GWM Sydney Surf Pro apresentado pela Rip Curl – Chloé Calmon é o Brasil nas semifinais – Assistam aos vídeos!

Publicado por AdrenaNews 0

O GWM Sydney Surf Pro apresentado pela Rip Curl definiu as semifinais da primeira etapa do WSL Longboard Tour 2022. Chloé Calmon é a única brazuca na disputa do título na Austrália. Acessem aos links abaixo com os vídeos dos melhores momentos.

Chloe Calmon em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

A primeira chamada será as 7h00 na Austrália, 18h00 da quarta-feira no Brasil, com transmissão ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, ou pelo WSL app

ASSISTAM AOS VÍDEOS COM OS MELHORES MOMENTOS, CLICANDO NOS PLAYERS ABAIXO:

GWM Sydney Surf Pro Longboard Tour – Day 3 Highlights:

GWM Sydney Surf Pro Longboard Tour – Day 2 Highlights:

GWM Sydney Surf Pro Longboard Tour – Day 1 Highlights:

A carioca fez mais uma grande apresentação nas ondas pequenas de 2 pés da quarta-feira em Manly Beach e vai enfrentar a australiana Tully White na primeira semifinal. Apesar das condições difíceis do mar na quarta-feira, Chloé Calmon conseguiu achar as ondas para mostrar toda a sua arte no pranchão. Ela já começou bem o confronto com a japonesa Natsumi Taoka, com nota 7,50 na primeira que surfou. Depois, achou uma que abriu uma parede mais longa, para fazer as manobras mais clássicas do longboard e arrancar a maior nota do dia na categoria feminina, 8,17. Com ela, também totalizou o maior placar das quartas de final, 15,67 pontos.

Natsumi Taoka em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

Sua próxima adversária também surfou bem contra a norte-americana Mason Schremmer. A australiana Tully White venceu o duelo por 14,90 a 11,57 pontos, com notas 7,83 e 7,07. Chloé Calmon já foi vice-campeã mundial três vezes e nas duas últimas perdeu o título para Honolua Blomfield, em 2017 e 2019. A havaiana também se classificou na quarta-feira e vai enfrentar a norte-americana Soleil Errico na segunda semifinal.

Tully White em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

ÚNICA CLASSIFICAÇÃO: Na categoria masculina, o único sul-americano que passou pelas oitavas de final foi o paulista Jefson Silva. Ele conseguiu achar ondas abrindo mais parede para mostrar uma boa combinação de manobras contra o tricampeão mundial Taylor Jensen. Ele despachou o californiano por 15,27 a 13,27 pontos, com as notas 7,77 e 7,50 das duas melhores apresentações.

Jefson Silva em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

Mas, nas quartas de final só surfou uma onda boa e foi derrotado pelo inglês Ben Skinner por 13,50 a 9,77. Jefson Silva começa a temporada 2022 em quinto lugar no ranking mundial da World Surf League. Os outros sul-americanos perderam nas oitavas de final e ficaram em nono lugar no GWM Sydney Surf Pro apresentado pela Rip Curl.

Ben Skinner em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

O carioca Phil Rajzman, que está participando do Circuito Mundial de Longboard deste ano com um convite especial da World Surf League, O bicampeão mundial competiu na primeira bateria com o próprio Ben Skinner, que levou a melhor por um ponto de diferença no placar encerrado em 13,97 a 12,97 pontos. Jefson Silva ganhou a segunda oitava de final do norte-americano Taylor Jensen, mas outro bicampeão mundial perdeu por décimos o duelo seguinte. Por 12,47 a 12,20, o havaiano Kai Sallas superou o peruano Piccolo Clemente.

Phil Rajzman em ação. Foto: Travis Hebler – World Surf League

Já na quarta bateria, o brasileiro Augusto Olinto não teve o que fazer contra um inspirado Kaniela Stewart. O havaiano já começou muito forte, com nota 8,00 em sua primeira onda, contra 6,33 do brasileiro. Depois, o máximo que Augusto conseguiu foi 6,67, enquanto Kaniela somou um 7,33 e depois fez a melhor apresentação de todo o campeonato. Os juízes deram nota 9,20 para o havaiano se tornar o recordista absoluto nas ondas de Manly Beach, com a vitória por 17,20 a 13,00 pontos.

O peruano Lucas Garrido Lecca era a última esperança de uma segunda classificação sul-americana para as quartas de final do GWM Sydney Surf Pro. No entanto, também foi eliminado por menos de um ponto, como os bicampeões mundiais Phil Rajzman e Piccolo Clemente. O norte-americano Cole Robbins avançou somando notas 6,93 e 6,50, contra 6,87 e 5,87 do Lucas Garrido. A vitória foi por 13,43 a 12,74 pontos.

Para os brasileiros e peruanos, agora é tentar um melhor resultado na segunda das três etapas do World Surf League Longboard Tour 2022, o Vans Duct Tape Invitational nos dias 3 a 7 de agosto em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos. Estas duas primeiras etapas valem 5.000 pontos, enquanto a última em Malibu Beach terá pontuação dobrada, com as vitórias valendo 10.000 pontos. Para definir os títulos mundiais da temporada, os rankings masculino e feminino computarão os dois melhores resultados de cada atleta.

Nos dois primeiros dias do GWM Sydney Surf Pro apresentado pela Rip Curl, apenas os longboarders competiram e a brasileira Chloé Calmon foi o grande destaque nas ondas de Manly Beach. Ela estreou fazendo os recordes do campeonato na segunda-feira e já está nas quartas de final.

Chloé Calmon começou muito bem a corrida pelo título mundial da temporada, que será disputado em três etapas esse ano. Ela competiu na primeira bateria e já fez as marcas a serem batidas no GWM Sydney Surf Pro apresentado pela Rip Curl. Mostrando muita fluidez na combinação das manobras mais tradicionais do longboard, conseguiu uma nota 8,00 na segunda onda que surfou. Depois, foi melhor ainda para ganhar 8,40 e 9,23 dos juízes, totalizando imbatíveis 17,63 pontos, contra 11,50 de Tully White e 10,57 da também australiana Kirra Molnar.

“Estou muito feliz por estar de volta a Austrália depois de 2 anos e tentei surfar tranquila, procurando me divertir aqui em Manly, porque as ondas são bastante parecidas com as dos beach breaks (praias de fundo de areia) que surfo em casa no Rio de Janeiro”, disse Chloé Calmon, após sua vitória na segunda-feira. “Está sendo ótimo também estar aqui com o meu treinador, Matt Chojnacki, que é local de Manly. Estou aprendendo bastante sobre a cultura do surfe aqui e as condições do mar desta manhã estão ótimas para o longboard. Espero que continuem assim até o final”.

Nas etapas do World Surf League Longboard Tour, as duas melhores surfistas de cada uma das seis baterias da primeira fase, avançam direto para as oitavas de final. A peruana Maria Fernanda Reyes ficou em último na sua estreia e teve que passar pela repescagem. Novamente, ela não conseguiu surfar bem em Manly Beach e foi eliminada em 17.o lugar no GWM Sydney Surf Pro. Já Chloé Calmon fez mais uma grande apresentação na terça-feira, somando notas 8,50 e 7,23 para derrotar a australiana Kirra Molnar por 15,73 a 12,63 pontos na abertura das oitavas de final.

Chloe Calmon em ação. Foto: Cait Miers – World Surf League

CIRCUITO MUNDIAL: As duas primeiras etapas do World Surf League Longboard Tour 2022 valem 5.000 pontos. Já a última terá pontuação dobrada, com as vitórias valendo 10.000 pontos. Para definir os títulos mundiais da temporada, os rankings masculino e feminino irão computar os dois melhores resultados de cada atleta, ou seja, as duas maiores pontuações conseguidas nas três etapas.

A primeira chamada será as 7h00 na Austrália, 18h00 da terça-feira no Brasil, com transmissão ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, ou pelo WSL app

CALENDÁRIO DO WORLD LONGBOARD TOUR 2022:

1.a: Mai 16-24: GWM Sydney Surf Pro em Manly Beach, Sidney, Austrália
2.a: Ago 03-07: Vans Duct Tape Invitational em Huntington Beach, Califórnia, EUA
3.a: Out 03-13: WSL Longboard Championships em Malibu Beach, Califórnia, EUA

PRÓXIMAS BATERIAS DE LONGBOARD NO GWM SYDNEY SURF PRO:

SEMIFINAIS DO LONGBOARD NO GWM SYDNEY SURF PRO:

CATEGORIA FEMININA – Derrota=3.o lugar:

1.a: Chloe Calmon (BRA) x Tully White (AUS)
2.a: Honolua Blomfield (HAV) x Soleil Errico (EUA)

CATEGORIA MASCULINA – Derrota=3.o lugar:

1.a: Ben Skinner (ING) x Kaniela Stewart (HAV)
2.a: Harrison Roach (AUS) x Declan Wyton (AUS)

RESULTADOS DA QUARTA-FEIRA NA AUSTRÁLIA:

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar:

1.a: Chloe Calmon (BRA) 15,67 x 9,23 Natsumi Taoka (JPN)
2.a: Tully White (AUS) 14,90 x 11,57 Mason Schremmer (EUA)
3.a: Honolua Blomfield (HAV) 12,17 x 12,14 Sophia Culhane (HAV)
4.a: Soleil Errico (EUA) 11,77 x 11,73 Rachael Tilly (EUA)

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar:

1.a: Ben Skinner (ING) 13,97 x 12,97 Phil Rajzman (BRA)
2.a: Jefson Silva (BRA) 15,27 x 13,27 Taylor Jensen (EUA)
3.a: Kai Sallas (HAV) 12,47 x 12,20 Piccolo Clemente (PER)
4.a: Kaniela Stewart (HAV) 17,20 x 13,00 Augusto Olinto (BRA)
5.a: Harrison Roach (AUS) 13,17 x 13,17 Jack Entwistle (AUS)
6.a: Cole Robbins (EUA) 13,43 x 12,74 Lucas Garrido Lecca (PER)
7.a: Declan Wyton (AUS) 16,96 x 11,90 Edouard Delpero (FRA)
8.a: Taka Inoue (JPN) 16,27 x 13,70 Tony Silvagni (EUA)

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar:

1.a: Ben Skinner (ING) 13,50 x 9,77 Jefson Silva (BRA)
2.a: Kaniela Stewart (HAV) 16,56 x 12,70 Kai Sallas (HAV)
3.a: Harrison Roach (AUS) 15,60 x 10,80 Cole Robbins (EUA)
4.a: Declan Wyton (AUS) 15,36 x 11,17 Taka Inoue (JPN)

RESULTADOS DOS DOIS PRIMEIROS DIAS NA AUSTRÁLIA:

PRIMEIRA FASE – 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=Segunda Fase:

1.a: 1-Chloe Calmon (BRA)=17.63, 2-Tully White (AUS)=11.50, 3-Kirra Molnar (AUS)=10.57
2.a: 1-Lindsay Steinriede (EUA)=13.24, 2-Alice Lemoigne (FRA)=11.73, 3-Mason Schremmer (EUA)=11.04
3.a: 1-Honolua Blomfield (HAV)=15.17, 2-Victoria Vergara (FRA)=11.73, 3-Rachael Tilly (EUA)=7.34
4.a: 1-Sophia Culhane (HAV)=15.16, 2-Soleil Errico (EUA)=11.10, 3-Maria Fernanda Reyes (PER)=7.04
5.a: 1-Avalon Gall (EUA)=13.37, 2-Kirra Seale (HAV)=11.93, 3-Francesca Rubegni (ITA)=6.17
6.a: 1-Zoe Grospiron (FRA)=13.56, 2-Natsumi Taoka (JPN)=10.10, 3-Kaitlin Mikkelsen (EUA)=8.27

SEGUNDA FASE – 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=17.o lugar:

1.a: 1-Rachael Tilly (EUA)=9.30, 2-Mason Schremmer (EUA)=7.87, 3-Maria Fernanda Reyes (PER)=7.76
2.a: 1-Kirra Molnar (AUS)=12.07, 2-Kaitlin Mikkelsen (EUA)=8.20, 3-Francesca Rubegni (ITA)=7.44

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar:

1.a: Chloe Calmon (BRA) 15,73 x 12,63 Kirra Molnar (AUS)
2.a: Natsumi Taoka (JPN) 16,67 x 7,73 Lindsay Steinriede (EUA)
3.a: Mason Schremmer (EUA) 14,33 x 12,33 Alice Lemoigne (FRA)
4.a: Tully White (AUS) 15,67 x 11,43 Zoe Grospiron (FRA)
5.a: Honolua Blomfield (HAV) 13,50 x 9,30 Victoria Vergara (FRA)
6.a: Sophia Culhane (HAV) 14,20 x 11,84 Kirra Seale (HAV)
7.a: Soleil Errico (EUA) 13,97 x 13,06 Kaitlin Mikkelsen (EUA)
8.a: Rachael Tilly (EUA) 13,86 x 13,67 Avalon Gall (EUA)

PRIMEIRA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Ben Skinner (ING)=13.77, 2-Jack Entwistle (AUS)=13.20, 3-Augusto Olinto (BRA)=11.13
2.a: 1-Kai Sallas (HAV)=12.77, 2-Jefson Silva (BRA)=10.84, 3-Ben Considine (AUS)=8.33
3.a: 1-Harrison Roach (AUS)=15.17, 2-Taka Inoue (JPN)=12.10, 3-João Dantas (PRT)=8.56
4.a: 1-Edouard Delpero (FRA)=10.74, 2-Cole Robbins (EUA)=10.63, 3-Piccolo Clemente (PER)=7.27
5.a: 1-Tony Silvagni (EUA)=12.50, 2-Lucas Garrido Lecca (PER)=12.00, 3-Phil Rajzman (BRA)=9.37
6.a: 1-Declan Wyton (AUS)=12.56, 2-Kaniela Stewart (HAV)=11.93, 3-Taylor Jensen (EUA)=9.70

SEGUNDA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=17.o lugar:

1.a: 1-Taylor Jensen (EUA)=12.30, 2-Piccolo Clemente (PER)=11.23, 3-João Dantas (PRT)=8.36
2.a: 1-Augusto Olinto (BRA)=12.33, 2-Phil Rajzman (BRA)=11.83, 3-Ben Considine (AUS)=10.30

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin America

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas