Oi STU Open – Vejam tudo que rolou nos vídeos e fotos, no maior festival de cultura skate do Brasil.

Publicado por AdrenaNews 281 views0

Depois de uma semana de muito skate e atividades culturais, o Oi STU Open 2019 se encerrou com chave de ouro neste domingo. O Brasil conquistou três medalhas com a dobradinha de Pamela Rosa e Rayssa Leal (Street feminino) e o bronze de Lucas Rabelo (Street masculino).

Pamela Rosa em ação. Foto: Julio Detefon – CBSk

“Eu estava muito focada. Era tudo ou nada. Meu empresário falou pra dar uma mudada na manobra, mas eu falei que não. Se fosse pra ficar em segundo, ficou. Segurei na última e consegui acertar. E vamos nessa que o ano de 2019 ainda não acabou”, contou Pamela.

Também se destacaram os americanos, que ocuparam todo o pódio do Park masculino, e os japoneses, campeões no Street masculino e no Park feminino. Começando os trabalhos na Praça Duó, na Barra da Tijuca (RJ), a final do Park feminino foi dominada pelas japonesas, com Misugu Okamoto (62.67) e Sakura Yosozumi (58.00) nas duas primeiras colocações. A britânica Sky Brown (55.00) fechou o pódio. Representante do Brasil na final, Dora Varella terminou na sétima posição.

Misugu Okamoto em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

Como havia prometido, Sky Brown irá doar o dinheiro de sua premiação para o projeto social Coletivo Skate Maré, que visitou no início da semana: “Eu estou muito feliz de estar no pódio porque vou doar meu dinheiro para Favela da Maré. Queria muito fazer isso. Me deixa ainda mais feliz por estar ajudando várias pessoas. É bem legal!”, celebrou a jovem atleta, de apenas 11 anos.

Sky Brown em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

Na final do Street Feminino, a dobradinha foi brasileira. Com um backside smith grind no corrimão na última manobra da prova, a campeã mundial Pamela Rosa (18.49) superou a campeã brasileira Rayssa Leal (17.09) e conquistou o bicampeonato no Oi STU Open. A medalha de bronze ficou com a japonesa Aori Nishimura (15.60).

Rayssa Leal em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

Com seis representantes entre os oito finalistas, os americanos tomaram conta do Park masculino e garantiram as cinco primeiras posições. Cory Juneau (90.50) foi o campeão, seguido por Jagger Eaton (89.25) e Ben Hatchell (85.00). O brasileiro Pedro Barros, que defendia seu título no Rio, não conseguiu encaixar boas voltas e terminou a prova em sétimo.

Cory Juneau em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

“Foi uma grande experiência. Eu não consegui andar nos três primeiros dias porque machuquei o tornozelo. Não sabia como ia fazer, mas vim aqui para dar o melhor. Fiz minha volta e estou superfeliz de estar aqui agora. Ainda não consigo acreditar!”, comemorou o campeão.

Para fechar as competições, o Street masculino foi bastante disputado e terminou com diferenças bem apertadas. Sora Shirai (35.34) conquistou a medalha de ouro com apenas um décimo acima de Jake Ilardi (35.24), enquanto o brasileiro Lucas Rabelo (34.39) garantiu sua vaga no pódio por um único centésimo.

Lucas Rabelo em ação. Foto: Julio Detefon – CBSk

“Apesar de ter errado a primeira linha, eu estava bem confiante, conseguindo manter o foco para acertar as manobras que eu tinha planejado. Errei algumas, mas acertei as que eu queria e estou feliz por isso”, disse Lucas.

A disputa de Park do Oi STU Open abriu a segunda janela de classificação olímpica e valeu como uma etapa do Pro Tour, distribuindo valiosos 60 mil pontos para o primeiro colocado. Já no Street, a etapa somou 40 mil pontos para o campeão, valendo como um Five Stars. Ao todo, mais de 200 atletas de 39 nacionalidades participaram da competição.

Confira os resultados completos das finais:

// PARK FEMININO

1 – Misugu Okamoto (JAP) – 62.67
2 – Sakura Yosozumi (JAP) – 58.00
3 – Sky Brown (GBR) – 55.00
4 – Brighton Zeuner (EUA) – 51.00
5 – Poppy Starr Olsen (AUS) – 47.50
6 – Jordyn Barratt (EUA) – 43.00
7 – Dora Varella (BRA) – 42.50
8 – Bryce Wettstein (EUA) – 24.10

// STREET FEMININO

1 – Pamela Rosa (BRA) – 18.49
2 – Rayssa Leal (BRA) – 17.09
3 – Aori Nishimura (JAP) – 15.60
4 – Roos Zwetsloot (HOL) – 12.88
5 – Gabriela Mazetto (BRA) – 12.57
6 – Virgínia Fortes Águas (BRA) – 10.47
7 – Alexis Sablone (EUA) – 9.94
8 – Mariah Duran (EUA) – 9.60

// PARK MASCULINO

1 – Cory Juneau (EUA) – 90.5
2 – Jagger Eaton (EUA) – 89.25
3 – Ben Hatchell (EUA) – 85.00
4 – Thomas Scharr (EUA) – 84.50
5 – Alex Sorgente (EUA) – 84.25
6 – Oskar Rozenberg Hallberg (SUE) – 84.00
7 – Pedro Barros (BRA) – 83.00
8 – Gavin Rune Bottger (EUA) – 82.43

// STREET MASCULINO

1 – Sora Shirai (JAP) – 35.34
2 – Jake Ilardi (EUA) – 35.24
3 – Lucas Rabelo (BRA) – 34.39
4 – Dashawn Jordan (EUA) – 34.38
5 – Yuto Horigome (JAP) – 12.57
6 – Angelo Caro Narvaez (PER) – 29.04
7 – Nyjah Huston (EUA) – 25.96
8 – Kelvin Hoefler (BRA) – 25.92

SÁBADO – O tempo abriu com a chegada do final de semana e tivemos um sábado de muito skate na Praça Duó, na Barra da Tijuca (RJ). A classificatória do Park masculino do Oi STU Open foi completada logo pela manhã e o dia seguiu com a disputa das semis masculinas e femininas em ambas as modalidades (Park e Street). Ao todo, oito atletas brasileiros carimbaram seus passaportes para as finais deste domingo.

Gabriela Mazetto em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

No Street feminino, as brasileiras mandaram ver e garantiram metade das oito vagas na final de amanhã. Pamela Rosa (14.64), Rayssa Leal (11.88) e Gabriela Mazetto (11.83) lideraram com as maiores notas. Competidora da casa, a carioca Virgínia Fortes também avançou para a grande decisão.

“Estou muito feliz de ter passado em primeiro. Não acertei todas as manobras que eu queria, mas ainda tem muito campeonato pela frente. Feliz que tem bastante brasileiros nas finais e amanhã o alto nível do skate vai estar muito grande”, disse Pamela.

No masculino, o americano Nyjah Huston deu um show. Além de levantar o público que esteve presente nas arquibancadas, o líder do ranking olímpico terminou com a maior nota das semifinais (33.30), superando Sora Shirai (33.27) e Angelo Caro Narvaez (33.12), e ainda prometeu mais para amanhã. Os brasileiros Lucas Rabelo e Kelvin Hoefler também se garantiram entre os oito finalistas.

Nyjah Huston em ação. Foto: Julio Detefon – CBSk

“Hoje foi um grande dia, eu me classifiquei e é isso que importa. Estou animado e amanhã eu vou mostrar muito mais manobras do que eu mostrei hoje!”, disse Nyjah.

No Park, a disputa entre os homens foi acirradíssima, com o campeão mundial Heimana Reynolds ficando de fora da decisão e o brasileiro Pedro Barros, que busca o bi no Rio, garantindo sua vaga somente na última volta. As três maiores notas da etapa ficaram com os americanos Alex Sorgente (87.50), Ben Hatchell (85.33) e Jagger Eaton (83.50).

Pedro Barros em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

“A gente tá aqui tentando se superar, passar uma mensagem maior. Quando eu vejo todo mundo gritando e torcendo, eu falo: ‘Agora é a hora de eu sair da zona de conforto e fazer por estas pessoas que vieram aqui, estão torcendo e passando energia para a gente ir bem’. Aqui no Brasil a gente sempre conta com o fator torcida”, comemorou Pedro.

Já na disputa feminina, a japonesa Misugu Okamoto (62.00) garantiu a primeira colocação, seguida pela britânica Sky Brown (57.00) e a americana Brighton Zeuner (48.00). Dora Varella é quem representa o Brasil na grande final.

Dora Varella em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

SEXTA-FEIRA – Depois de uma quinta-feira marcada por chuvas e interrupções, na competição, as baterias da etapa classificatória masculina foram retomadas ao fim da noite – no Street – e continuaram nesta sexta em ambas as modalidades. Com as pistas liberadas, os atletas brasileiros deram show e se destacaram, garantindo três vagas nas semifinais do Street e as quatro primeiras posições na parcial do Park. Neste sábado, a disputa continua com o fim das classificatórias do Park e, em seguida, as semifinais. O Oi STU Open acontece até domingo na Praça Duó, na Barra da Tijuca (RJ).

No Park, as baterias classificatórias foram retomadas pela manhã e os brasileiros logo se destacaram na competição: Augusto Japinha (78.07), Felipe Foguinho (73.60), Vi Kakinho (73.20) e Luigi Cini (73.00) garantiram as melhores notas até aqui.

Felipe Foguinho em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

“Essa bateria foi uma das mais complicadas da minha vida porque, na verdade, ela começou ontem. Choveu bem na minha volta, ficou aquela tensão do vai-e-volta. Aí, você tem que colocar aquele mindset positivo mesmo com tudo dando errado. Na primeira volta não consegui chegar aonde eu queria, mas na última tudo saiu certinho. Estou amarradão de ter conseguido e amanhã estou aí para andar de novo”, comentou Foguinho.

“A minha bateria foi a mais comprida do campeonato inteiro. Começou ontem às 9h da manhã e acabou 12h de hoje. Foi muito massa estar com o Hugo Montezuma e o Felipe Foguinho, que são grandes amigos meus, andando na mesma bateria. Estou bem animado pro fim de semana. Fiz duas voltas boas, estou com uma nota alta e daqui para frente é só aumentar o nível”, disse Japinha.

Já na parte da noite, um acidente sofrido pelo americano Kevin Kowalski suspendeu a disputa, que será finalizada na manhã deste sábado. O atleta, que sofreu uma forte queda durante o treino, foi prontamente atendido pela equipe médica e encaminhado ao hospital, onde passa por exames.

Já no Street, a disputa da classificatória foi completa. O primeiro colocado foi o brasileiro Felipe Gustavo (72.33), que superou o americano Chris Joslin (70.03) e o compatriota Ivan Monteiro (64.89) já na última bateria. O brasileiro Luan Oliveira também garantiu sua vaga na semi.

Os atletas pré-classificados pelo ranking olímpico fazem sua estreia neste sábado. Entre os grandes nomes do Park, estão os brasileiros Pedro Barros, Luiz Francisco, Pedro Quintas, Mateus Hiroshi e Murilo Peres; os americanos Heimana Reynolds, atual campeão mundial, e Alex Sorgente; e o australiano Keegan Palmer. No street, o brasileiro Kelvin Hoefler e o americano Nyjah Huston, que dispensa apresentações, estão entre os principais nomes no Street.

QUINTA-FEIRA – Depois da trégua de quarta-feira, a quinta-feira, dia 14, foi de chuva na Cidade Maravilhosa. E pista molhada e skate não combinam. Por conta disso, as disputas da fase classificatória do Oi STU Open – tanto do Street, quanto do Park – que acontece na Barra da Tijuca, foram paralisadas por volta de 10h40, no meio da segunda bateria. À noite, a chuva deu uma trégua e permitiu a retomada das atividades nas pistas com bateria no Street e treinos do Park. Entre os poucos skatistas que entraram na pista, no Park, destaque para o brasileiro Augusto Akio, que andou muito e terminou a sua bateria em primeiro colocado.

Augusto Akio em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

QUARTA-FEIRA – Depois de dias chuvosos na segunda e terça-feira, o sol apareceu e as meninas puderam entrar na pista. Ao todo, 19 skatistas do Street e 17 do Park se classificaram para as semifinais do Oi STU Open. Entre as classificadas estão as brasileiras Victória Bassi, Erica Leguizamon, Camila Borges e Bia Sodré (Park) e também Isabelle Menezes, Rafaela Murbach, Giovana Dias e Ariadne Souza (Street).

Victória Bassi em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

As meninas encontram as skatistas pré-classificadas (de acordo com o ranking olímpico) na fase semifinal. Entre as brasileiras já pré-classificadas estão: Pamela Rosa, Rayssa Leal, Virginia Fortes, Gabriela Mazzetto e Isabelly Ávila (Street); e Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp (Park).

Virginia Fortes em ação. Foto: Julio Detefon – CBSk

A disputa contou com a presença dos principais atletas do mundo nas modalidades Park e Street e vale importantes pontos na corrida pela vaga olímpica. Alunos do projeto NAVE vieram conhecer de perto o maior evento de skate e cultura urbana da América Latina. Também foi dia de lançamento de livro por aqui: “Entre o skate e o tráfico”, do jornalista Victor Costa, sobre a história do skatista Anderson Stevie.

Lançamento de livro de Victor Costa, sobre a história de Anderson Stevie. Foto: Pablo Vaz – Oi

Ao todo, 33 atletas do park feminino e 35 do street feminino – incluindo as ex-campeãs mundiais Julia Brueckler (Áustria) e Lacey Baker (EUA) – fizeram sua estreia no torneio em busca de vagas nas semifinais. No street, a holandesa Roos Zwetsloot (35.34), a americana Samarria Brevard (32.21) e a belga Lore Bruggeman (30.21) garantiram as maiores pontuações do dia. Entre as 19 classificadas da modalidade estão também as brasileiras Isabelle Menezes, Rafaela Murbach, Giovana Dias e Ariadne Souza, além da austríaca Julia Brueckler, campeã mundial em 2016.

Ariadne Souza em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

“Foi uma bateria muito boa. Eu fiquei feliz com a volta que eu dei. Gostei muito da pista. É difícil iniciar o trajeto, mas quando você consegue é bem legal de andar”, analisou Roos, que também comentou sobre a cidade e a melhora do tempo. “Eu estou adorando o Rio. A cidade é maravilhosa e a praia é bem maneira. Estou feliz que a chuva parou e a gente pode andar legal hoje.”

“Achei a pista muito massa. Tem todos os obstáculos: corrimão, escada, quarter, tudo perfeito. Eu consegui fazer uma primeira volta boa, a segunda foi mais ou menos porque eu torci o pé no aquecimento, mas correu tudo bem. Estou bem animada com este evento porque é meu primeiro mundial. Senti uma vibe boa, gostei muito de ter participado.”

Já no park, a americana Jordyn Barratt foi quem ficou com a maior nota da prova: 40.17, seguida pela australiana Taniah Meyers (38.17) e pela também americana Brighton Zeuner (37.80). Entre as brasileiras, Victória Bassi, Erica Leguizamon, Camila Borges e Bia Sodré carimbaram o passaporte para a semifinal.

Brighton Zeuner em ação. Foto: Pablo Vaz – Oi

“Acho que a pista tá bem legal, o que valoriza o talento de todos os skatistas. Todo mundo mandou muito bem mesmo com a chuva e sem treinos. Foi incrível. Eu estou muito feliz que me classifiquei e vou me divertir competindo com as outras meninas”, celebrou Brighton.

Melhor colocada entre as brasileiras, a jovem Victória Bassi, de 12 anos, se mostrou bastante empolgada com sua performance e com o evento: “Eu fiquei super feliz de acertar minhas duas voltas. Para mim, ter passado foi um alívio. O que mais importa é estar aqui me divertindo com as meninas e fazendo o que eu amo. A pista tá irada, amei muito. O evento tá enorme, na final então vai estar lotada.”

As meninas encontram as skatistas pré-classificadas (de acordo com o ranking olímpico) na fase semifinal, prevista para a sexta-feira, dia 15. Entre as brasileiras já pré-classificadas estão: Pamela Rosa, Rayssa Leal, Virginia Fortes, Gabriela Mazzetto e Isabelly Ávila (street) e Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp (park).

A disputa conta com a presença dos principais atletas do mundo nas modalidades park e street e vale importantes pontos na corrida pela vaga olímpica. Depois da classificatória feminina, foi a vez dos atletas do masculino treinarem.

Atletas classificadas:

//PARK

1 – Jordyn Barratt
2 – Taniah Meyers
3 – Brighton Zeuner
4 – Madeleine Larcheron
5 – Nicole Hause
6 – Julia Benedetti
7 – Victória Bassi
8 – Amelia Brodka
9 – Lilly Stoephasius
10 – Jiayi Lou
11 – Minna Stess
12 – Evelyn Marysol Enriquez
13 – Erica Leguizamon
14 – Camila Borges
15 – Bia Sodré
16 – Lucrezia Zarattini
17 – Bombette Martin

//STREET

1 – Roos Frederique Cornélie Anna Zwetsloot
2 – Samarria Brevard
3 – Lore Bruggeman
4 – Charlotte Hym
5 – Sarah De Laet
6 – Isabelle Menezes
7 – Rafaela Murbach
8 – Itzel Granados Flores
9 – Giovana Dias
10 – Kaya Isa
11 – Momiji Nishiya
12 – Rizu Akama
13 – Andrea Benitez
14 – Meagan Guy
15 – Vianez Morales
16 – Julia Brueckler
17 – Wenhui Zeng
18 – Ariadne Souza
19 – Jazmín Alexandra Álvarez Bedoya

Ao final do dia, foi a vez da programação cultural movimentar a Praça Duó, com a abertura da exposição de Bruno Big, que assina a identidade visual do evento, na STU Gallery, além da apresentação do documentário DUÓ: A PRAÇA DO SKATE, uma realização do Canal OFF e RDN.

