MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl – Definidas as baterias do 01º round em Peniche.

Publicado por AdrenaNews 0

Já estão definidas as baterias do 01º round da 03º etapa do WSL Championship Tour 2022. O prazo do MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl nas ondas de Supertubos, começa dia 03 de março, em Peniche. O fuso horário de Peniche é de 03 horas a mais de Brasília, então, se as baterias começarem às 8h00 em Portugal, serão 5h00 da manhã no Brasil.

Italo Ferreira em ação. Foto: Laurent Masurel – World Surf League

Assim como nas duas primeiras etapas no Havaí, o evento poderá ser assistida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL e com transmissão no Brasil pelo Globoplay, GE.Globo.com e a partir das quartas de final pelos canais Sportv.

Devido a pandemia, esta etapa não foi realizada em 2020 e 2021 e Italo Ferreira ganhou as duas últimas edições, em 2018 e 2019. O campeão olímpico vai iniciar a busca pelo tricampeonato na quarta bateria, estreando junto com o também potiguar Jadson André e o português Vasco Ribeiro.

Os melhores surfistas do mundo já estão escalados para estrear nas ondas de Supertubos. Gabriel Medina e o contundido Yago Dora, não retornam nesta etapa e Caio Ibelli segue substituindo o tricampeão mundial na seleção brasileira. Caio é uma das surpresas do início da temporada nas ondas épicas de Pipeline e de Sunset Beach, no Havaí. Ele chegou nas semifinais das duas etapas e ocupa a quarta posição no ranking liderado por outro surfista que competiu como convidado nos dois eventos, o havaiano Barron Mamiya.

Caio Ibelli em ação. Foto: Tony Heff – World Surf League

A categoria feminina também mostrou uma troca de guarda. Uma convidada surpreendeu a pentacampeã mundial Carissa Moore na final do Billabong Pro Pipeline, a também havaiana Moana Jones Wong. Em Sunset Beach, mais quatro surfistas que nunca tinham vencido uma etapa do CT, chegaram nas semifinais. A decisão do Hurley Pro valia a liderança do ranking e a costa-ricense Brisa Hennessy derrotou a havaiana Malia Manuel, para competir com a lycra amarela da WSL no MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl, junto com Barron Mamiya.

Brisa Hennessy em ação. Foto: Tony Heff – World Surf League

A brasileira Tatiana Weston-Webb não começou bem no Havaí, parou nas oitavas de final das duas etapas e ocupa a 14.a posição no ranking. A vice-campeã mundial de 2021 está bem longe do grupo das top-5 que disputarão o título de 2022 no Rip Curl WSL Finals e fora até da lista das dez que seguirão competindo na segunda metade da temporada. O campeão mundial de 2019 e campeão olímpico, Italo Ferreira, também está fora dos top-5, mas é o 16.o do ranking, entre os 22 que permanecerão no CT após a quinta etapa.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Brent Bielman – World Surf League

Mas, Italo está animado. Em entrevista ao site Waves, disse que já surfou mais tubos em Supertubos nos últimos dias, do que todas as vezes que foi para o Havaí. Só que foi com seus aéreos espetaculares, que ele ganhou esta etapa duas vezes. O bicampeonato em 2019, foi sacramentado com a terceira e última nota 10 da sua carreira no CT. Foi também em Portugal, que Italo fez sua primeira final como top da WSL em 2015, com Filipe Toledo vencendo o verdadeiro show de aéreos daquela decisão brasileira em Supertubos.

Filipe Toledo em ação. Foto: Damien Poullenot – World Surf League

ESTREIA EM PORTUGAL: Italo e Jadson André estão na única bateria com participação dupla do Brasil. Nesta rodada inicial, os dois melhores avançam direto para a terceira fase, mas os últimos colocados têm uma segunda chance de classificação na repescagem. O primeiro a competir será um dos novatos da seleção brasileira, Samuel Pupo. Ele está na segunda bateria com o também estreante na elite, Imaikalani Devault, do Havaí, e o maior ídolo do esporte, Kelly Slater, que começou o ano conquistando em Pipeline a 56.a vitória da sua carreira.

Jadson André em ação. Foto: Daniel Smorigo – World Surf League

Na terceira bateria, o peruano Lucca Mesinas enfrenta o vice-campeão do Billabong Pro Pipeline e vice-líder do ranking, Seth Moniz, do Havaí, além do australiano Owen Wright. A disputa seguinte é a do Italo com o Jadson e na quinta bateria estreia o atual vice-campeão mundial, Filipe Toledo, junto com o australiano Connor O`Leary e um dos convidados do MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl, o francês Justin Becret.

Lucca Mesinas em ação. Foto: Brent Bielmann – World Surf League

MAIOR NOTA NO CT: Depois, tem Caio Ibelli defendendo a quarta posição no ranking na sétima bateria, contra o norte-americano Conner Coffin e o único português top da elite, Frederico Morais. Foi nas ondas de Supertubos, que Caio conseguiu sua maior nota em etapas do CT, 9,77, na derrota para Gabriel Medina na terceira fase, quando também competia como convidado. Na nona bateria, Deivid Silva terá uma parada duríssima contra o líder do ranking, Barron Mamiya, e o sexto colocado, Ethan Ewing, da Austrália.

Deivid Silva em ação. Foto: Tony Heff – World Surf League

Na décima, tem João Chianca contra o australiano Jack Robinson e o italiano Leonardo Fioravanti. E na 11.a, Miguel Pupo fecha a participação da seleção brasileira na primeira fase do MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl. Ele iniciou muito bem a temporada 2022, só parando nas semifinais do Billabong Pro Pipeline. Mas, caiu de terceiro para nono no ranking em Sunset Beach. Miguel vai enfrentar os australianos Morgan Cibilic e Ryan Callinan.

Joao Chianca em ação. Foto: Tony Heff – World Surf League

CAMPEÃS AUSENTES: Enquanto Italo Ferreira vai tentar o tricampeonato em Portugal, a campeã da última etapa do CT em Peniche, não poderá defender seu título de 2019. A norte-americana Caroline Marks segue tratando da contusão sofrida no Havaí e será substituída pela australiana Bronte Macaulay. E a campeã do Billabong Pro Pipeline, Moana Jones Wong, que competiu como convidada também no Hurley Pro Sunset Beach, é outra ausência em Portugal. A vaga de convidada desta etapa ficou para Tia Blanco, por ter vencido a competição do “The Ultimate Surfer”, disputada no último verão.

Caroline Marks em ação. Foto: Damien Poullenot – World Surf League

COVID-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19. Os procedimentos incluem triagem pré-evento em conformidade com as diretrizes estaduais e locais, que recomenda o uso de máscara em toda a arena do evento.

PRIMEIRA FASE DO MEO PRO PORTUGAL:

1.a: Jordy Smith (AFR), Jake Marshall (EUA), Jackson Baker (AUS)
2.a: Kelly Slater (EUA), Samuel Pupo (BRA), Imaikalani Devault (HAV)
3.a: Seth Moniz (HAV), Lucca Mesinas (PER), Owen Wright (AUS)
4.a: Italo Ferreira (BRA), Jadson André (BRA), Vasco Ribeiro (PRT)
5.a: Filipe Toledo (BRA), Connor O´Leary (AUS), Justin Becret (FRA)
6.a: Kanoa Igarashi (JPN), Callum Robson (AUS), Afonso Antunes (PRT)
7.a: Conner Coffin (EUA), Frederico Morais (PRT), Caio Ibelli (BRA)
8.a: John John Florence (HAV), Ezekiel Lau (HAV), Matthew McGillivray (AFR)
9.a: Ethan Ewing (AUS), Deivid Silva (BRA), Barron Mamiya (HAV)
10: Jack Robinson (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA), João Chianca (BRA)
11: Morgan Cibilic (AUS), Miguel Pupo (BRA), Ryan Callinan (AUS)
12: Griffin Colapinto (EUA), Kolohe Andino (EUA), Nat Young (EUA)

PRIMEIRA FASE DO MEO PRO PORTUGAL:

1.a: Johanne Defay (FRA), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Courtney Conlogue (EUA)
2.a: Brisa Hennessy (CRI), Isabella Nichols (AUS), Bronte Macaulay (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV), Stephanie Gilmore (AUS), Tia Blanco (EUA)
4.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Gabriela Bryan (HAV), Molly Picklum (AUS)
5.a: Malia Manuel (HAV), Tyler Wright (AUS), Luana Silva (HAV)
6.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Lakey Peterson (EUA), India Robinson (AUS)

TOP-22 DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR 2022 – 2 etapas:

1.o- Barron Mamiya (HAV) – 13.320 pontos
2.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 12.545
2.o- Seth Moniz (HAV) – 12.545
4.o- Caio Ibelli (BRA) – 12.170
5.o- Kelly Slater (EUA) – 11.330
6.o- Ethan Ewing (AUS) – 7.415
7.o- Filipe Toledo (BRA) – 6.640
7.o- Jordy Smith (AFR) – 6.640
9.o- Miguel Pupo (BRA) – 6.350
10.o- John John Florence (HAV) – 6.075
10.o- Jack Robinson (AUS) – 6.075
10.o- Ezekiel Lau (HAV) – 6.075
10.o- Jake Marshall (EUA) – 6.075
10.o- Samuel Pupo (BRA) – 6.075
10.o- Lucca Mesinas (PER) – 6.075
16.o- Italo Ferreira (BRA) – 4.650
16.o- Leonardo Fioravanti (ITA) – 4.650
16.o- Deivid Silva (BRA) – 4.650
16.o- Matthew McGillivray (AFR) – 4.650
16.o- Connor O´Leary (AUS) – 4.650
16.o- Kolohe Andino (EUA) – 4.650
16.o- Callum Robson (AUS) – 4.650
16.o- Nat Young (EUA) – 4.650
16.o- João Chianca (BRA) – 4.650

Outros sul-americanos:

25.o- Jadson André (BRA) – 3.585 pontos
35.o- Miguel Tudela (PER) – 1.330
38.o- Gabriel Medina (BRA) – 530
38.o- Yago Dora (BRA) – 530

TOP-10 DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR 2022 – 2 etapas:

1.a- Brisa Hennessy (CRI) – 14.745 pontos
2.a- Malia Manuel (HAV) – 12.545
3.a- Moana Jones Wong (HAV) – 11.045
4.a- Carissa Moore (HAV) – 10.410
5.a- Johanne Defay (FRA) – 9.490
6.a- Tyler Wright (AUS) – 8.695
6.a- Lakey Peterson (EUA) – 8.695
6.a- Gabriela Bryan (HAV) – 8.695
6.a- Bettylou Sakura Johnson (HAV) – 8.695
10.a- Isabella Nichols (AUS) – 7.355
14.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 5.220

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

TRANSMISSÃO AO VIVO – O MEO Pro Portugal apresentado pela Rip Curl será realizado com patrocínio da MEO, Rip Curl, Corona, Portugal Turismo, Red Bull, SHISEIDO, Hydro Flask, Oakley, Havaianas, Expedia, Pura Vida, EDP, Millennium, Hertz e Sambazon. O prazo desta terceira etapa do World Surf League Championship Tour 2022 começa no dia 3 e vai até 13 de março em Peniche, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo e YouTube da WSL,  e poderá ser assistida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app, pelo YouTube da WSL e com transmissão no Brasil pelo Globoplay, GE.Globo.com e a partir das quartas de final pelos canais Sportv.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas