mag72

Os Primeiros Raios da Tempestade – Com Bruno Bocayuva e Fabio Gouveia, neste sábado no Instagram – Vejam os Vídeos.

Publicado por AdrenaNews 283 views0

O jornalista e apresentador de programas, Bruno Bocayuva, neste sábado as 18:30 em seu novo programa live no Instagram “Os primeiros Raios da Tempestade”, o entrevistado da vez, será Fabio “Fia” Gouveia.

Fábio Gouveia em ação. Foto Daniel Smorig0 – WSL

O programa visa debater o processo evolutivo dos surfistas brasileiros no Circuito Mundial desde 1976 da época das extintas IPS e ASP. Se Atualmente os brasileiros dominam o Circuito Mundial da WSL.

Fábio Gouveia, é um dos surfistas mais bem sucedidos do Brasil, de sua geração, campeão mundial amador em 1988, pela ISA, terminando na 5º posição em 1992 no Circuito Mundial (WCT) da extinta ASP. sendo um dos responsáveis pela valorização do surf no Brasil e pelo reconhecimento internacional do surf brasileiro.

Criado em João Pessoa, começou a surfar aos 13 anos de idade. Cinco anos depois, foi Campeão Brasileiro Amador em 1987. E em 1988, foi surpreendentemente, Campeão Mundial Amador, tornando-se o primeiro surfista brasileiro a conquistar um título mundial de qualquer tipo.

Equipe Brazuca no Mundial Amador em Porto Rico 1988. Foto: Beto Issa

Profissionalizou-se em 1989 e finalizando sua primeira temporada como profissional, entre os 35 melhores classificados e eleito o novato do ano.

Fabio Gouveia no inicio da carreira com seu patrão, Alfio Lagnado e seu parceiro de equipe, Flávio Padaratz. Foto: Arquivo Fluir

Ganhou seu primeiro evento do World Tour, em 1990, Hang Loose Pro Contest – Guarujá/SP. Evoluiu de forma constante ao longo dos próximos três anos, terminando em 25º em 1990, 13º em 1991 e quinto em 1992, durante este período conquistou quatro eventos, incluindo a última etapa da temporada de 1991, em Sunset Beach, Hawaii.

Revista Inside. Foto: Agobar Junior

Fábio Gouveia competiu em eventos profissionais por 22 anos – começou em 1988, ainda como amador (Em etapas do tour da ASP), até 2009. Após três anos seguindo integralmente o antigo circuito mundial (com cerca de 20 etapas por ano) entre 1989 e 1991, integrou os top 45 do WCT em 10 temporadas no WCT [1992-1996/1999-2003]. É um dos quatro brasileiros com maior tempo de permanência na elite da Extinta ASP.

RETROSPECTOS:

Foi o brasileiro recordista em vitórias no tour mundial da ASP, com quatro conquistas, todas no começo dos anos 1990:

1990 – Hang Loose Pro Contest – Guarujá/SP
1991 – Arena Surfmasters – Biarritz/França
1991 – World Cup – Sunset Beach/Hawaii
1992 – Marui Pro – Chiba/Japão

Alcançou também dois vice-campeonatos, na mesma década de 90:

1993 – Alternativa Surf, Barra da Tijuca/RJ – Perdeu para Dave Macaulay
1999 – Gotcha Pro, Huntington Beach/EUA – Perdeu para Neco Padaratz

No circuito mundial, foi o primeiro brasileiro top 16 (em 1991), feito que repetiu três vezes após a criação do WCT:

Pré-WCT:

1988 – 54º | disputou 12 das 24 etapas
1989 – 35º | disputou 23 das 25 etapas
1990 – 25º | disputou 20 das 21 etapas
1991 – 13º | disputou 16 das 17 etapas

WCT:

1992 – 5º | disputou todas as 11 etapas
1993 – 13º | disputou todas as 10 etapas
1994 – 12º | disputou todas as 10 etapas
1995 – 22º | disputou todas as 10 etapas
1996 – 37º | disputou todas as 14 etapas
1999 – 23º | disputou todas as 13 etapas
2000 – 24º | disputou todas as 13 etapas
2001 – 23º | disputou todas as 5 etapas
2002 – 35º | disputou todas as 12 etapas
2003 – 41º | disputou todas as 12 etapas

No World Qualifying Series, circuito em que foi campeão em 1998 e vice em 1993, conquistou 7 vitórias entre 1993 e 2002:

1993 – Seaway Classic – Maracaípe/Recife
1994 – Boundi Pro – Ericeira/Portugal
1994 – Seaway Classic – Maracaípe/Recife
1995 – OP Pukas Pro – Zarautz/Espanha
1998 – Natural Art Pro – Francês/Alagoas
1999 – Reef Brazil Classic – Joaquina/Florianópolis
2002 – O’Neill Surf Challenge – Les Cavaliers/França

Em 1996, caiu para a 37ª posição ficando fora elite do surf mundial. Contudo, em 1998, Fábio Gouveia foi campeão da World Qualifying Series e mais uma vez, ganhou um lugar no WCT. No cenário nacional, foi bicampeão brasileiro em períodos com circuitos distintos: em 1998, quando o título era definido pelas etapas brasileiras do WQS; e em 2005, pelo SuperSurf.

Competiu profissionalmente até 2009, quando decidiu se afastar dos eventos profissionais. Fábio Gouveia teve sua trajetória no surf contada em um documentário: “Fábio Fabuloso”, dirigido por Pedro César, Ricardo Bocão e Antônio Ricardo.

VEJAM ABAIXO O VÍDEO:

Trailer do Filme: “Fábio Fabuloso”:

Devemos muito aos nossos primeiros campeões que foram os desbravadores. Iniciando com Pepê Lopes que tornou-se o primeiro surfista brasileiro a vencer uma etapa do circuito mundial válido pela IPS (International of Professionals Surfers), o saudoso Waimea 5000, realizado no Arpoador em 1976 terminando entre os 18 melhores surfistas do mundo em 1976. Ele também foi sexto colocado no Pipe Masters do Havaí (o melhor brasileiro do ranking antes de Gabriel Medina). Pepê se sobressaia nas ondas grandes e tinha ótima colocação nos tubos em Pipeline.

Como não temos mais entre nós o nosso saudoso Pepê, o primeiro entrevistado do programa foi Daniel Friedmann, Campeão do Waimea 5000, realizado no Quebra Mar em 1977, vencendo justamente Pepê Lopes em uma final brazuca empolgante. Daniel assim como Pepê, foram integrantes da primeira geração de surfistas profissionais brasileiros. Surfista com estilo mais polido de sua geração, Daniel é shaper, empresario e diretor de eventos de surf.

Nos próximos programas Bruno Bocayuva, terá a companhia de outros Campeões: Hoje dia 09/05 será a vez de Fabio Gouveia, e na sequencia: 16/05 Teco Padaratz, 23/05 Ricardo Tatui, 30/05 Victor Ribas, 06/06 Neco Padaratz. Sempre aos Sábados as 18:30, imperdível !!!

Fabio Gouveia no inicio da carreira com seu parceiro, Flávio Padaratz. Foto: Foto: Beto Issa

Shaper amador desde os 14 anos, Gouveia confeccionou seu próprio equipamento durante seus anos como surfista profissional. Com o fim da carreira como surfista profissional, tornou-se boardmaker com a Fabio Gouveia Shape & Design.

VEJAM ABAIXO OS VÍDEOS:

Shapes & Fia. – Episódios 01 a 05 – Luciano Burin

Da pranchinha ao longboard: No segundo episódio da websérie Shapes & Fia., o surfista e shaper Fabio Gouveia fala sobre as motivações que resultam na criação dos seus diferentes modelos de pranchas, batizadas com nomes divertidos como Rapadura Aquática, Gordita Supreme, Jamanta entre outras.

Fontes: Datasurfe e Wikipedia

Reportagem e Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72