar de 16,24 pontos. O peruano Lucca Mesinas avançou direto para a terceira fase junto com ele, superando o australiano Tully Wylie por 11,17 a 9,36 pontos.

Kanoa Igarashi em ação. Foto: Ed Sloane – World Surf League

“Essa nota 9,07 foi muito boa para mim e estava sentindo falta de Bells, então é muito bom estar de volta a um lugar que eu tanto amo”, disse Kanoa Igarashi. “Eu sofri para surfar bem essa onda nos meus primeiros anos, mas me apaixonei pelo lugar enquanto tentava dominá-la e hoje foi um dia clássico. Vestir a lycra amarela é muito bom, é uma honra usá-la e me sinto orgulhoso por isso. Eu vi todos os meus ídolos competindo com ela, então é a confirmação de que estou fazendo a coisa certa. Mas, é apenas o início do ano e tem muito trabalho a fazer, mas certamente quero ganhar o título mundial esse ano”.

Depois do show do japonês Kanoa Igarashi, só aconteceram mais duas baterias com os cabeças de chave campeões do Rip Curl Pro Bells Beach sendo derrotados. Mas, ambos se classificaram direto para a terceira fase, em segundo lugar nas baterias. O sul-africano Jordy Smith passou junto com o português Frederico Morais e o defensor do título desta etapa, John John Florence, perdeu por pouco para o australiano Jackson Baker, 13,77 a 13,37 pontos. O havaiano foi o último a badalar o sino do troféu da vitória em Bells em 2019, derrotando o hoje vice-campeão mundial Filipe Toledo na final.

PRÓXIMAS BATERIAS: A bateria que ficou para abrir a terça-feira na Austrália, é a segunda das três com participação dupla do Brasil na rodada inicial do Rip Curl Pro Bells Beach. Na primeira do dia, Caio Ibelli e João Chianca enfrentam ao norte-americano Conner Coffin. Na segunda, entra Jadson André com o australiano Jack Robinson e outro americano, Kolohe Andino. E na seguinte, tem Miguel Pupo e Deivid Silva contra mais um surfista dos Estados Unidos, Jake Marshall.

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

01: 1-Callum Robson (AUS)=11.33, 2-Ryan Callinan (AUS)=11.23, 3-Seth Moniz (HAV)=6.73
02: 1-Italo Ferreira (BRA)=12.83, 2-Ezekiel Lau (HAV)=10.73, 3-Imaikalani Devault (HAV)=8.46
03: 1-Owen Wright (AUS)=12.44, 2-Kelly Slater (EUA)=12.04, 3-Nat Young (EUA)=8.37
04: 1-Leonardo Fioravanti (ITA)=13.27, 2-Mikey Wright (AUS)=12.67, 3-Griffin Colapinto (EUA)=11.76
05: 1-Samuel Pupo (BRA)=13.23, 2-Filipe Toledo (BRA)=12.23, 3-Mick Fanning (AUS)=6.73
06: 1-Kanoa Igarashi (JPN)=16.24, 2-Lucca Mesinas (PER)=11.17, 3-Tully Wylie (AUS)=9.36
07: 1-Frederico Morais (PRT)=10.33, 2-Jordy Smith (AFR)=9.67, 3-Matthew McGillivray (AFR)=7.23
08: 1-Jackson Baker (AUS)=13.77, 2-John John Florence (HAV)=13.37, 3-Connor O´Leary (AUS)=9.43

Baterias que vão abrir a terça-feira:

09: Conner Coffin (EUA), Caio Ibelli (BRA), João Chianca (BRA)
10: Kolohe Andino (EUA), Jack Robinson (AUS), Jadson André (BRA)
11: Miguel Pupo (BRA), Jake Marshall (EUA), Deivid Silva (BRA)
12: Barron Mamiya (HAV), Ethan Ewing (AUS), Morgan Cibilic (AUS)

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

1.a: Lakey Peterson (EUA), Gabriela Bryan (HAV), Courtney Conlogue (EUA)
2.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Bronte Macaulay (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV), Isabella Nichols (AUS), Alyssa Spencer (EUA)
4.a: Brisa Hennessy (CRI), Stephanie Gilmore (AUS), Molly Picklum (AUS)
5.a: Johanne Defay (FRA), India Robinson (AUS), Luana Silva (HAV)
6.a: Malia Manuel (HAV), Tyler Wright (AUS), Bettylou Sakura Johnson (HAV)

TOP-22 DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR 2022 – 3 etapas:

1.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 17.290 pontos
2.o- Kelly Slater (EUA) – 14.650
2.o- Barron Mamiya (HAV) – 14.650
4.o- Filipe Toledo (BRA) – 14.440
5.o- Seth Moniz (HAV) – 13.875
6.o- Caio Ibelli (BRA) – 13.500
7.o- Griffin Colapinto (EUA) – 12.660
8.o- John John Florence (HAV) – 12.160
9.o- Jordy Smith (AFR) – 11.385
10.o- Italo Ferreira (BRA) – 10.735
11.o- Miguel Pupo (BRA) – 9.670
12.o- Kolohe Andino (EUA) – 9.395
12.o- Jake Marshall (EUA) – 9.395
14.o- Ethan Ewing (AUS) – 8.745
15.o- Connor O´Leary (AUS) – 7.970
15.o- Callum Robson (AUS) – 7.970
15.o- Nat Young (EUA) – 7.970
18.o- Conner Coffin (EUA) – 7.405
18.o- Jack Robinson (AUS) – 7.405
18.o- Ezekiel Lau (HAV) – 7.405
18.o- Samuel Pupo (BRA) – 7.405
18.o- Lucca Mesinas (PER) – 7.405

Outros sul-americanos:

23.o- João Chianca (BRA) – 5.980 pontos
27.o- Deivid Silva (BRA) – 4.915
27.o- Jadson André (BRA) – 4.915
35.o- Miguel Tudela (PER) – 1.330
39.o- Gabriel Medina (BRA) – 795
39.o- Yago Dora (BRA) – 795

TOP-10 DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR 2022 – 3 etapas:

1.a- Brisa Hennessy (CRI) – 17.355 pontos
2.a- Carissa Moore (HAV) – 16.495
2.a- Lakey Peterson (EUA) – 16.495
4.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 15.220
5.a- Malia Manuel (HAV) – 15.155
6.a- Johanne Defay (FRA) – 14.235
7.a- Tyler Wright (AUS) – 13.440
8.a- India Robinson (AUS) – 12.100
9.a- Gabriela Bryan (HAV) – 11.305
10.a- Moana Jones Wong (HAV) – 11.045

COVID-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19. Os procedimentos incluem triagem pré-evento em conformidade com as diretrizes estaduais e locais, que recomenda o uso de máscara em toda a arena do evento.

TRANSMISSÃO AO VIVO: O prazo desta quarta etapa do World Surf League Championship Tour 2022 vai até o dia 20 na Austrália, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL e com transmissão no Brasil pelo Globoplay, GE.Globo.com e a partir das quartas de final pelos canais Sportv.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

O Rip Curl Pro Bells Beach é patrocinado pela Rip Curl, Visit Vic, Red Bull, Shiseido, Oakley, Hydro Flask, Expedia, Surf Coast Shire, TAC, Bond University, Harvey Norman, Bonsoy, Boost Mobile, Oakberry, Dometic, Coopers, FCS e Pura Vida.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas