Hang Loose Surf Attack 2022 – Primeira etapa finalizada com ótimas ondas no Pier de Mongaguá

Publicado por AdrenaNews 0

A 1ª etapa do Hang Loose Surf Attack 2022 foi finalizada nesta segunda-feira no Pier de Mongaguá. O evento que conta com os patrocínios da Sthill e Mobyou, reuniu mais de 200 atletas da nova geração, de 07 estados.

Matheus Neves em ação. Foto: Erik Medalha

Conhecida como a “Califórnia Brasileira”, por sua semelhança com Huntigton Beach o Píer de Mongaguá, no Litoral Sul de São Paulo, se transformou na maior plataforma de surfe nos últimos três dias, com a realização da primeira etapa do Hang Loose Surf Attack 2022, que vem forte com a temática da alimentação saudável. O pico, que é conhecido como a “Califórnia Brasileira”, há mais de uma década não recebia uma etapa do estadual de categorias de base. O evento reuniu mais de 200 atletas da nova geração, de sete estados, incluindo São Paulo.

Estruturas instaladas no Píer de Mongaguá. Foto Erik Medalha

“Foi uma abertura de circuito sensacional. Todos os dias o Píer de Mongaguá ofereceu condições perfeitas de surfe para todas as categorias. Um evento que colocou, sem dúvida nenhuma, Mongaguá novamente no calendário da Federação. Todos os envolvidos estão de parabéns. Deixo um agradecimento especial a Hang Loose, e a Prefeitura do Município, por meio do seu departamento de Esporte, que nos deu toda a infraestrutura possível”, ressaltou o presidente da Federação, Zé Paulo.

Presidente Zé Paulo, concedendo entrevista para uma emissora de televisão. Foto: Erik Medalha

Na segunda-feira, último dia de evento, as meninas da Sub 14, foram as primeiras a competirem nas boas ondas de meio metro que quebraram no Píer de Mongaguá, e o título de campeã foi para a Paranaense Luara Mandelli, que mostrou muita confiança e foco nas boas ondas que quebraram. Natália Gerena, da Ilha Comprida, ficou com a vice-liderança. De Ubatuba, Aurora Ribeiro, finalizou em terceiro lugar e Sarah Osório, voltou para o Rio de Janeiro com a quarta posição.

Luara Mandelli em ação. Foto: Erik Medalha

No masculino (Sub12), o título de campeão foi comemorado pelo ubatubense Calebe Simões, que começou mandando muito bem nas ondas que surfou. E mais uma vez o ‘fenômeno’ Vini Palma, do Litoral Sul, correndo pela Praia Grande, figurou entre os melhores e garantiu a segunda posição. Do Rio Grande do Norte, Artur Villar finalizou com a terceira colocação e, outro ubatubense, David de Souza, terminou em quarto lugar.

Vini Palma em ação. Foto: Erik Medalha

Para o presidente da Associação de Surf Pier de Mongaguá, Luis Gansinho, o surfe do município está orgulhoso de ter recebido a etapa e também de mostrar o potencial de ondas que o Píer oferece. “Estamos com o sentimento de dever cumprido. Tudo ocorreu perfeitamente. Parabéns a todos os envolvidos, à SPSurf, e aos nossos governantes municipais que ajudaram muito”, disse.

As meninas da Sub 12 finalizaram o dia com muito estilo, uma apresentação que mostrou, entre outras coisas, o amadurecimento do surfe feminino. A convidada do evento, Carol Bastides, da Praia Grande, foi a grande vencedora da categoria, seguida pela guarujaense Julia Stefani, como vice. Kyara Rocha, de Santa Catarina, fechou com o terceiro lugar e outra guarujaense, Paula Stefani, irmã gêmea da Julia, na quarta colocação.

Carol Bastides em ação. Foto: Erik Medalha

Os melhores nas disputas do Sicrupt Girls Best Trick – melhor Manobra Feminino e Manga Wax Air Show, valendo R$500 para cada, foram de fora de São Paulo, Luara Mandelli do Paraná, que também foi a campeã na Sub 14, e Yuri Barros da Paraíba, segundo colocado na Sub 18, venceram, respectivamente.

Yuri Barros em ação. Foto: Erik Medalha

DOMINGO: No domingo (22/05), os primeiros campeões anunciados foram Matheus Neves (SSB) , Sol Carrion (SSPB), Lukas Camargo (PG), Giovanna Donato (SSB) e Kalani Robles (UBA) que largaram na frente nas conquistas dos títulos. Os atletas de São Sebastião foram maioria no pódio, com três atletas.

Kalani Robles em ação. Foto: Erik Medalha

o domingo, começou com boas ondas de um metro na “Califórnia Brasileira”, na parte da manhã, com ondas clássicas e no início da tarde o vento entrou e mexeu um pouco com as condições das ondas, exigindo mais técnica dos atletas na execução das manobras.

Joao Victor em ação. Foto: Erik Medalha

A Sub 18 Masculino foi a primeira disputa do dia, numa final eletrizante, onde a liderança da bateria se alternava a cada onda surfada pelos competidores, e o sebastianense Matheus Neves (SSB) teve uma apresentação de destaque e sagrou-se campeão, deixando o paraibano Yuri Barros com a segunda colocação. O terceiro lugar ficou para outro atleta de São Sebastião, Murilo Coura, que também teve uma ótima presença nas ondas do Píer de Mongaguá. A quarta colocação foi conquistada pelo praiagrandense Lukas Camargo, único representante do Litora Sul nesta disputa.

Lukas Camargo em ação. Foto: Erik Medalha

A atual campeã estadual e vice-campeã no QS1000, que ocorreu na Bahia, Kemily Sampaio, liderou a bateria por mais tempo e surfando com confiança, mas faltando poucos minutos para terminar, a sebastianense Sol Carrion, acertou a onda da virada e acabou vencendo a grande final Feminina Sub 18, começando o circuito com 1000 pontos garantidos. Em terceiro lugar ficou a caraguatatubense Gabriela Cury. A atleta Gabriely Vasques volta para o Paraná com a quarta colocação, da primeira etapa do Hang Loose Surf Attack 2022.

Sol Carrion em ação. Foto: Erik Medalha

A terceira final do dia foi a Sub 16, liderada por Lukas Camargo, que venceu uma competição fortíssima e de alto nível apresentado pelos seus adversários. Todos mostraram muito surfe. A segunda colocação ficou para o carioca Guilherme Lemos. O ubatubense Kailani Rennó finalizou em terceiro lugar e Matheus Neves, campeão da Sub 18, conquistou o quarto lugar no pódio.

Guilherme Lemos em ação. Foto: Erik Medalha

Outra final bem disputada nas ondas do Píer de Mongaguá foi a das competidoras da Sub 16, que proporcionaram uma final emocionante, num mar bem complicado, balançando, que foi dominado pela grande campeã Giovanna Donato, de São Sebastião. Na segunda posição, o Paraná novamente figurou no pódio, representado por Luara Mandelli. A Terceira colocação ficou com a atleta de Caraguatatuba, Gabriela Cury e, na quarta posição, outra sebastianense entre as melhores, Mayara Zampieri.

Giovanna Donato em ação. Foto: Erik Medalha

O dia terminou com a categoria Sub 14 Masculino, com o ubatubense Kalani Robles, atual defensor dos títulos paulista e brasileiro 2021, o grande campeão da primeira etapa do Hang Loose Surf Attack. A segunda colocação ficou para o guarujaense John Muller. Em terceiro lugar Caio Okamoto de Bertioga e na quarta posição Kallani Rennó, de Ubatuba.

Kallani Rennó em ação. Foto: Erik Medalha

Para o presidente da SPSurf, Zé Paulo, o primeiro dia de premiação do Hang Loose Surf Attack foi um sucesso. “Fomos recebidos com chave de ouro, o mar ofereceu ótimas ondas e conseguimos trazer atletas de todas as associações. Obrigado à Prefeitura de Mongaguá que nos ajudou muito. O evento foi um verdadeiro clima de harmonia entre os atletas, familiares, amigos e amantes desta modalidade e toda a equipe que trabalhou. Uma energia muito positiva. O verdadeiro clima Aloha”, disse.

Rickson Falcão em ação. Foto: Erik Medalha

Para o vice-prefeito e secretário de esportes de Mongaguá, Rafael Redó, o evento atingiu todas as expectativas. “Foi um evento que atingiu todas as nossas expectativas, fomentou o comércio local e resgatou a cidade de Mongaguá no calendário do surf estadual”, comentou.

SÁBADO: O local de São Sebastião, Murilo Coura, terminou o primeiro dia do Hang Loose Surf Attack 2022, neste sábado (21), com o maior score (15,25) conquistado nas semifinais da Sub 18, garantindo sua vaga para a grande final logo na abertura do mais tradicional circuito de categorias de base do Brasil, em altas ondas que rolaram no Píer de Mongaguá, que há mais de dez anos não recebia um evento deste porte.

Murilo Coura em ação. Foto: Erik Medalha

Além de Murilo, destaques para, Kauã Campos e Lukas Camargo, este na Sub 16, representante do Litoral Sul, finalizou o dia com a segunda melhor somatória (14,75). Destaque também para o paraibano Yuri Barros, que mostrou todo o seu surf na Sub 18. O dia foi de muito trabalho para o staff técnico. A organização do Hang Loose Surf Attack, que neste ano trabalha com o tema da alimentação saudável.

Kauã Campos em ação. Foto: Erik Medalha

“Iniciamos o circuito com chave de ouro. Altas ondas, tempo bom e um show de surfe desta nova geração. Para nós também foi muito importante destacar o Píer de Mongaguá. O Litoral Sul volta ao calendário de eventos estaduais”, comentou Zé Paulo, presidente da Federação de Surf do Estado de São Paulo, realizadora do evento.

Pablo Gabriel em ação. Foto: Erik Medalha

“É uma satisfação enorme poder contar com um campeonato tão importante de surf como este. Após 11 anos longe de Mongaguá, o circuito retornou a uma das praias mais tradicionais do Estado”, ressalta o vice-prefeito e diretor de Esportes, Rafael Redó.

Com ondas de até 1 metro e sol, que inibiu um pouco o frio, o Píer de Mongaguá se tornou a arquibancada vip para o público que prestigiou de camarote o primeiro dia de evento no Litoral Sul. A nova geração do surf brasileiro apresentou um show de surf e mostrou um nível técnico altíssimo.

Resultado Final da 1ª etapa do Hang Loose Surf Attack 2022:

Sub 18 Masculino:

Matheus Neves (SSB)
Yuri Barros (PB)
Murilo Coura (SSB)
Lukas Camargo (PGD)

Pódio Sub 18 Masculino. Foto: Erik Medalha

Sub 18 Feminino:

Sol Carrion (SSB)
Kemilly Sampaio (PGD)
Gabriela Cury (CAR)
Gabriely Vasque (PR)

Pódio Sub 18 Feminino. Foto: Erik Medalha

Sub 16 Masculino:

Lukas Camargo (PGD)
Guilherme Lemos (RJ)
Kailani Renno (UBA)
Matheus Neves (SSB)

Pódio Sub 16 Masculino. Foto: Erik Medalha

Sub 16 Feminino:

Giovanna Donato (SSB)
Luara Mandelli (PR)
Gabriela Cury (CAR)
Mayara Zampieri (SSB)

Pódio Sub 16 Feminino. Foto: Erik Medalha

Sub 14 Masculino:

Kalani Robles (UBA)
John Muller (GUA)
Caio Okamoto (BER)
Kailani Renno (UBA)

Pódio Sub 14 Masculino. Foto: Erik Medalha

Sub 14 Feminino:

Luara Mandelli (PR)
Natalia Gerena (ICO)
Aurora Ribeiro (UBA)
Sarah Osorio (RJ)

Pódio Sub 14 Feminino. Foto: Erik Medalha

Sub 12 Masculino:

Calebe Simões (UBA)
Vini Palma (PGD)
Artur Villar (RN)
David de Souza (UBA)

Pódio Sub 12 Masculino. Foto: Erik Medalha

Sub 12 Feminino:

Carol Bastides (HL)
Julia Stefani (GUA)
Kyara Rocha (SC)
Paula Stefani (GUA)

Pódio Sub 12 Feminino. Foto: Erik Medalha

A cidade campeã desta primeira etapa foi São Sebastião, do Litoral Norte de São Paulo. Ao final do circuito a cidade que liderar o ranking 2022, terá um crédito com a Federação de Surf do Estado de São Paulo, que se compromete em ajudar na realização da 1ª etapa do municipal de 2023, investindo 4 mil reais em premiação e 1 mil reais no staff técnico. Totalizando o investimento de 5 mil reais. “Esta foi a forma que a SPSurf achou para investir e fomentar o esporte junto às associações de surfe do Estado de São Paulo”, disse Zé Paulo presidente da SPSurf.

PREMIAÇÃO: Os pódios do 1º ao 4º lugares, de todas as categorias, em cada etapa, receberam premiação em dinheiro, parafinas MangaWax, blocos de prancha, leashs, entre outros brindes. Os troféus da 34ª edição do Hang Loose Surf Attack que os atletas levaram para suas casas são produzidos pelo Projeto S.I.R.I , que trabalha seriamente a questão da sustentabilidade, transformando lixo em produtos de arte e investindo cada vez mais na educação e conscientização ambiental. Ao final do circuito, os atletas de São Paulo, que forem anunciados campeões do ranking Estadual de Categorias de Base 2022, da Sub 18 (masculino e feminino), vão receber, cada um, uma Scooter Elétrica Mobyou, zeradas.

Scooter Elétrica Mobyou demonstrando sua mobilidade no Pier de Mongagua. Foto: Erik Medalha

O Hang Loose Surf Attack 2022 conta com os patrocínios da Sthill e Mobyou. Apoios: Keahana Blanks, Special Boards, Protetor Solar Suntech, Delab Design, Sim Suco, Sicrupt Beachwear, Parafinas Manga Wax, Waves Now, Nuty Açaí, Odara Alfajor e Pousada Plataforma, Hotel Ohana Beach, Hotel Basílio, Pousada Beira Mar, Mercadão Atacadista e Restaurante Pizza Telhado. Divulgação: Waves. Colaboração: Prefeitura Municipal de Mongaguá, por meio de sua Diretoria de Esportes, Lazer e Juventude de Mongaguá e Associação de Surf Píer de Mongaguá (ASPM). O evento é supervisionado pela Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf).

Reportagem: Charles Roberto – Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf)

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas