NFTs. Surf Junkie Club – Empresários surfistas fundaram um Clube de investimento digital

Publicado por AdrenaNews 0

Os NFTs, sigla em inglês para “non-fungible tokens”, que se traduz para o português como “tokens não fungíveis”, é um tipo de investimento digital. Pensando nisto no Brasil um grupo de empresários surfistas e visionários, fundaram o NFTs, Surf Junkie Club (SJC).

Marcello Serpa em ação. Foto: Arquivo Pessoal

Nos últimos anos, o surfe ganhou destaque na mídia brasileira, com uma nova geração de atletas conquistando títulos mundiais e status de celebridades. Mas do que apenas um esporte, o surfe é uma comunidade constituída em pilares como espiritualidade, estilo de vida e inovação. A Surf Junkie Club (SJC), NFTs, projeto com criação de Marcello Serpa que junto com os fundadores Felipe Baracchini, Matheus Bombig, Caio Mattoso, Ricardo Zago e Natan Baril estão colocando os seus conhecimentos, nesta nova empreitada.

Felipe Baracchini em ação. Foto: Arquivo Pessoal

É sobre este alicerce comunal que chega ao mercado o Surf Junkie Club (SJC), projeto que utiliza a ascensão da web 3.0 para conectar surfistas no mundo todo.

Logo da Surf Junkie Club.

Entre as propostas desenvolvidas pelo Surf Junkie Club (SJC) que serão apresentadas em breve à comunidade, está uma oferta de experiências exclusivas como acesso a piscinas de ondas, resorts e barcos em locais internacionais de surfe, interação com lendas do esporte, criação especializada de conteúdos e um marketplace de produtos oficiais da marca Surf Junkie Club.

Matheus Bombig em ação. Foto: Carmel Fotos

Além disso, os fundadores destacam a oportunidade de participação e colaboração dos membros no board do SJC, um canal na rede Discord para propostas e deliberação descentralizada de ideias para o clube e também para questões sociais e ambientais. Acessível apenas para as carteiras com pelo menos uma “Surf Junkie NFT”, o board estará ativo após o dia da venda aberta das NFTs ao público, mais conhecido como “dia do MINT”.

Idealizada a partir do surgimento do blockchain, em 2008, e a consequente emergência de soluções de finanças descentralizadas (DeFi), a web 3.0 aponta uma nova era na internet, onde o fluxo de dados, capital e influência não estarão concentrados em servidores de grandes plataformas, mas serão geridos por aplicações descentralizadas (dapps), desenvolvidas em código aberto e disponíveis a todos os usuários.

Dentre as ferramentas com maior capilaridade neste novo ambiente estão as NFTs (non-fungible token), um registro na blockchain que verifica a posse de um ativo digital. Apesar de cópias de ativos digitais continuarem a existir e permitir que informações, imagens, vídeos e músicas digitais continuem a atingir pessoas do mundo todo a custo quase nulo, agora é possível assegurar a propriedade daquele ativo digital. A tecnologia é nova e tem ganhado repercussão na mídia, com vendas milionárias de obras de arte e outras propriedades raras. Mas o seu potencial extrapola a monetização de ativos digitais e pode revolucionar a forma como entidades, empresas e o público organizam seus territórios de interesse, fomentando a criação de comunidades mais coesas, democráticas e com grande impulso à economia circular.

É exatamente este potencial da NFT que o Surf Junkie Club pretende explorar. Formado por um time multidisciplinar de profissionais consagrados em suas áreas e que compartilham a paixão pelo surfe, o projeto trará uma coleção criada por Marcello Serpa, um dos designers mais premiados do Brasil. Gerados de modo programático e hospedados na blockchain Ethereum, as NFTs do SJC terão suas emissões de carbono compensadas e funcionarão – para além de seu valor intrínseco como propriedades rentabilizáveis – como credenciais de acesso ao clube e ao mundo do surf, através de utilidades exclusivas aos membros criadas a partir do relacionamento e experiências pessoais dos fundadores do projeto com grandes nomes como Kelly Slater, Gabriel Medina e Donavon Frankenreiter, entre outros.

Com isso, mais do que a comercialização de ativos, o Surf Junkie Club (SJC) propõe a construção de uma comunidade internacional de surfistas para viver e influenciar positivamente a cultura surfe e sua economia circular.Gerados a partir de centenas de atributos desenvolvidos por Serpa – como expressões, cabelos, roupas, pranchas, acessórios, paisagens, entre outros – cada “Surf Junkie NFT” poderá ser comercializado após o MINT no Open Sea, principal marketplace de NFTs do mundo, onde estão hospedados algumas das maiores coleções de sucesso, como o “Crypto Punks” e o “Bored Ape Yatch Club” (BAYC).

CONHEÇA ABAIXO OS FUNDADORES DO SURF JUNKIE CLUB (SJC):

DESIGNER – MARCELLO SERPA: Designer, criativo, publicitário e surfista. Estudou artes visuais e gráficas na Alemanha. Diretor de arte mais premiado do Brasil, Em 2015, ao se retirar da sociedade da AlmapBBDO, onde ganhou mais de 170 leões e por duas vezes como agência do ano no festival de Cannes, foi homenageado com o Leão de São Marcos do Festival de criatividade de Cannes pela sua contribuição à indústria da comunicação. Hoje se dedica ao design, artes plásticas e as ondas do Havaí.

COMUNIDADE – FELIPE BARACCHINI: Um aficionado do surfe no mercado publicitário, atualmente pilota e testa produtos digitais na ABInBev, mas já trabalhou como criativo na agência África, transmissão ao vivo da World Surf League no Brasil, EUA e Europa, além de ter sido um dos fundadores do Broou, que lançou em 2014 o primeiro aplicativo com sistema próprio de previsão de ondas ‘mobile-first’, eleito 2x vezes “app of the day” pela Apple.

MARCA – CAIO MATTOSO: É um diretor de criação premiado nos principais festivais de criatividade do mundo (entre eles Cannes, One Show e D&AD) com projetos feitos para marcas como Nike e Old Spice. Hoje, Caio integra o time criativo global da Wieden+Kennedy de Portland, nos EUA.

TECNOLOGIA – RICARDO ZAGO: CEO da Avalon Blockchain Consulting e professor de graduação da FIAP, Experiência de 20+ anos em TI, Digital Marketing e Gerenciamento de Projetos. Por anos trabalhou em grandes empresas como BASF e Accenture. Entusiasta e apaixonado pela tecnologia Blockchain. Se desafia no aprendizado contínuo para a construção de projetos descentralizados onde acredita ser o futuro da nova internet, a Web3.

NEGÓCIOS – MATHEUS BOMBIG: Engenheiro formado pela Unicamp, trabalhou seis anos em consultoria estratégica. Pediu demissão para empreender: Cofundou e atualmente ocupa a posição de CEO da Invenis há 7 anos. Cofundou e é conselheiro
da AB2L.

JURÍDICO – NATAN BARIL: Advogado e Sócio do escritório Baril Advogados Associados; altamente especializado em Franchising e Propriedade Intelectual. Indicado desde 2010 como um dos “Advogados Mais Admirados do País” na área de Propriedade Intelectual e direito empresarial. Indicado desde 2016 pelo anuário internacional “Who´s Who Legal”, como referência mundial na especialidade Franchising. Atual Diretor Internacional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) e Conselheiro Institucional da Federação Ibero-americano de Franquias.

MULTIDISCIPLINARIDADE E CONVERGÊNCIA: O Surf Junkie Club (SJC) é um empreendimento colaborativo desenvolvido com a dedicação e comprometimento dos fundadores junto a um time internacional formado por 20 profissionais renomados em suas áreas de atuação, que compartilham e vivem o amor pelo surfe. A convergência de experiências e expertises proporcionam ao projeto uma robustez técnica, jurídica e mercadológica sem paralelos na comunidade. Afinal, não basta dominar a tecnologia, é necessário conhecer a fundo, respeitar e viver na comunidade do surfe para poder utilizá-la de forma positiva.

LINKS:

Site: https://surfjunkieclub.io/

Discord: https://discord.gg/hk3Vddxb9r

Twitter: https://twitter.com/SurfJunkieClub

Instagram: https://www.instagram.com/surfjunkieclub

Reportagem: Eduardo Filho – Casa do Bom Conteúdo

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas