mag72

QS 5000 Volcom Pipe Pro 2020 – Wiggolly Dantas vence com três brazucas na grande final em Pipeline.

Publicado por AdrenaNews 185 views0

Os brasileiros voltaram a reinar no maior palco do esporte no Havaí com a primeira vitória verde-amarela no Volcom Pipe Pro, com Wiggolly Dantas decidindo o título do QS 5000 com mais dois brasileiros em Pipeline.

Wiggolly Dantas em ação. Foto: Tony Heff – WSL

“Eu estou muito feliz, pois há muitos anos o meu objetivo era vencer um evento aqui em Pipeline”, disse Wiggolly Dantas. “Estou me sentindo um pouco cansado, mas muito feliz pela vitória. Essa onda é muito especial para mim e é um prazer estar aqui, competindo, surfando bons tubos, fazendo grandes manobras também e ser campeão aqui era um sonho. Eu queria muito vencer aqui nesse lugar incrível e estou muito feliz por começar o ano assim”.

Pódio com 03 Brazucas. Foto: Keoki Saguibo – WSL

“Cada onda que você pega aqui em Pipeline é um momento especial”, disse Wiggolly Dantas. “Aqui você pode surfar a melhor onda da sua vida ou ter o maior ‘wipe out’ (queda) da sua vida. Eu venho aqui há pelo menos 25 anos e sempre quis vencer um evento aqui. Já fiquei em segundo uma vez, já fiquei nas semifinais, já perdi nas quartas, mas sempre acreditei, então esse era o ano para tentar ganhar este evento e estou muito feliz por ter conseguido”.

Em dezembro, Italo Ferreira conquistou o título mundial definido na final com Gabriel Medina no Billabong Pipe Masters. Agora, veio a primeira vitória verde-amarela no Volcom Pipe Pro, com Wiggolly Dantas decidindo o título do QS 5000 com mais dois brasileiros neste sábado em Pipeline. João Chianca ficou em segundo lugar e Yago Dora em terceiro, em mais uma final histórica no Havaí. Agora, todos partem da ilha de Oahu para a de Fernando de Noronha, para disputar o título do Oi Hang Loose Pro Contest na próxima semana, 11 a 16 de fevereiro na Cacimba do Padre.

Italo Ferreira em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

VEJAM ABAIXO O VÍDEO COM HOMENAGEM AO CAMPEÃO MUNDIAL ITALO FERREIRA:

Para os quatro finalistas, o Volcom Pipe Pro era a estreia deles na temporada e Wiggolly começa o ano na vice-liderança do WSL Qualifying Series. João Chianca, irmão mais jovem do big-rider Lucas Chumbo, inicia em sexto lugar no ranking, empatado com Alonso Correa e outro peruano é o quinto colocado, Lucca Mesinas. Yago Dora está em 11.o lugar, na porta de entrada do grupo dos dez primeiros que se classificam para a elite dos top-34 da World Surf League.

Yago Dora em ação. Foto: Tony Heff – WSL

Essa é a segunda vez que Wiggolly Dantas decide o título do Volcom Pipe Pro, em nove participações. A primeira foi em 2014, quando perdeu para o Mr. Pipeline, Kelly Slater. Ele fez parte da elite do CT até 2017 e viaja para surfar no Havaí há mais de vinte anos, então era uma questão de tempo para o seu nome aparecer na Galeria dos Campeões em Pipeline. O evento todo foi realizado em quatro dias seguidos de muitos tubos e ondas desafiadoras, tanto nas esquerdas de Pipeline, como nas direitas do Backdoor.

Wiggolly Dantas em ação. Foto: Tony Heff – WSL

No sábado, as condições estavam mais difíceis para tubos e outras manobras foram utilizadas nas baterias, desde as oitavas de final que abriram o último dia. Na grande final, Wiggolly escolheu bem sua primeira onda, uma direita no Backdoor para mostrar seu backhand com batidas verticais e fortes rasgadas abrindo grandes leques de água. Os juízes deram nota 8,00 e ela acabou decidindo a vitória, porque ninguém conseguia achar boas ondas para surfar. Wiggolly só teve mais duas chances e conseguiu 2,03 na última para vencer o Volcom Pipe Pro por 10,03 pontos.

O saquaremense João Chianca foi campeão sul-americano da WSL Latin America no ano passado e competia pela primeira vez em Pipeline. Ele somou notas 4,00 e 3,83 para ficar em segundo lugar com 7,83 pontos, contra 6,30 do catarinense Yago Dora e 5,17 do havaiano Seth Moniz. A vitória valeu 5.000 pontos para Wiggolly Dantas, que divide a vice-liderança do ranking com o americano Nat Young, campeão do QS 5000 de Marrocos na quinta-feira. O líder é o japonês Shun Murakami, que venceu o QS 5000 da China e marcou 330 pontos no Havaí.

João Chianca em ação. Foto: Keoki Saguibo – WSL

O peruano Lucca Mesinas caiu do terceiro para o quinto lugar e seu compatriota, Alonso Correa, vice-campeão em Marrocos, está em sexto empatado com o vice-campeão em Pipeline, João Chianca. Esses são os quatro sul-americanos que estão na lista dos dez surfistas que se classificam para a elite dos top-34 da World Surf League pelo Qualifying Series, após esta quinta etapa encerrada no sábado com mais uma festa brasileira no pódio em Pipeline.

SUL-AMERICANOS – Outros países da América do Sul também foram bem representados no Volcom Pipe Pro esse ano. O argentino Leandro Usuna foi até as semifinais e ficou em quinto lugar , sendo barrado por Wiggolly Dantas e Yago Dora na primeira bateria. Na segunda, João Chianca impediu uma dobradinha havaiana dos irmãos Moniz, derrotando os dois. O top do CT, Seth, acabou ganhando a briga pela última vaga do Joshua, que está fechando o G-10 do QS no momento, somando os pontos do 17.o lugar no QS 5000 da China.

Leandro Usuna em ação. Foto: Keoki Saguibo – WSL

Antes das semifinais, o argentino Leandro Usuna já tinha passado duas baterias com três sul-americanos disputando duas vagas no sábado. Nas quartas de final, ele venceu e Yago Dora passou em segundo, com o peruano Cristobal de Col sendo eliminado em 13.o lugar. Nas oitavas de final que abriram o último dia, Lele Usuna derrotou o carioca Jeronimo Vargas na disputa pelo segundo lugar no confronto vencido pelo campeão, Wiggolly Dantas. O uruguaio Marco Giorgi também ficou nessa fase, perdendo na primeira bateria do dia, que já começou com vitória brasileira de Yago Dora.

Cristobal de Col em ação. Foto: Tony Heff – WSL

OI HANG LOOSE – Todos agora viajam para o Brasil, para competir no Oi Hang Loose Pro Contest apresentado por Elétron Energy em Fernando de Noronha, na semana de 11 a 16 de fevereiro na Cacimba do Padre. Será a quarta etapa de 5.000 pontos do ano na briga pelas dez vagas do WSL Qualifying Series para o CT. O japonês Shun Murakami ganhou a primeira na China e lidera o ranking, o americano Nat Young impediu a vitória do peruano Alonso Correa em Marrocos e os brasileiros dominaram Pipeline mais uma vez, com Wiggolly Dantas campeão, João Chianca em segundo e em terceiro Yago Dora, vice-campeão em Fernando de Noronha na final do ano passado com Jadson André na Cacimba do Padre.

Cacimba do Padre, vista de cima. Foto: Victor Aune

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 5000 Volcom Pipe Pro podem ser acessadas na página do evento no calendário do www.worldsurfleague.com

VEJAM ABAIXO OS VÍDEOS COM OS MELHORES MOMENTOS:

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2020:
“Ranking extra oficial após 6 etapas”
Os brasileiros voltaram a ocupar as vagas entre os Top 10 do QS 2020.

01: Shun Murakami (JPN) – 5.330 pontos
02: Nat Young (EUA) – 5.000
02: Wiggolly Dantas (BRA) – 5.000
04: Keanu Asing (HAV) – 4.300
05: Lucca Mesinas (PER) – 4.250
06: Alonso Correa (PER) – 4.000
06: João Chianca (BRA) – 4.000
08: Patrick Gudauskas (EUA) – 3.625
09: Rio Waida (IDN) – 3.550
10: Joshua Moniz (HAV) – 3.500

Sul-americanos até 100:

11: Yago Dora (BRA) – 3.250 pontos
20: Leandro Usuna (ARG) – 2.500
36: Willian Cardoso (BRA) – 1.750
36: Thiago Camarão (BRA) – 1.750
36: Victor Bernardo (BRA) – 1.750
36: Rafael Teixeira (BRA) – 1.750
46: Cristobal de Col (PER) – 1.475
59: Bino Lopes (BRA) – 1.000
59: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.000
86: Giorgio Gomez (COL) – 650

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO VOLCOM PIPE PRO:

Campeão: Wiggolly Dantas (BRA) por 10,03 pontos (8,00+2,03) – US$ 15.000 e 5.000 pts
Vice-campeão: João Chianca (BRA) com 7,83 pts (4,00+3,83) – US$ 7.500 e 4.000 pts
Terceiro lugar: Yago Dora (BRA) com 6,30 pts (3,33+2,97) – US$ 4.000 e 3.250 pts
Quarto lugar: Seth Moniz (HAV) com 5,17 pts (2,67+2,50) – US$ 3.700 e 3.000 pts

SEMIFINAIS – 3.o=5.o lugar ($ 2.600 e 2.500 pts) e 4.o=7.o lugar ($ 2.400 e 2.225 pts):

1.a: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Yago Dora (BRA), 3-Leandro Usuna (ARG), 4-Matthew McGillivray (AFR)
2.a: 1-João Chianca (BRA), 2-Seth Moniz (HAV), 3-Joshua Moniz (HAV), 4-Cam Richards (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 3.o=9.o lugar ($ 1.600 e 1.750 pts) e 4.o=13.o lugar ($ 1.400 e 1.475 pts):

1.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Yago Dora (BRA), 3-Finn McGill (HAV), 4-Cristobal de Col (PER)
2.a: 1-Matthew McGillivray (AFR), 2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Evan Geiselman (EUA), 4-Eli Hanneman (HAV)
3.a: 1-Seth Moniz (HAV), 2-João Chianca (BRA), 3-Aritz Aranburu (ESP), 4-Nolan Rapoza (EUA)
4.a: 1-Joshua Moniz (HAV), 2-Cam Richards (EUA), 3-Imaikalani Devault (HAV), 4-John Mel (EUA)

OITAVAS DE FINAL – 3.o=17.o lugar ($ 1.275 e 1.000 pts) e 4.o=25.o lugar ($ 1.000 e 375 pts):

1.a: 1-Yago Dora (BRA), 2-Eli Hanneman (HAV), 3-Callum Robson (AUS), 4-Marco Giorgi (URU)
2.a: 1-Finn McGill (HAV), 2-Matthew McGillivray (AFR), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Cody Young (HAV)
3.a: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Jeronimo Vargas (BRA), 4-Noa Deane (AUS)
4.a: 1-Evan Geiselman (EUA), 2-Cristobal de Col (PER), 3-Elliot Paerata-Reid (NZL), 4-Tanner Hendrickson (HAV)
5.a: 1-Seth Moniz (HAV), 2-John Mel (EUA), 3-Reef Heazlewood (AUS), 4-Anthony Walsh (HAV)
6.a: 1-Nolan Rapoza (EUA), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Noah Beschen (HAV), 4-Billy Kemper (HAV)
7.a: 1-Cam Richards (EUA), 2-João Chianca (BRA), 3-Jack Robinson (AUS), 4-Joh Azuchi (JPN)
8.a: 1-Imaikalani Devault (HAV), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Conner Coffin (EUA), 4-Sheldon Paishon (HAV)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NOS OUTROS DIAS:

QUARTA FASE – 3.o=33.o lugar (US$ 750 e 330 pts) e 4.o=49.o lugar (US$ 600 e 300 pts):

1.a: 1-Yago Dora (BRA), 2-Finn McGill (HAV), 3-Nathan Florence (HAV), 4-Makai McNamara (HAV)
2.a: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Cody Young (HAV), 3-Alan Cleland (MEX), 4-Roi Kanazawa (JPN)
5.a: 1-Jeronimo Vargas (BRA), 2-Evan Geiselman (EUA), 3-Guillermo Satt (CHL), 4-Joaquin del Castillo (PER)
6.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Cristobal de Col (PER), 3-Mitchell Parkinson (AUS), 4-Jordan Lawler (AUS)
7.a: 1-Tanner Hendrickson (HAV), 2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Eala Stewart (HAV), 4-Miguel Tudela (PER)
13: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Aritz Aranburu (ESP0, 3-Keijiro Nishi (JPN), 4-Alvaro Malpartida (PER)
15: 1-Sheldon Paishon (HAV), 2-João Chianca (BRA), 3-Eimeo Czemak (TAH), 4-Nicholas Squiers (AUS)

TERCEIRA FASE – 3.o=65.o lugar (US 300 e 266 pts) e 4.o=81.o lugar (US$ 200 e 200 pts):

5.a: 1-Jeronimo Vargas (BRA), 2-Cristobal de Col (PER), 3-Makana Pang (HAV), 4-Mitch Coleborn (AUS)
6.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Guillermo Satt (CHL), 3-Philippe Chagas (BRA), 4-Michael O´Shaughnessy (HAV)
12: 1-Kiron Jabour (HAV), 2-Kalani Rivero (HAV), 3-Makuakai Rothman (HAV), 4-Manuel Selman (CHL)
14: 1-Shun Murakami (JPN), 2-Alvaro Malpartida (PER), 3-Keito Matsuoka (JPN), 4-Kalani Chapman (HAV)

SEGUNDA FASE – 3.o=97.o lugar (100 pts) e 4.o=113.o lugar (40 pts):

5.a: 1-Cristobal de Col (PER), 2-Michael O´Shaughnessy (HAV), 3-Remy Juboori (EUA), 4-Wolf Wertheimer (HAV)
6.a: 1-Guillermo Satt (CHL), 2-Makana Pang (HAV), 3-Nicolas Vargas (CHL), 4-Myles Laine-Toner (EUA)
7.a: 1-Ryder Guest (HAV), 2-Dwight Pastrana (PRI), 3-Gabriel Villaran (PER), 4-Sage Tutterow (HAV)
14: 1-Alvaro Malpartida (PER), 2-Micky Clarke (EUA), 3-Luke Swanson (HAV), 4-Tomas Lopez Moreno (ARG)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), criada em 1976, é a principal plataforma do surf e dos surfistas no mundo inteiro. A WSL está dedicada a mudar o mundo através do poder inspirador do surf, criando eventos, experiências e narrativas autênticas para inspirar a comunidade global a viver um lifestyle com dedicação, originalidade e entusiasmo. A World Surf League é uma organização global e sua sede principal é em Santa Monica, Estados Unidos, com escritórios regionais para a América do Norte, América Latina, Europa, África, Ásia, Australasia e Hawaii. A WSL tem uma profunda apreciação pela rica herança do surf, promovendo progressão, inovação e performance nos níveis mais altos do esporte. A WSL é composta por Circuitos e Eventos, celebrando os melhores surfistas do mundo em todas as modalidades, realizando anualmente mais de 180 campeonatos globais para coroar os campeões mundiais em todas as divisões; pela WSL WaveCO, onde a inovação encontra experiências inéditas; e pela WSL Studios, que oferece as melhores narrativas através das competições, lifestyle e conservação.
Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin America

Edição: Edson Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72