Rip Curl Grom Search 2020 – Etapa final, será neste sábado e domingo na Barra da Tijuca.

Publicado por AdrenaNews 207 views0

Os campeões do Rip Curl Grom Search 2020 serão conhecidos neste final de semana (15 e 16) na 2ª e decisiva etapa na Praia da Barra, no Rio de Janeiro.

Kayki Araújo em ação. Foto: Matusa Gonzaga

As disputas começam às 8 horas, entre os postos 5 e 6, e terão transmissão ao vivo pela internet pelo site www.ripcurl.com.br/grom-search-2020. Uma das grandes atrações é a definição das vagas para a final internacional do evento, em 2021, em algum lugar do Mundo, para os campeões da mirim e da feminina, que têm limite de 16 anos.

Também estarão em ação as categorias iniciante (até 14 anos) e a grommet (12 anos para baixo). Os surfistas da mirim são os primeiros a entrar no mar. O líder do ranking, Kayki Araújo, baiano radicado em SC, está escalado para a quarta bateria, enquanto que o paulista Caio Costa, vice-líder e defendendo o título, surfa duas depois. As outras três categorias também competem no primeiro dia e, dependendo das combinações de resultados, os títulos já podem ser decididos por antecipação.

“Fiquei feliz em ter conquistado o primeiro lugar em Garopaba e estou bem confiante de novo. A Barra é um lgar que já competi bem, me identifiquei com a onda”, afirma o líder Kayki Araújo, que sabe que terá um grande rival na disputa pelo título. “Acho importante ter o Caio como adversário. Ele é sinistro, puxa muito o nível da bateria e dá mais sangue nos olhos de ganhar”, comenta.

O surfista de Itacaré, que hoje mora em Florianópolis, sabe da importância de entrar numa galeria de campeões, em nível nacional, como Gabriel Medina e Filipe Toledo, por exemplo, e mais do que isso, garantir a vaga para a final mundial. “É um dos sonhos que quero realizar, muito importante para a carreira. Ter Medina, Filipe como referência, me instiga muito mais. Estou no foco só pensando nisso. Mentalizando esse título. Acredito que vai dar tudo certo”, fala.

Nos dois últimos anos o paulista Murillo Coura foi o vice-campeão do ranking, antes, em sua estreia em 2017 foi o terceiro, mas agora está confiante, determinado e preparado para chegar ao inédito título no Rip Curl Grom Search 2020, que terá a etapa final nestes sábado e domingo (15 e 16), na Praia da Barra, no Rio de Janeiro. O surfista de 12 anos chega com líder da categoria iniciante (sub14) e animado por ter vencido nessa mesmo cenário da final no ano passado.

Murillo Coura em ação. Foto: Matusa Gonzaga

Em grande fase, ele é o atual campeão paulista sub12 e na abertura do Rip Curl Grom Search, em Garopaba, há menos de um mês, foi o vencedor, superando outros nomes de ponta da faixa etária. “Estou muito feliz com a minha vitória em Garopaba. Não foi fácil, mas deu certo. Estou confiante e focado para a Barra. Treinei bastante. Gosto muito das ondas de lá e tomara que se repita a vitória agora”, diz Murillo.

“Sei que esse Circuito representa bastante na minha carreira, porque o Gabriel (Medina) e o Filipinho (Toledo) já ganharam. Para um atleta da minha idade, conquistar este título é muito bom e faz toda a diferença no futuro. Quero muito essa conquista e vou para cima”, reforça o atleta, que já planeja seu futuro, começando justamente pelo Rip Curl Grom Search. “Quero ganhar agora e depois a sub16 e ir para a final internacional e seguir o que os brasileiros vem fazendo, até chegar ao grande título mundial, que o Gabriel, o Mineiro (Adriano de Souza) e o Italo (Ferreira) já comemoraram”, argumenta.

Nascido em São José dos Campos, interior de SP, Murillo começou no skate, mas ainda pequeno decidiu pelo surf e a família ‘abraçou’ o sonho mudando para o litoral, primeiro Ubatuba e depois Maresias, em São Sebastião, mesma praia que Medina mora. O surfista já mostra grande potencial e no Rip Curl Grom Search sempre chegou bem. Em 2017 terminou em terceiro na grommet.

No ano seguinte foi vice, com vitória do companheiro de treino, Guilherme Fernandes. Já na edição passada, repetiu o segundo lugar na sub12, com o título ficando com o paranaense Lukas Camargo. Também foi o quarto colocado na iniciante, disputa acima e que está hoje.

Na etapa inicial deste ano foi o vencedor, com o paranaense Ryan Coelho, com quem treina, sendo o segundo, o catarinense Takeshi Oyama o terceiro e o também paulista Kauã Campos, o quarto. Ryan, inclusive, foi um dos destaques da etapa de Garopaba, sendo o único a fazer duas finais, com o quarto lugar na mirim e chega como o grande rival na etapa final.

Vitoriosa na etapa de abertura em Garopaba, a catarinense Kiany Hyakutake quer repetir a dose na final do Rip Curl Grom Search 2020 nestes sábado e domingo (15 e 16), na Praia da Barra, no Rio de Janeiro. A 2ª e decisiva etapa do Circuito reunirá quatro categorias, a feminina e a mirim, para surfistas com até 16 anos; a iniciante, com limite de 14 anos; e grommet, com os atletas de 12 anos para baixo.

Kiany Hyakutake em ação. Foto: Matusa Gonzaga

Mais do que o tradicional título, disputado pelo 21º ano seguido, os campeões do ranking na mirim e na feminina garantem vagas para a final internacional do evento, no próximo ano, em algum lugar do Mundo. A competição mundial já evidenciou grandes nomes, como as australianas Stephanie Gilmore, nada menos que sete vezes campeã da World Surf League, e Tyler Wright, bicampeã do Mundo; a brasileira Tatiana Weston-Webb e a norte-americana Caroline Marks, atual vice-campeã do Championship Tour.

“A expectativa é grande e tenho me dedicado muito nos meus treinos. Nunca surfei na Barra, mas vi alguns vídeos daquela onda e é muito parecida com a que tenho em frente da minha casa, onde treino diariamente, então estou bem animada e confiante. Fiquei feliz em vencer em Garopaba e espero fazer o mesmo no Rio”, diz a surfista de Florianópolis.

No ranking, ela terá como rivais diretas as paulistas Kemily Sampaio, que desponta como uma das grandes revelações, e Sophia Medina, que tenta o inédito tri feminina no Rip Curl Grom Search. Apesar de ser bicampeã, a irmã caçula do bicampeão mundial Gabriel Medina não intimida a líder do ranking. “Eu não me preocupo muito com as adversárias, faço a minha parte sem pressão”, explica a atleta, sabendo da importância de disputar a final mundial. “Acho que é uma oportunidade muito grande de poder mostrar meu surf e conseguir um patrocinador”, completa.

MEIO AMBIENTE – Fora do mar, a etapa contará com várias atrações, como a área vip para os competidores, organizada pelas lojas WQSurf, oferecendo frutas aos atletas no café da manhã e estrutura para que todos tenham conforto nos momentos de folga entre as baterias.

A WQSurf também oferecerá massoterapeuta para recuperação dos competidores e futmesa para diversão nas horas de lazer. “A WQSurf é um dos principais apoiadores nessa etapa da Barra e criou um espaço com conforto aos surfistas. Também teremos ativações dos patrocinadores do Circuito, a GoPro e a Brazinco, com distribuição de brindes, degustação e muita diversão”, anuncia o gerente de marketing da Rip Curl, Fernando Gonzalez.

Os surfistas também terão pintura de pranchas com o artista Marcello Macarrão e quem estiver na praia poderá se divertir com as pipas personalizadas e na cama elástica. Outra iniciativa importante é a doação de um quilo de alimento não perecível de cada atleta antes de sua primeira participação na etapa, que será destinado a uma instituição assistencial da região a ser definida.

 Garotada em ação na cama elástica. Foto: Matusa Gonzaga

RASPADORES DE PARAFINA – Na questão ambiental, a distribuição de mudas nativas, a limpeza da praia, com a gestão de resíduos feita pela Eco Local Brasil. A atividade feita na etapa inicial, recolheu 138 quilos de detritos, encaminhados para a sobrevida pela ONG e os resíduos plásticos coletados transformados em 150 raspadores de parafina, que serão distribuídos aos atletas inscritos. Uma ação desenvolvida pelo Projeto Raspe Bem, em parceria com a Eco Local Brasil e a Rip Curl.

Raspadores. Foto: Divulgação Rip Curl

A gestão ambiental valeu o Selo Zero, emitido pela Eco Local Brasil, significando que todos os resíduos gerados durante o evento no litoral catarinense (secos, orgânicos, descartáveis e outros) tiveram um descarte certificado e sustentável, sem a utilização de aterro sanitário e priorizando a sobrevida de 100% desse material. “Estamos trabalhando para tornar o Rip Curl Grom Search o circuito de surf amador mais sustentável do Brasil”, enfatiza Gonzalez.

Neste sábado também terá a tradicional confraternização com atletas, pais e técnicos, comprovando o slogan “muito mais do que um campeonato de surf”. Já na questão ambiental, são distribuídas mudas nativas e a ONG Eco Local Brasil fará a limpeza da praia, com a gestão de resíduos. Os atletas receberão raspadores de parafina, feitos com resíduos plásticos coletados na etapa inicial em Garopaba, uma ação desenvolvida pelo Projeto Raspe Bem.

O Rip Curl Grom Search 2020 é uma realização da Rip Curl e tem os patrocínios de GoPro e Brazinco, com apoios de Jandaia Cadernos, Loja Rip Curl Garopaba, Prefeitura de Garopaba, Lojas WQSurf, Loja Rip Curl Barra Shopping, Prefeitura do Rio de Janeiro, Supervisão da Fecasurf e Feserj, com organização da Swell Promoção e Produção de Eventos, cobertura da FMA Notícias e Gestão ambiental da ONG Eco Local Brasil.

Reportagem: Fabio Maradei – FMA

Edição: Edson Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72