Quiksilver/Roxy Pro France – Sexta-feira de altas ondas em Hossegor – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

Os brasileiros brilharam nas ondas desafiadoras de 6-8 pés da sexta-feira em Les Culs Nus, em Hossegor pelo Quiksilver/Roxy Pro France. Assistam ao vídeo!

Alex Ribeiro em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

Dos nove que competiram, sete passaram para as oitavas de final do Quiksilver Pro France, João Chianca, Samuel Pupo, Lucas Silveira, Alex Ribeiro, Jessé Mendes, Mateus Herdy e Edgard Groggia, além do peruano Lucca Mesinas. No sábado, a primeira chamada será as 8h00 em Hossegor, 3h00 da madrugada no Brasil. Esta terceira etapa do WSL Challenger Series 2021 é transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

Edgard Groggia em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

Como a sexta-feira amanheceu com ventos fortes e o mar muito mexido, foi preciso aguardar as condições melhorarem. Foram realizadas várias chamadas durante toda a manhã e as baterias só começaram as 14h45 na França. Com isso, só deu tempo para realizar os oito confrontos da terceira fase e as quartas de final do ROXY Pro France ficaram para o sábado.

Jessé Mendes em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

O dia já começou bem para o Brasil, com Alex Ribeiro vencendo a primeira bateria. O holandês Beyrick De Vries passou junto com ele, eliminando o australiano Callum Robson, que estava em décimo lugar no grupo dos 12 surfistas que o ranking do Challenger Series, vai classificar para completar a elite do World Surf League Championship Tour 2022. Alex também vai abrir as oitavas de final no sábado, enfrentando o francês Maxime Huscenot.

Depois, teve uma bateria 100% verde-amarela, entre três paulistas do Guarujá. Depois de se destacar nas duas primeiras fases, Marcos Correa não conseguiu pegar as melhores ondas e acabou sendo a primeira baixa do Brasil. Os outros dois acharam boas ondas para mostrar o seu surfe nas direitas e esquerdas de Les Culs Nus, com Jessé Mendes superando Edgard Groggia por uma pequena diferença de 12,23 a 11,70 pontos.

“Eu vi que o mar subiu e eu estava 100% preparado. Eu prefiro surfar nessas condições, do que em ondas pequenas. Com o mar assim, qualquer um pode ganhar, então fiquei focado no meu surfe e estou feliz por ter avançado”, disse Jessé Mendes. “Acho que surfei umas ondas de 8-10 pés e foi uma pena ter sido uma bateria só com brasileiros. O Edgard (Groggia) é o melhor amigo do meu irmão e o Marcos (Correa) mora bem perto da minha casa. Nós crescemos juntos e foi uma pena um ter perdido. Mas, estou bem feliz por ter conseguido pegar várias ondas para mostrar o meu surfe”.

Jessé vai disputar a terceira oitava de final com o peruano Lucca Mesinas, que se classificou em segundo lugar no confronto seguinte, vencido pelo japonês Kanoa Igarashi com o maior placar do Quiksilver Pro France, 16,27 pontos, somando notas 8,17 e 8,10. O medalhista de prata na final olímpica contra Italo Ferreira nos Jogos de Tóquio no Japão, será o adversário de Edgard Groggia no quarto confronto das oitavas de final em Hossegor.

Lucca Mesinas em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

BATALHA POR VAGAS: Com a classificação, Lucca Mesinas subiu para o 12.o lugar no ranking do WSL Challenger Series. Depois, Samuel Pupo também avançou e passou a dividir essa última posição no G-12 com o peruano e, ainda, com o australiano Jordan Lawler. Logo abaixo deles, têm mais dois surfistas classificados para as oitavas de final, o brasileiro Lucas Silveira que já subiu para o 15.o lugar e o costa-ricense Carlos Munoz para 16.o.

Estes dois passaram juntos na quinta bateria, eliminando um dos destaques dos dois primeiros dias de competição em Hossegor, o top do CT e já garantido como titular “seleção brasileira da WSL” em 2022, Yago Dora. Lucas Silveira mostrou a potência do seu backside nas esquerdas, para ganhar uma nota 6,40. Ela decidiu sua classificação, por uma pequena vantagem de 11,87 a 11,67 pontos de Yago Dora. Carlos Munoz passou em primeiro com 14,33, somando uma nota 7,83 conseguida nas direitas de Les Culs Nus.

Lucas Silveira em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

DOBRADINHA BRASILEIRA: Mais dois brasileiros entraram no confronto seguinte e nesse Mateus Herdy e João Chianca confirmaram uma dobradinha vencedora sobre o espanhol Aritz Aranburu. Os dois já tinham competido juntos em suas estreias no Quiksilver Pro France e o resultado foi o mesmo, com Mateus passando em primeiro e Chumbinho em segundo lugar. Com a classificação, João Chianca já aparece em sexto lugar no ranking do WSL Challenger Series e Mateus Herdy saltou da 66.a para a 34.a posição.

João Chianca em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

O atual campeão sul-americano da WSL Latin America, vai enfrentar o costa-ricense Carlos Munoz no quinto duelo das oitavas de final e Mateus Herdy está no sexto com Lucas Silveira. Este confronto verde-amarelo já garante o Brasil nas quartas de final do Quiksilver Pro France, porém um terminará em nono lugar e ficará de fora da zona de classificação para o CT 2022.

Mateus Herdy em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

NA PORTA DO G-12: Quem já está batendo na porta do G-12 é Samuel Pupo. Na quarta-feira, ele ganhou a maior nota da semana na França, 9,43, pelo aéreo incrível que mandou nas direitas de Les Culs Nus. Mas, as condições do mar estavam bem diferentes na sexta-feira, sem rampas para voar. Então, ele mostrou a força do backside nas manobras de borda executadas com pressão e velocidade nas esquerdas. Samuca derrotou dois australianos e Jordan Lawler despachou o top do CT 2021, Wade Carmichael, na briga pela segunda vaga.

“Foi uma bateria bem difícil, mas usei minha estratégia de ficar bem próximo dos dois e estou feliz por ter passado”, disse Samuel Pupo. “O mar está bem difícil hoje. Na minha última bateria, consegui uma nota acima de 9 e nessa passei com um total de 10 pontos nas duas. Até busquei algumas rampas, mas não consegui achar as boas para mandar os aéreos. Quem sabe amanhã. Agora vou dar uma analisada nessa bateria, curtir a vitória, descansar e me preparar para amanhã”.

Samuel Pupo em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

Samuel Pupo precisa avançar mais fases, para fechar esta “perna europeia” do WSL Challenger Series, dentro da lista dos 12 primeiros colocados no ranking que completarão a elite dos top-34 no CT 2022. Seu próximo adversário é o veterano Michel Bourez, do Taiti, que passou junto com o português Frederico Morais na bateria que fechou a sexta-feira na França.

VAGAS NO CT 2022: Depois do Quiksilver Pro France, só restará uma etapa no Havaí para definir os 12 homens e as 6 mulheres, que completarão a elite que disputará os títulos mundiais no World Surf League Championship Tour 2022. Os rankings masculino e feminino computarão três resultados, com um deles podendo ser a maior pontuação obtida nas etapas do WSL Qualifying Series de 2020, disputadas até o mês de março, antes do Circuito Mundial ser cancelado por causa da pandemia do Covid-19.

Yago Dora em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

A batalha pelas vagas para o CT 2022 começou duas semanas atrás no US Open of Surfing apresentado pela Shiseido na Califórnia, vencido pelos norte-americanos Griffin Colapinto e Caitlin Simmers. Na semana passada, só deu Havaí no MEO Vissla Pro Ericeira em Portugal, com as vitórias de Ezekiel Lau e Luana Silva. O Quiksilver Pro France vai até domingo e o WSL Challenger Series 2021 será encerrado no Haleiwa Challenger, de 26 de novembro a 7 de dezembro em Haleiwa Beach, no Havaí.

TRANSMISSÃO AO VIVO: O Quiksilver Pro e o ROXY Pro France estão sendo transmitidos ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo aplicativo da WSL, lembrando que o fuso horário é de 5 horas a mais do Brasil, então 8h00 na França são 3h00 da madrugada no Brasil. Esta terceira etapa do WSL Challenger Series 2021 é móvel e pode acontecer nas praias de Hossegor, Capbreton, Seignosse, Landes e Nouvelle-Aquitane.

ASSISTAM AO VÍDEO, CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Highlights Day 4: Quiksilver/Roxy Pro France:Vídeo, com os melhores momentos da sexta-feira:

PRÓXIMAS BATERIAS DO WSL CHALLENGER SERIES DA FRANÇA:

OITAVAS DE FINAL DO QUIKSILVER PRO FRANCE:

Derrota=9.o lugar com US$ 2.750 e 3.500 pontos

1.a: Alex Ribeiro (BRA) x Maxime Huscenot (FRA)
2.a: Connor O´Leary (AUS) x Beyrick De Vries (HOL)
3.a: Lucca Mesinas (PER) x Jessé Mendes (BRA)
4.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Edgard Groggia (BRA)
5.a: João Chianca (BRA) x Carlos Munoz (CRI)
6.a: Lucas Silveira (BRA) x Mateus Herdy (BRA)
7.a: Samuel Pupo (BRA) x Michel Bourez (TAH)
8.a: Frederico Morais (PRT) x Jordan Lawler (AUS)

QUARTAS DE FINAL DO ROXY PRO FRANCE:

Derrota=5.o lugar com US$ 3.500 e 5.000 pontos

1.a: Dimity Stoyle (AUS) x Sawyer Lindadas (EUA)
2.a: Brisa Hennessy (CRI) x Alyssa Spencer (EUA)
3.a: Molly Picklum (AUS) x India Robinson (AUS)
4.a: Caitlin Simmers (EUA) x Vahine Fierro (FRA)

RESULTADOS DO QUIKSILVER PRO FRANCE NA SEXTA-FEIRA:

TERCEIRA FASE – 3.o=17.o lugar com US$ 2.000 e 2.000 pontos:

1.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)=13.76, 2-Beyrick De Vries (HOL)=12.87, 3-Callum Robson (AUS)=11.63
2.a: 1-Connor O´Leary (AUS)=13.17, 2-Maxime Huscenot (FRA)=9.86, 3-Jacob Willcox (AUS)=9.50
3.a: 1-Jessé Mendes (BRA)=12.23, 2-Edgard Groggia (BRA)=11.70, 3-Marcos Correa (BRA)=5.90
4.a: 1-Kanoa Igarashi (JPN)=16.27, 2-Lucca Mesinas (PER)=12.47, 3-Dylan Moffat (AUS)=5.80
5.a: 1-Carlos Munoz (CRI)=14.33, 2-Lucas Silveira (BRA)=11.87, 3-Yago Dora (BRA)=11.67
6.a: 1-Mateus Herdy (BRA)=13.90, 2-João Chianca (BRA)=10.83, 3-Aritz Aranburu (ESP)=8.00
7.a: 1-Samuel Pupo (BRA)=10.63, 2-Jordan Lawler (AUS)=8.60, 3-Wade Carmichael (AUS)=7.20
8.a: 1-Frederico Morais (PRT)=12.17, 2-Michel Bourez (TAH)=9.43, 3-Jorgann Couzinet (FRA)=8.46

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin América

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72