Jeep Malibu Classic – Vai começar as disputas pelos títulos mundiais de Longboard 2021

Publicado por AdrenaNews 0

Será nesta segunda e terça-feira as disputas pelos títulos mundiais do WSL Longboard Tour 2021. O Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, será transmitido ao vivo, direto de First Point.

First Point em ação. Foto: Andrew Nichols – WSL

TRANSMISSÃO AO VIVO: O Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas será transmitido AO VIVO pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL, a partir do dia 11 de outubro, segunda-feira, às 7h00 na Califórnia, 11h00 no Brasil.

A competição que decide os títulos mundiais da temporada, serão disputadas nestes próximos dias após os organizadores do evento analisarem as previsões das ondas e concluírem que estes serão os melhores dias na janela de realização, que começou no dia 03 e vai até 13 outubro, no icônico pico de First Point, em Malibu Beach, na Califórnia, Estados Unidos.

Grandes talentos do longboard querem terminar suas campanhas esse ano, erguendo o troféu de campeão mundial em Malibu Beach, que é um dos maiores palcos da modalidade no mundo. Os vencedores do Cuervo Surf Ranch Classic, o francês Edouard Delpero e a havaiana Honolua Blomfield, lideram os rankings que também está computando o resultado da única etapa disputada em 2020, na Austrália. Os sul-americanos mais bem colocados são a brasileira Chloe Calmon em quinto lugar e o peruano Lucas Garrido Lecca em oitavo. Eles foram os únicos que chegaram nas semifinais no Surf Ranch.

Chloe Calmon em ação. Foto: Thomas Ladin – WSL

Campeão do Noosa Longboard Classic na Austrália, Joel Tudor também ficou em quinto lugar nas semifinais do Cuervo Surf Ranch Classic e está em terceiro no ranking. Ele busca um terceiro título mundial para se juntar a outros grandes nomes do Longboard, Rusty Keaulana (HAV), Colin McPhilips (EUA) e Taylor Jensen (EUA), que também vai competir em Malibu tentando um feito único de Nat Young (AUS), tetracampeão no início do Circuito Mundial de Longboard, ganhando o primeiro título em 1986 e os de 1988, 1989 e 1990. A vitória de Joel Tudor na Austrália, foi a primeira dele em mais de uma década, após um longo hiato nas competições. Ele agora, aos 45 anos, tem a oportunidade de entrar na lista dos tricampeões.

Joel Tudor em ação. Foto: Thomas Bennett – WSL

“Eu venho para Malibu desde que era criança”, relembra Joel Tudor. “Primeiro com meus pais, para competições entre clubes. Depois com Donald Takayama, quando encontrávamos seus amigos, Skip Frye, Nat Young e tantos outros mais. Existe muita história nessa praia. Os surfistas locais e os vários personagens deste lugar, sempre definem essa onda como a melhor para o longboard no mundo. Então, ganhar outro título mundial em Malibu, depois de mais de uma década sem competir, significaria muito para mim e para a minha família”.

“Eu já fiz uma final aqui décadas atrás, na última vez que um título mundial da WSL foi decidido em Malibu e perdi aquela final para o Russ K (Rusty Keaulana)”, recordou Joel Tudor. “Vencer aqui todos esses anos depois, seria uma maneira incrível de terminar muito bem uma temporada. Você precisa ter metas, pois é isso que te faz levantar todas as manhãs. Ganhar outro título neste cenário com tantos talentos incríveis não será fácil, mas tenho muita experiência nessa onda e pretendo dar tudo de mim para conseguir a vitória no evento e o título mundial”.

Honolua Blomfield em ação. Foto: Matt Dunbar – WSL

Na categoria feminina, a havaiana Honolua Blomfield, de apenas 22 anos, também está buscando seu terceiro título mundial e lidera o ranking após a vitória espetacular no Cuervo Surf Ranch Classic, com a única nota 10 do evento nas ondas perfeitas do Surf Ranch. Ela moldou sua carreira de competidora surfando desde muito jovem no First Point de Malibu, servindo de inspiração para uma nova geração de longboarders do Havaí, como a atual vice-líder do ranking, Kelis Kaleopaa.

“É muito emocionante estar concorrendo a um terceiro título mundial e estou muito feliz por ter vencido um evento, o que me deu uma vantagem real para conseguir isso”, disse Honolua Blomfield. “Mas, sei que vai ser um trabalho árduo e que tudo pode acontecer em Malibu. Eu já disputei muitos eventos, então sei como é isso. Mas, seria muito especial ganhar o título mundial aqui. Foi onde disputei meu primeiro evento, onde consegui meu primeiro patrocinador e onde realmente a minha carreira começou há mais de uma década”.

Blomfield conquistou os títulos mundiais de 2017 e 2019, sempre travando grandes batalhas contra competidoras que também estarão no Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, como a brasileira vice-campeã mundial duas vezes, Chloe Calmon, a francesa Alice Lemoigne sexta colocada no ranking e a campeã mundial de 2011, Lindsay Steinriede, dos Estados Unidos.

RANKINGS DA WORLD SURF LEAGUE – 1 etapa de 2021 e 1 de 2020:

TOP-10 DA CATEGORIA FEMININA:

1.a: Honolua Blomfield (HAV) – 12.500 pontos
2.a: Kelis Kaleopaa (HAV) – 10.000
3.a: Soleil Errico (EUA) – 9.000
4.a: Avalon Gall (EUA) – 8.725
5.a: Chloe Calmon (BRA) – 8.250
6.a: Alice Lemoigne (FRA) – 7.975
7.a: Sophia Culhane (HAV) – 7.500
8.a: Natsumi Taoka (JPN) – 6.750
8.a: Sally Cohen (HAV) – 6.750
10.a: Tully White (AUS) – 6.000

TOP-10 DA CATEGORIA MASCULINA:

1.o: Edouard Delpero (FRA) – 11.475 pontos
2.o: Harrison Roach (AUS) – 10.225
3.o: Joel Tudor (EUA) – 10.000
4.o: Kai Sallas (HAV) – 9.750
5.o: Taylor Jensen (EUA) – 7.500
5.o: Kevin Skvarna (EUA) – 7.500
7.o: Justin Quintal (EUA) – 6.500
8.o: Lucas Garrido Lecca (PER) – 6.475
9.o: Ben Skinner (ING) – 6.000
10.o: Cole Robbins (EUA) – 5.375

Outros sul-americanos:

15: Augusto Olinto (BRA) – 4.225 pontos
16: Rodrigo Sphaier (BRA) – 3.500
16: Jefson Silva (BRA) – 3.500
22: Piccolo Clemente (PER) – 1.475
24: Gabriel Nascimento (BRA) – 1.000
37: Carlos Bahia (BRA) – 330
37: Julian Schweizer (URU) – 330
52: Ignacio Pignataro (URU) – 300
68: David Schiaffino (PER) – 266

O World Surf League Longboard Tour 2021 está sendo realizado com patrocínios da Jeep, Havaianas, Michelob ULTRA, Hydro Flask, Athletic Brewing, US Army, Aviator Nation, Firewire e Flying Embers.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin América

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72