LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis – Sophia Medina é campeã sul-americana – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

Sophia Medina, é campeã sul-americana da temporada 2021/2022 da WSL Latin America. O título foi confirmado na sexta-feira de boas ondas na Praia Mole pelo LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis. Acessem ao link abaixo com o vídeo dos melhores momentos.

Sophia Medina em ação. Foto: Ives Alves

ASSISTAM AO VÍDEO CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Melhores Momentos: Layback Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis – Dia 3:

O show de surfe continua neste sábado, a partir das 8h00 ao vivo de Florianópolis pelo: www.worldsurfleague.com 

A catarinense Laura Raupp já havia tirado a maior nota do dia entre as meninas, para seguir na busca do bicampeonato nesta etapa que estreou em 2021. E novos recordes foram registrados por Michael Rodrigues e Wesley Leite na categoria masculina.

Wesley Leite em ação. Foto: Marcio David

Sophia Medina tem apenas 16 anos de idade e repetiu até mais jovem, o feito do seu irmão, Gabriel Medina, que conquistou o primeiro dos seus dois títulos sul-americanos de surfe profissional em 2011, com 17 anos. O primeiro lugar no ranking 2021/2022 da WSL Latin America, foi confirmado com a passagem para as quartas de final do LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis. Com os 500 pontos já garantidos no ranking, atingiu imbatíveis 4.000 pontos, somando com os mesmos 500 pontos do quinto lugar na Praia Mole em 2021 e os 3.000 da vitória na etapa de Saquarema.

Sophia Medina. Foto: Marcio David

“Nem sei o que falar, porque a ficha não caiu ainda, mas estou muito feliz”, vibrou Sophia Medina. “Eu nem sabia que seria campeã sul-americana se passasse essa bateria, então foi emocionante. Mas, toda honra e toda a glória para Deus, porque sem Ele eu não estaria aqui. Eu sempre falo que a gente não merece nada, mas eu pude treinar para colher todo o fruto do meu trabalho, junto com o meu pai, minha mãe, com o Juca, minha família toda. Agradeço aos meus patrocinadores por acreditarem em mim e agora vamos rumo ao Challenger”.

Ela dominou toda a sua bateria, que fechou a sexta-feira de chuva e céu nublado em Florianópolis, mas com boas ondas na Praia Mole. Sophia já largou na frente com notas 4,33 e 6,17 nas primeiras que surfou. Depois, conseguiu um 6,57 para totalizar 12,74 pontos. A cearense Yanca Costa ficou com a última vaga para as quartas de final, eliminando a paranaense Gabriely Vasque e a paulista Isabela Saldanha. A meta da campeã sul-americana agora é fechar a temporada com vitória na Ilha de Santa Catarina.

“Estou muito empolgada com essa conquista, mas agora é colocar a cabeça no lugar, pôr o pezinho no chão, porque esse foi só o começo desse campeonato”, disse Sophia Medina. “É preciso focar bateria por bateria, porque tem algumas baterias ainda pra passar até a final. Com certeza, o objetivo num campeonato é sempre ganhar, então tem um longo caminho ainda e, se Deus quiser, vai dar tudo certo”.

Quem também tem o mesmo objetivo é a defensora do título do LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis. A catarinense Laura Raupp iniciou sua carreira profissional com vitória em sua primeira etapa do WSL Qualifying Series, com apenas 15 anos de idade. Ela não começou bem sua bateria na sexta-feira, mas achou uma boa onda para mostrar a potência do seu surfe e conseguir a maior nota do dia entre as meninas, 8,00. Com ela, saiu do último para o primeiro lugar e já garantiu sua classificação para o Challenger Series 2022, com a passagem para as quartas de final.

Laura Raupp em ação. Foto: Marcio David

Junto com ela, estreou uma concorrente direta por vaga, Arena Rodriguez Vargas. A peruana ocupava a terceira posição no ranking regional da WSL Latin America, que indica quatro surfistas para a divisão de acesso a elite do World Surf League Championship Tour. Laura era a quarta colocada e já ultrapassou a peruana, que acabou eliminada pela cearense Juliana Santos. Arena agora pode perder a última vaga para o Challenger Series, caso a brasileira Summer Macedo chegue na grande final do LayBack Pro em Florianópolis.

“Estou muito feliz, tanto pelo resultado, como pela onda que consegui achar na bateria”, disse Laura Raupp. “Estava muito difícil, porque não vinha onda pra mim e todas as meninas estavam pegando ondas, fazendo notas. Daí me afastei um pouco delas, fui mais pra direita e graças a Deus veio a onda. Aí consegui fazer uma manobra com potência e estou mega feliz por passar essa primeira bateria. Eu estava muito nervosa, mas agora é se preparar para amanhã”.

As quartas de final femininas do LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis serão realizadas neste sábado. A primeira bateria será entre a bicampeã sul-americana de 2019 e 2020/2021, Daniella Rosas, do Peru, e a cearense Juliana Santos. Laura Raupp disputa a segunda vaga nas semifinais, com a também catarinense Kiany Hyakutake. Na bateria seguinte, a cearense Yanca Costa enfrenta outra catarinense, Maya Carpinelli. E a última é a da nova campeã sul-americana, Sophia Medina, com a concorrente pela última vaga para o Challenger Series, Summer Macedo, que sempre morou no Havaí e é filha de pais brasileiros.

Maya Carpinelli em ação. Foto: Marcio David

NOVOS RECORDES: Antes das meninas competirem na sexta-feira, os homens comandaram o show nas ondas da Praia Mole, registrando novos recordes na história do LayBack Pro em Florianópolis. O cearense Michael Rodrigues aumentou seu próprio recorde de pontos do ano passado, de 16,30 para 16,33. Ele igualou a nota 9,00, que foi a maior de 2021, com um aéreo “full rotation stalefish” incrível de frontside, colocando a mão de trás na borda da prancha.

Michael Rodrigues em ação. Foto: Marcio David

“Eu quase não acerto esse aéreo no freesurf, mas na hora estava bem confortável pra arriscar a manobra e deu certo”, disse Michael Rodrigues. “Eu estou tranquilão, já classificado para o Challenger Series que era a principal meta e fiquei a semana passada inteira sem surfar, fazendo toda a logística de viagem para a Austrália. Esse evento vou aproveitar bem mais do que o do ano passado, que eu precisava muito de um bom resultado. Eu moro aqui há mais de 10 anos, surfo quase todos os dias na Praia Mole e espero bater mais recordes de novo”.

Michael Rodrigues só tinha perdido uma das seis baterias que disputou na Praia Mole em 2021, justamente a grande final do campeonato, para o paulista Eduardo Motta. O defensor do título acabou eliminado em sua estreia no LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis, pelos também paulistas Ryan Kainalo e Kim Matheus. Michael agora pode tentar a vitória que escapou no ano passado, mas seu recorde de nota já foi batido na bateria seguinte à da sua estreia na sexta-feira, por outro paulista, Wesley Leite.

Ryan Kainalo em ação. Foto: Marcio David

Assim como Michael Rodrigues, Wesley já está garantido na lista dos dez surfistas que o ranking da WSL Latin America classifica para o Challenger Series, único caminho para se chegar na elite do World Surf League Championship Tour. Wesley acertou um aéreo muito alto de frontside com a mão na borda numa esquerda, com grande amplitude e fazendo um giro rápido na aterrissagem. Um dos cinco juízes deu nota 10 para a manobra e a média ficou 9,10, a maior das duas edições do LayBack Pro até agora.

“Eu venho treinando muito, estou aqui na Mole surfando há mais de 1 mês, treinando como nunca. Já consegui minha vaga pro Challenger Series, então é um sonho realizado e vou com tudo, com muita garra, porque nunca foi nada fácil na minha vida”, disse Wesley Leite. “Eu treino bastante os aéreos e estou feliz porque agora tenho um patrocinador de bico, a Freesurf, que dá uma motivação a mais. Estou amarradão com tudo e dedico isso ao meu irmão, minha família, amigos, patrocinadores e à Deus, por poder estar vivendo esse sonho”.

VAGAS NO CHALLENGER SERIES : A batalha pelas últimas vagas para o Challenger Series 2022 foi intensa durante toda a sexta-feira na Praia Mole. Na lista dos dez nomes indicados pelo ranking regional da WSL Latin America, sete já estão definidos, Willian Cardoso, Eduardo Motta, Alex Ribeiro, Michael Rodrigues, Wesley Leite, Marco Fernandez e Raoni Monteiro. Além deles, Robson Santos, Matheus Navarro e Santiago Muniz, chegaram em Florianópolis dentro do G-10, defendendo as três últimas vagas contra 14 surfistas com chances matemáticas.

Robson Santos e o último colocado na lista, Santiago Muniz, estrearam na segunda bateria do dia e já tiraram um concorrente da briga, Daniel Templar. Santiago é irmão mais jovem do ex-top do CT, Alejo Muniz, que mais tarde também foi eliminado e saiu da disputa por vaga no Challenger Series 2022. “Toda bateria é importante e essa primeira do campeonato, sempre tem aquela ansiedade”, disse Santiago Muniz, após a estreia com vitória. “Graças a Deus, consegui pegar duas ondas pra avançar e vamo que vamo, porque tem bastante coisa ainda para acontecer até domingo”.

Santiago Muniz em ação. Foto: Marcio David

Na bateria que Wesley Leite conseguiu a maior nota da história do LayBack Pro até agora, tinham mais dois concorrentes diretos por vagas no Challenger Series e somente um passou, o paulista Jessé Mendes. O baiano Bino Lopes foi barrado e saiu da briga pela classificação para o Challenger Series 2022. Jessé é o 11.o colocado na lista dos 10 indicados pelo ranking regional da WSL Latin America e quatro que estão atrás dele já haviam avançado, Thiago Camarão, José Francisco, Ryan Kainalo e o argentino José Gundesen.

Jessé Mendes em ação. Foto: Marcio David

“Sem dúvidas, é um evento superimportante não só pra mim, como para mais uns dez que estão ali no bololô da classificação pro Challenger Series”, disse Jessé Mendes. “O Santiago (Muniz) passou a bateria dele de manhã, o Thiago Camarão, o José Gundesen, o José Francisco também. Enfim, eu sabia que o mínimo que eu tinha que fazer era passar, senão já estava fora da briga. Agora o foco é pra próxima, porque eu tenho que passar mais baterias. Tem muita gente boa para poucas vagas, então tenho que seguir avançando”.

A batalha da classificação para o Challenger Series 2022 prossegue neste sábado na Praia Mole. Santiago Muniz defende a última vaga no G-10 na primeira bateria do dia. Robson Santos está na segunda com um concorrente direto, José Gundesen, além de um dos destaques da sexta-feira, Mateus Herdy. E Matheus Navarro, que divide a última posição no G-10 com Santiago Muniz, enfrentará os recordistas da história do LayBack Pro, Michael Rodrigues e Wesley Leite, na penúltima bateria desta quinta fase.

Mateus Herdy em ação. Foto: Marcio David

AGENDA LAYBACK: Assim como no ano passado, a LayBack Beer está promovendo uma agenda de eventos com festas em todas as noites do LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis. Na quarta-feira, aconteceu a abertura oficial na Casa Di Praia Layback. Na quinta-feira, teve a Layback Cine Session com o filme Deja-vú na Layback Basement. E os dois próximos agitos serão no John Bull na Lagoa da Conceição, com o Juicy Hip Hop Special Ed na sexta-feira e o Layback Pro Party no sábado. E no domingo, tem Sunset do Campeão na Layback Surf House. Ingressos disponíveis no www.sympla.com.br/laybackpro22.

PREFEITURA DE FLORIANÓPOLIS APRESENTA LAYBACK PRO:

BATERIAS PROGRAMADAS PARA O SÁBADO:

QUINTA FASE – 3.o=17.o lugar (200 pts) e 4.o=25.o lugar (150 pts):

1.a: Weslley Dantas (BRA), Santiago Muniz (ARG), Artur Silva (BRA), Rodrigo Saldanha (BRA)
2.a: Mateus Herdy (BRA), Robson Santos (BRA), José Gundesen (ARG), Vitor Ferreira (BRA)
3.a: Rafael Teixeira (BRA), Alan Jhones (BRA), Heitor Alves (BRA), Cauã Gonçalves (BRA)
4.a: Alex Ribeiro (BRA), José Francisco (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Mateus Sena (BRA)
5.a: Adriano de Souza (BRA), Marco Fernandez (BRA), Krystian Kymerson (BRA), Kim Matheus (BRA)
6.a: Thiago Camarão (BRA), Edgard Groggia (BRA), Daniel Adisaka (BRA), Ryan Kainalo (BRA)
7.a: Michael Rodrigues (BRA), Wesley Leite (BRA), Matheus Navarro (BRA), Heitor Mueller (BRA)
8.a: Jessé Mendes (BRA), Ian Gouveia (BRA), Marcos Correa (BRA), Caetano Vargas (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 250 e 500 pontos:

