Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona – 05 Brazucas nas Quartas de Final.

Publicado por AdrenaNews 75 views0

Dos seis brasileiros que competiram nas ondas de 3-5 pés em Merewether Beach, cinco passaram para as quartas de final do Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona. A primeira chamada para as quartas de final será as 6h45 do sábado na Austrália, 17h45 da sexta-feira no Brasil.

Ítalo Ferreira em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

O bicampeão mundial Gabriel Medina assumiu a liderança no ranking do World Surf League Championship Tour 2021 nesta sexta-feira na Austrália. A única baixa brazuca foi com Yago Dora no duelo brasileiro com Filipe Toledo que fechou as oitavas de final. Medina enfrentará Adriano de Souza na primeira bateria e Ítalo Ferreira terá Deivid Silva na terceira bateria como adversário.

Yago Dora em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

O bicampeão mundial Gabriel Medina assumiu a liderança no ranking do World Surf League Championship Tour 2021 nesta sexta-feira na Austrália. O mar amanheceu com as maiores ondas desde o dia 1.o de abril, quando começou o prazo do evento, com séries pesadas e perigosas de 3-5 pés quebrando em cima das pedras em Merewether Beach na maré cheia. Foi nesta condição que Gabriel Medina enfrentou Frederico Morais na primeira bateria do dia. O português foi o primeiro a pegar uma onda que proporcionou duas manobras fortes e largou na frente com nota 5,50. Medina arriscou grandes manobras nas primeiras ondas, sem completar.

Gabriel Medina em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

Só quando restavam 5 minutos para o término da bateria, o brasileiro achou uma direita mais limpa, para mandar uma batida forte de backside, uma rasgada e a finalização na junção. Os juízes deram nota 4,43 para ele virar o placar para 8,76 a 8,33 pontos. O português tentou dar o troco, mas sua onda fechou. Ele logo pega outra e erra a primeira manobra.

Medina então passou a marcá-lo mais de perto, porém Frederico escapa e pega uma onda. O brasileiro entra na de trás e arrisca tudo com três manobras muito fortes, a última gigantesca com um floater insano para ganhar 8,50, a maior nota recebida por um brasileiro no CT 2021. Com ela, venceu o português por 12,93 a 8,33 pontos e ultrapassou o havaiano John John Florence no ranking com a classificação para as quartas de final.

“Lá fora está bem difícil de fazer uma boa escolha das ondas e me senti um pouco perdido no início. Remei em várias pra conseguir umas notas, mas ele (Frederico Morais) é muito competitivo”, destacou Gabriel Medina. “No final, precisei decidir se ia ou não na onda, aí ele pegou e precisava de pouco pra me vencer. Agradeço a Deus por mandar aquela última onda para mim, que acabou sendo a melhor da bateria. Adoro esse tipo de beach break, então fico feliz pela vitória e estou pronto para as quartas”.

Outro brasileiro campeão mundial, Adriano de Souza, entrou na disputa seguinte com Julian Wilson, que em 2020 ganhou o último evento da World Surf League em Newcastle, válido pelo Qualifying Series. O australiano pegou as primeiras ondas, mas errou as manobras mais fortes. Mineirinho escolhe uma melhor para começar, faz umas manobras no outside e até pega um tubinho rápido, finalizando com um layback animal jogando muita água.

Adriano de Souza em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

Os juízes deram 5,00 para ele liderar a bateria contra duas notas do australiano. Depois Julian passa a frente surfando mais duas ondas que valeram 3,10 e 4,00. Na segunda do brasileiro, ele fez uma rasgada, um reentry e a onda fechou em cima dele. Mesmo assim, recebeu 3,40 e voltou a liderar por 8,40 a 7,10 pontos, obrigando o australiano a tirar sua maior nota, 4,41, para vencer nos 5 minutos finais. Só que não entrou mais nada de ondas e Mineirinho avançou para fazer uma quarta de final brasileira com Gabriel Medina.

Os dois já se enfrentaram em doze baterias nas etapas do CT e Adriano é um dos poucos a ter vantagem sobre o bicampeão mundial, superando Medina em oito confrontos. Depois dessas duas vitórias brasileiras, aconteceram duas baterias 100% australianas. Na primeira, o novato na elite, Morgan Cibilic, que barrou o ex-líder do ranking, John John Florence, na quinta-feira, voltou a brilhar tirando notas 8,5 e 7,5 derrotando seu compatriota, Wade Carmichael. Na segunda bateria das quartas de final, ele vai enfrentar outro local de Newcastle, Ryan Callinan, que derrotou Owen Wright.

Os 16,00 pontos de Morgan Cibilic só foram superados pelo defensor do título mundial, Italo Ferreira. O potiguar deu mais um show nas direitas de Merewether Beach, fazendo a melhor apresentação brasileira na temporada 2021. Ele ganhou a maior nota em um voo muito alto com rotação perfeita e muita amplitude no aéreo que valeu 8,60. O californiano Griffin Colapinto teve que arriscar e chegou a quebrar sua prancha ao meio, enquanto Italo destruía outra boa onda para ganhar 8,33 e totalizar 16,93 pontos, superando os 16,23 do recorde de Filipe Toledo na quinta-feira.

“O Griffin começou com uma nota boa e eu sabia que ia ser uma bateria difícil, então dei o meu melhor e estou bem feliz por ter passado”, disse Italo Ferreira. “Eu adoro desafios, me deixa mais animado e estou gostando de usar prancha epóxi agora. Acho que é mais veloz e meu trabalho fica mais fácil (risos). Quero agradecer também toda a galera do Brasil pela torcida e por enviar boas energias, para eu continuar no ritmo e na pegada”.

Nas quartas de final, Italo Ferreira terá um confronto brasileiro com Deivid Silva, que pela primeira vez chegou nessa fase desde que entrou no CT em 2019. O guarujaense bateu o japonês Kanoa Igarashi como na rodada inicial do Rip Curl Newcastle Cup. Foi uma bateria disputada quase onda a onda e a nota 6,50 do brasileiro decidiu a vitória por uma pequena vantagem de 11,93 a 11,80 pontos. Com a derrota, o japonês saiu da briga pela liderança do ranking, que começa a ser defendida por Gabriel Medina na Austrália.

Deivid Silva em ação. Foto: Cait Miers – WSL

Italo Ferreira precisa chegar na final em Newcastle para superar os 12.545 pontos que Medina garantiu no ranking nas quartas de final. Se Gabriel passar para as semifinais, Italo iguala sua pontuação na final. E se os dois chegarem na decisão do título, o vencedor vai vestir a lycra amarela do Jeep Leaderboard na próxima etapa em Sidney.

Mais três surfistas poderiam liderar o ranking em Newcastle, mas apenas Ryan Callinan segue na disputa, com remotas chances. Para ultrapassar os 12.545 pontos que Medina tem no ranking, o australiano já necessita da vitória no Rip Curl Newcastle Cup. Se Medina passar mais uma bateria, ele sai da briga. Os outros eram o sul-africano Jordy Smith derrotado pelo californiano Conner Coffin e o japonês Kanoa Igarashi eliminado pelo paulista Deivid Silva.

Dois duelos brasileiros irão acontecer nas quartas de final do Rip Curl Newcastle Cup e um com Filipe Toledo e Yago Dora fechou as oitavas de final na maré já muito seca em Merewether Beach. As ondas estavam bem deterioradas, tanto que foi a última bateria da manhã.

Filipe Toledo em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

Filipe Toledo e Yago Dora tinham sido os melhores surfistas do Brasil no dia anterior. Apesar das condições difíceis do mar, eles mostraram suas manobras inovadoras e progressivas nas ondas que surfaram. Filipe conseguiu uma boa sintonia com as séries para pegar as melhores ondas e atacar cada espaço com sua variedade de manobras nos pontos mais críticos. Ele liderou o confronto desde a nota 6,90 da primeira onda e Yago ficou tentando os aéreos, mas sem completar. Filipe ainda tirou um 6,17 e venceu por 13,07 a 9,14 pontos, aumentando para a 4 a sua invencibilidade em baterias com Yago no CT.

“A vida de competidor e o esporte são assim mesmo. Nunca é igual. Às vezes você consegue notas altas, mas as ondas são sempre diferentes e essa é a melhor parte de ser surfista, você precisa estar preparado para qualquer coisa”, disse Filipe Toledo. “Estava meio complicado, bem difícil de escolher as ondas boas. Acho que eu e o Yago cometemos uns erros de tentar uns aéreos, em vez de fazer mais manobras nas ondas. Mas estou bem feliz por ter avançado”.

A comissão técnica preferiu aguardar a maré encher para fazer as quartas de final femininas na tarde da sexta-feira. Uma primeira chamada para as meninas marcada as 13h45, mas as ondas ainda não estavam boas e outra foi anunciada as 15h15, 2h15 da madrugada no Brasil, quando realmente aconteceu.

Carissa Moore em ação. Foto: Cait Miers – WSL

As zebras continuaram rondando a tarde em Newcastle pelo feminino. Na primeira bateria a novata Isabella Nichols despachou a sua compatriota e sete vezes campeã mundial, Stephanie Gilmore. A seguir mais outra zebra com australiana Keely Andrew eliminando a norte americana Courtney Conlogue.

Isabella Nichols em ação. Foto: Cait Miers – WSL

Porém as zebras pararam por ai com a havaiana Carissa Moore derrotando a francesa Johanne Defay e a norte americana Caroline Marks superando a australiana Bronte Macaulay.

Caroline Marks em ação. Foto: Cait Miers – WSL

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com, pelo aplicativo da World Surf League e pelos canais ESPN Brasil. A primeira chamada para as quartas de final está prevista para as 6h45 do sábado na Austrália, 17h45 da sexta-feira no fuso horário de Brasília.

PERNA AUSTRALIANA – As quatro etapas da nova “perna australiana” são apresentadas pela Corona. O Rip Curl Newcastle Cup tem prazo até domingo para ser encerrado nas ondas de Merewether Beach. A segunda é o Rip Curl Narrabeen Classic de 16 a 26 de abril em Narrabeen Beach, em Sydney, também em New South Wales. As outras serão na região de West Australia, o Boost Mobile Margaret River Pro de 02 a 12 de maio em Margaret River e o Rip Curl Rottnest Search de 16 a 26 de maio em Rottnest Island.

PRÓXIMAS BATERIAS DO RIP CURL NEWCASTLE CUP:

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar com 4.475 pontos:

1.a: Gabriel Medina (BRA) x Adriano de Souza (BRA)
2.a: Ryan Callinan (AUS) x Morgan Cibilic (AUS)
3.a: Italo Ferreira (BRA) x Deivid Silva (BRA)
4.a: Filipe Toledo (BRA) x Conner Coffin (EUA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA NO RIP CURL NEWCASTLE CUP:

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar com 1.330 pontos:

1.a: Gabriel Medina (BRA) 12.93 x 8.33 Frederico Morais (PRT)
2.a: Adriano de Souza (BRA) 8.40 x 7.10 Julian Wilson (AUS)
3.a: Morgan Cibilic (AUS) 16.00 x 10.33 Wade Carmichael (AUS)
4.a: Ryan Callinan (AUS) 13.87 x 12.07 Owen Wright (AUS)
5.a: Italo Ferreira (BRA) 16.93 x 9.83 Griffin Colapinto (EUA)
6.a: Deivid Silva (BRA) 11,93 x 11,80 Kanoa Igarashi (JPN)
7.a: Conner Coffin (EUA) 12.73 x 12.34 Jordy Smith (AFR)
8.a: Filipe Toledo (BRA) 13.07 x 9.14 Yago Dora (BRA)

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar com 4.745 pontos:

1.a: Isabella Nichols (AUS) 13.90 x 11.40 Stephanie Gilmore (AUS)
2.a: Keely Andrew (AUS) 13.70 x 12.90 Courtney Conlogue (EUA)
3.a: Carissa Moore (HAV) 17.33 x 14.10 Johanne Defay (FRA)
4.a: Caroline Marks (EUA) 16.26 x 12.97 Bronte Macaulay (AUS)

SEMI-FINAL – Derrota=3.o lugar:

1.a: Isabella Nichols (AUS) X Keely Andrew (AUS)
2.a: Carissa Moore (HAV) X Caroline Marks (EUA)

Perna australiana do WSL Championship Tour 2021*:

*Todas as etapas e datas estão sujeitas a alterações devido às restrições aplicáveis relacionadas ao COVID-19, incluindo restrições globais de viagens.

• Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona: 01-11 de abril
• Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona: 16-26 de abril
• Boost Mobile Margaret River Pro apresentado pela Corona: 02-12 de maio
• Rip Curl Rottnest Search apresentado pela Corona: 16-26 de maio

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

O Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona é orgulhosamente apoiado por nossos parceiros: Rip Curl, Corona, Agência Governamental de Turismo e Eventos de NSW Destination, City of Newcastle, Red Bull, Oakley, Hydro Flask, Harvey Norman, Bonsoy, Boost Mobile, Dometic Outdoor, Bond University, BF Goodrich, Burton Automotive e Oakberry.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin America

Edição Texto e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72