Festival de cultura urbana:

No STU Store, produtos exclusivos STU + Oi STU Open, como bonés, camisas e shapes personalizados. A STU Street Fair funciona de 10h às 20h, com o objetivo de fomentar o mercado de skate/streetwear, com marcas como Drop Family, Diamond, DGK, Grizzly, Urgh, Evoke, Altai, Mufa, Britneys Crew, Vans, Burnkit, Fomo Vertical, Rexpeita, Soma, Surfland e Escafandro. Na quinta também, de 10h às 20h, começam os obstáculos modulares skatáveis para o público – a Burnkit.

Feira em ação. Foto: Diego Padilha – Oi

A OI E O ESPORTE

A Oi acredita no potencial de transformação do esporte e patrocina grandes eventos esportivos como o Oi STU Open, Oi Rio Pro, Oi Pro Júnior – voltado para a categoria de base do surfe. Além de apoiar atletas de diferentes modalidades, como os skatistas Pedro Barros e Leticia Bufoni, e os surfistas Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima, Adriano de Souza, Tatiana Weston-Webb, Davizinho e Tainá Hinckel, a companhia acelerou, em parceria com o Instituto Ekloos e apoio do Oi Futuro, 5 projetos de surfe na Região dos Lagos, que são voltados para a população local. Também patrocina a equipe de judô Oi Sogipa, no Rio Grande do Sul.

A companhia também valoriza a cultura Geek e o eSports, apoiando eventos como a Game XP, CCXP, o Prêmio eSports e o projeto Afrogames, uma escola de games voltada para crianças de comunidades, em Vigário Geral (RJ), além de investir e incentivar plataformas digitais como o Final Level.

Sobre a World Skate:

A World Skate, fundada em 1924 na Suíça, promove o desenvolvimento global do skate e dos esportes de patinação. Providenciando uma plataforma moderna para o gerenciamento de todas as modalidades, a entidade apoia a autonomia e promove a autenticidade em sua governança. Atualmente, a World Skate reconhece 124 Federações Nacionais. Para maiores informações, por favor visite o site: www.worldskate.org

Sobre a Confederação Brasileira de Skate (CBSk):

Criada para encarar os desafios futuros do skate a partir do Século XXI, a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) é responsável pela regulamentação e gestão do esporte no Brasil. Fundada em 6 de março de 1999, a entidade comemora 20 anos de crescimento e amadurecimento, ajudando e unindo gerações, com muito esforço e orgulho, através das 4 rodinhas.

Sobre a Plataforma STU:

A plataforma STU celebra a essência do skate, promovendo as principais competições de Street e Park da América Latina e do mundo, com os maiores nomes da atualidade, estimulando o desenvolvimento de cenas nacionais da cultura urbana, e gerando um impacto socioeconômico positivo e transformador por todo o Brasil, através de ações de inclusão social e construção e reformas de pistas de skate.

A plataforma, que teve início de maneira grandiosa em 2017, explodiu em 2018 com a consolidação do circuito brasileiro de skate e a formação da Seleção Brasileira de 2019, válido como ranking da CBSk. Um marco na história do esporte, potencializando esse novo momento rumo aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Muito mais que esporte, o STU acredita que o skate é rua, é música, é arte e estilo de vida. O skate junta, conecta e impulsiona as pessoas. O conceito da plataforma STU é de valorização das mais diversas manifestações urbanas regionais, para garantir ainda mais visibilidade à cena da cultura local, encontrada nas cidades por onde os eventos passam.

Nesse ano, a plataforma ficou ainda mais consistente com a chancela dos eventos também pela World Skate, trazendo ainda mais protagonismo para o Brasil, com competições importantes e de alta pontuação para a corrida olímpica.

VEJAM ABAIXO OS VÍDEOS COM OS MELHORES MOMENTOS DO OI STU OPEN:

Apresentado pela Oi, que assina o naming rights do evento, o Oi STU OPEN é viabilizado pela Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. Conta com o apoio da Vans e TNT Energy Drink, parceria do Canal OFF e Grupo Coruja, além do apoio institucional da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Rioeventos e da Riotur. O Oi STU OPEN é homologado pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk), Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e World Skate. A idealização e realização são da Rio de Negócios.

Reportagem: Camila Coimbra, Matheus Wenna e Agata Cunha – Média Guide

Edição: Edson Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72