1.a: Daniella Rosas (PER) x Juliana Santos (BRA)
2.a: Laura Raupp (BRA) x Kiany Hyakutake (BRA)
3.a: Yanca Costa (BRA) x Maya Carpinelli (BRA)
4.a: Sophia Medina (BRA) x Summer Macedo (BRA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA NA PRAIA MOLE:

QUARTA FASE – entrada dos 32 principais cabeças de chave:
——3.o=33.o lugar (66 pontos) e 4.o=49.o lugar (60 pontos)

01: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Vitor Ferreira (BRA), 3-Geovane Ferreira (BRA), 4-Diego Aguiar (BRA)
02: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Robson Santos (BRA), 3-Daniel Templar (BRA), 4-Ricardo João (BRA)
03: 1-José Gundesen (ARG), 2-Artur Silva (BRA), 3-Tomas Lopez Moreno (ARG), 4-Victor Bernardo (BRA)
04: 1-Mateus Herdy (BRA), 2-Rodrigo Saldanha (BRA), 3-Alejo Muniz (BRA), 4-Messias Felix (BRA)
05: 1-Alan Jhones (BRA), 2-José Francisco (BRA), 3-Marco Giorgi (URU), 4-Kaique Timidate (BRA)
06: 1-Rafael Teixeira (BRA), 2-Mateus Sena (BRA), 3-Lucas Vicente (BRA), 4-João Ferreira (BRA)
07: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Cauã Gonçalves (BRA), 3-Luan Wood (BRA), 4-Renan Pulga (BRA)
08: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Heitor Alves (BRA), 3-Gabriel André (BRA), 4-Jeverson Duarte (BRA)
09: 1-Adriano de Souza (BRA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Sebastian Olarte (URU), 4-Peterson Crisanto (BRA)
10: 1-Marco Fernandez (BRA), 2-Daniel Adisaka (BRA), 3-Leo Casal (BRA), 4-Douglas Silva (BRA)
11: 1-Edgard Groggia (BRA), 2-Krystian Kymerson (BRA), 3-Valentin Neves (BRA), 4-Guilherme Fernandes (BRA)
12: 1-Ryan Kainalo (BRA), 2-Kim Matheus (BRA), 3-Vitor Valentim (BRA), 4-Eduardo Motta (BRA)
13: 1-Michael Rodrigues (BRA), 2-Caetano Vargas (BRA), 3-Francisco Bellorin (VEN), 4-Cauã Costa (BRA)
14: 1-Wesley Leite (BRA), 2-Jessé Mendes (BRA), 3-Thiago Eduardo (BRA), 4-Bino Lopes (BRA)
15: 1-Marcos Correa (BRA), 2-Matheus Navarro (BRA), 3-Gustavo Borges (BRA), 4-Kaue Germano (BRA)
16: 1-Ian Gouveia (BRA), 2-Heitor Mueller (BRA), 3-Pedro Neves (BRA), 4-Theo Fresia (BRA)

SEGUNDA FASE – entrada das cabeças de chave – 1.a e 2.a=Quartas de Final:
——3.a=9.o lugar (US$ 300 e 350 pts) e 4.a=13.o lugar (US$ 200 e 295 pts)

1.a: 1-Daniella Rosas (PER), 2-Kiany Hyakutake (BRA), 3-Isabelle Nalu (BRA), 4-Marina Rezende (BRA)
2.a: 1-Laura Raupp (BRA), 2-Juliana Santos (BRA), 3-Arena Rodriguez Vargas (PER), 4-Potira Castaman (BRA)
3.a: 1-Maya Carpinelli (BRA), 2-Summer Macedo (BRA), 3-Tainá Hinckel (BRA), 4-Juliana Meneguel (BRA)
4.a: 1-Sophia Medina (BRA), 2-Yanca Costa (BRA), 3-Gabriely Vasque (BRA), 4-Isabela Saldanha (BRA)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

O LayBack Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis 2022 é uma realização da Federação Catarinense de Surf (Fecasurf) com a Agência Esporte & Arte (AEA) como co-realizadora e licenciada pela WSL Latin America para promover uma etapa masculina e feminina do WSL Qualifying Series. O evento é patrocinado pela Metha Energia, com apoio da BOLD, Sibon Charters, Goedert Group, Hotel Selina, The Search House, além da Fundação Municipal de Esportes e da Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, Associação de Surf da Praia Mole (ASPM).

Com a transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com  produzida pela Firma.

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas