Maui Pro apresentado pela Roxy – Tyler Wright derrota Carissa Moore na final histórica em Pipeline – Assistam ao Vídeo.

Publicado por AdrenaNews 198 views0

Tyler Wright venceu o Maui Pro apresentado pela Roxy e começou a temporada com o pé direito, na liderança do Jeep Leaderboard do World Surf League Championship Tour 2021.

Tyler Wright em ação. Foto: Keoki Saguibo / World Surf League via Getty Images

O Maui Pro apresentado pela Roxy, iniciado em Honolua Bay, na ilha de Maui e encerrado neste domingo em Pipeline, na ilha de Oahu, foi histórica onde todos presenciaram a evolução da elite do surf feminino. As finais aconteceram em condições difíceis do mar na tarde do domingo, sem muitas ondas boas entrando. A australiana, usou as manobras nas direitas do Backdoor, para derrotar a havaiana Carissa Moore por 8,34 a 7,23. A próxima etapa para os homens e as mulheres, será novamente no Havaí, de 19 a 28 de janeiro em Sunset Beach.

Carissa Moore em ação Foto: Brent Bielmann / World Surf League via Getty Images

Na grande final, as duas tentaram surfar tubos nas primeiras ondas, mas elas fecharam rápido. Depois, Tyler pegou uma direita no Backdoor e mandou um layback jogando água pra cima, seguido por uma batida forte de frontside, largando na frente com nota 5,17. A bateria foi fraca de ondas, mas a tetracampeã mundial Carissa Moore achou um tubo há 2 minutos do fim e ganhou 5,40 para assumir a ponta. Só que a australiana ainda pega outra direita no Backdoor e faz algumas manobras que valeram nota 3,17, para vencer por 8,34 a 7,23 pontos. Além do título no Maui Pro apresentado pela Roxy, Tyler Wright se tornou a primeira Pipe Master da história.

Tyler Wright levantando o troféu de primeira campeã da temporada e sendo homenageada por Carissa Moore. Foto: Keoki Saguibo / World Surf League via Getty Images

“É uma honra vencer aqui. Eu não tinha nenhuma expectativa em competir aqui, então certamente essa vitória aumentou muito a minha confiança para o restante do ano”, disse Tyler Wright. “Eu não conheço muito essa onda, porque a gente nunca treina aqui. Mas, contei com o apoio do Kekoa Bacalso, que conhece muito bem esse lugar e me posicionou no lugar certo no mar. Foi realmente desafiador, é uma onda muito perigosa, mas estou muito feliz por tudo o que a WSL fez, em nos trazer para competir aqui”.

Na primeira semifinal, Tyler Wright ganhou o duelo australiano contra Sally Fitzgibbons por 10,50 a 2,87, surfando as melhores ondas da bateria.  Na segunda bateria a havaiana Carissa Moore não deu qualquer chance à Tatiana. Ela já começou pegando um tubo que recebeu nota 7,00. Depois, pegou outro melhor ainda que quase arrancou a nota máxima dos juízes, com a média ficando em 9,60. Com essa nota, registrou a maior pontuação entre as meninas que competiram em Pipeline, 16,60 pontos.

Sally Fitzgibbons em ação Foto: Brent Bielmann / World Surf League via Getty Images

A gaúcha Tatiana Weston-Webb fez história no maior palco do esporte. Ela foi a primeira mulher a vencer uma bateria do World Surf League Championship Tour em Pipeline, contra a norte-americana Sage Erickson, pelas quartas de final.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Keoki Saguibo / World Surf League via Getty Images

“Eu queria ter surfado uns tubos para vencer minha primeira bateria aqui em Pipeline, mas acho que estar sozinha no line-up, sem o crowd, só com mais uma menina, foi muito bom”, disse Tatiana Weston-Webb, que falou sobre enfrentar a tetracampeã mundial nas semifinais. “Sem dúvida, a Carissa (Moore) é a surfista mais difícil para encarar. Algumas pessoas até falaram que sou favorita nessas condições (risos). Obrigada por acreditar em mim, mas só quero mandar bem em Pipe e ser um orgulho para o surfe feminino”.

ASSISTAM AO VÍDEO NO PLAYER ABAIXO:

WSL – DIA FINAL EM PORTUGUÊS Billabong Pipe Masters Presented By Hydro Flask / Maui Pro Presented By Roxy:

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO MAUI PRO EM PIPELINE:

Campeã: Tyler Wright (AUS) por 8,34 pontos (notas 5,17 e 3,17) – 10.000 pontos
Vice-campeã: Carissa Moore (HAV) com 7,23 pontos (5,40+1,83) – 7.800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.085 pontos:

1.a: Tyler Wright (AUS) 10.50 x 2.87 Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: Carissa Moore (HAV) 16.60 x 2.47 Tatiana Weston-Webb (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 4.745 pontos:

Bateria que abriu o último dia em Pipeline:

4.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) 8.60 x 6.30 Sage Erickson (EUA)

Últimos resultados na ilha de Maui:

1.a: Tyler Wright (AUS) 18.33 x 12.40 Stephanie Gilmore (AUS)
2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 14.37 x 11.30 Lakey Peterson (EUA)
3.a: Carissa Moore (HAV) 15.04 x 11.27 Malia Manuel (HAV)

O Billabong Pipe Masters em memória a Andy Irons apresentado pela Hydro Flask e o Maui Pro apresentado pela Roxy foram transmitidos ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, no aplicativo grátis da WSL e pelo canal ESPN. O Sunset Open, nos dias 19 a 28 de janeiro no Havaí, será a segunda das dez etapas que irão definir os top-5 e as top-5 dos rankings que definem a classificação para decidir os títulos mundiais no WSL Finals, em um único dia de competição no período de 8 a 17 de setembro em Trestles, na Califórnia.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo. Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA.

A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com.

A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo. Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com

Mais informações sobre eventos regionais – incluindo o CS, QS, Big Wave, Longboard, Pro Junior – estão disponibilizados nas páginas de eventos regionais no WorldSurfLeague.com.

Para obter mais informações, visite: worldsurfleague.com

Reportagem: João Carvalho – WSL

Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72