Fu Wax apresenta Hang Loose Surf Attack 2021 – As 03 Marias mais surfistas de 09 estados confirmados na primeira etapa.

Publicado por AdrenaNews 0

As 03 Marias Stefani mais surfistas de 09 estados estão confirmados na primeira etapa do Circuito Fu Wax apresenta Hang Loose Surf Attack 2021.

Anuar Chiah em ação. Foto: Munir El Hage

O circuito que definirá os campeões Feminino e Masculino das categorias estaduais de base, Sub 12, 14, 16, e 18, de São Paulo, contará com a participação de surfistas de nove estados brasileiros. A primeira etapa do ano terá início dia 30 de setembro e vai até 3 outubro, na Praia de Camburi, Litoral Norte de São Paulo, em São Sebastião.

Ryan Kainalo em ação. Foto: Daniel Smorigo

Além de representantes de São Paulo como Didi Aguiar campeão paulista sub-18, Ryan Kainalo, exímio colecionador de títulos do Hang Loose Surf Attack, e alguns destaques femininos paulistas como, Sophia Gonçalves e Naire Marquez, surfista de Santa Catarina, do Rio de Janeiro, Bahia, do Paraná, Rio Grande do Norte, da Paraíba, do Espírito Santo, Pernambuco e do Ceará, também já estão inscritos.

Sophia Gonçalves em ação. Foto: Munir El Hage

Nomes fortes como do paraibano Kauã Hanson (Sub18), do Rio de Janeiro Sunny Pires (Sub16), do cearense Pedro Ryan (Sub14), do paranaense Anuar Chiah (Sub10), que já levantou o caneco de campeão do Hang Loose Surf Attack por sinal, fazem parte da lista de competidores desta 33ª edição do evento.

Sunny Pires em ação. Foto: Munir El Hage

Entre as meninas confirmaram suas presenças a bicampeã catarinense amadora e vice-campeã brasileira Sub 16, Kiany Hyakutake, além da paranaense, também vice-campeã brasileira da Sub14, Luara Mandelli. Muitos outros nomes de destaques nacionais da base estão nas listas. Vai ser show de surfe nas ondas do north shore paulista.

Kiany Hyakutake em ação. Foto: Daniel Smorigo

O Hang Loose Surf Attack vai premiar os campeões do Circuito Estadual 2021, apenas da categoria sub18 (masculino e feminino), pela primeira vez, cada um, levará uma Scooter Elétrica Mobyou. Nas duas etapas, os campeões das categorias sub16 e sub18, também receberão premiações em dinheiro no valor de R$ 1.000,00 cada, e troféus de plásticos recolhidos da Praia de Camburi, produzidos pelo Projeto SIRI.

Já o restante dos pódios, do sub16 e 18, também receberão premiação em dinheiro. O segundo lugar, R$ 500,00;  terceiro, R$ 300,00; quarto, R$ 200,00. Outros R$ 2.000,00 serão ofertados para os vencedores do Fu Wax Air Show e para a Melhor Manobra Feminino (mil reais cada). Os finalistas das demais categorias receberão troféus, blocos de prancha, leashs (cordinhas), protetores solares, parafinas e decks antiderrapantes.

As Marias Stefani, encaram o Hang Loose Surf Attack pela segunda vez:

Elas são trigêmeas não-idênticas – trivitelinas, e vão representar a cidade do Guarujá, na categoria Sub12, na primeira etapa. Esta é a segunda vez que as filhas de Juliana Stefani e de Paulo Stefani, vão correr o tradicional campeonato de categorias de base do país. Eles deixaram o bairro Planalto Paulista, em São Paulo, para morarem na praia, o sonho de muitos e com o propósito de fugir do estresse da metrópole.

As Três Marias Stefani. Foto: Divulgação

“Decidimos fugir da rotina estressante de São Paulo e buscar qualidade de vida, contato com a natureza. Sempre fomos apaixonados por praias. Os pais da Juliana, minha esposa, moravam no Guarujá e, nós, só acabamos unindo o útil ao agradável”, comentou Paulo, que pega onda e sempre apresentou o surfe para suas filhas. Maria Paula, Maria Júlia e Maria Eduarda, as Marias sempre estiveram envolvidas com o esporte. Dos quatro aos sete anos a ginástica olímpica fez parte constante na vida das gêmeas, mas quando desciam a serra para a Baixada Santista para visitar os avós, os pedidos eram um só: surfar com o pai!

Maria Julia Stefani em ação. Foto: Arquivo Pessoal

O interesse pelo surfe foi aumentando e quando mudaram de vez para o litoral se renderam à modalidade. “Desde criança, com 4, 5 anos elas entravam no mar comigo, por diversão. Quando fixamos moradia no Guarujá o interesse foi aumentando e desde julho de 2020 percebi que a coisa começou a ficar séria, treinamentos constantes”, comentou Paulo. “Hoje, elas praticam duas horas por dia, toda a semana”, finalizou o pai, orgulhoso.

Esta será a segunda vez que as trigêmeas encaram o mais tradicional circuito de categorias de base do país. “Elas participaram do evento em 2020, cada uma reagiu de uma forma, mas não deixou de ser uma grande experiência para todos nós”, relatou a mãe.

Elas agora vão encarar um dos campeonatos mais antigos do Estado, com 33 anos de existência e aberto para todo o Brasil. Mais experientes, as surfistas de nove anos vão disputar com adversárias de várias idades e até mais velhas. As trigêmeas comentaram sobre estarem novamente no Hang Loose Surf Attack.

Maria Eduarda Stefani em ação. Foto: Arquivo Pessoal

“No primeiro campeonato eu fiquei muito triste, mas a mamãe já tinha dito que podia ser que a gente não ganhasse. Desta vez eu estou muito feliz, muito ansiosa também. Só vão estar os melhores”, revelou a Juju, que sonha em um dia acertar um aéreo, mas por enquanto sabe dar umas rasgadas e cutbacks perfeitos para o seu nível de surfe e ainda confessou que a melhor onda surfada até o momento foi em Paracuru (CE).

Maria Eduarda ficou feliz de qualquer forma, mesmo não passando sua bateria, quando encarou o Hang Loose Surf Attack pela primeira vez. “Naquela época foi quando a gente tinha começado a treinar de verdade, foi tudo muito rápido. Não avancei no evento, mas foi muito legal. Fiquei muito feliz só de estar ali. Neste eu vou ver se consigo ir mais longe”, confessou Duda, que adora dropar as ondas grandes e disse que surfou sua melhor onda no Rio de Janeiro, em Grumari.

Já Maria Paula, foi mais otimista com as palavras e revelou também que ficou um pouco nervosa na hora da sua bateria. “Foi a nossa primeira competição e eu acho que a gente até que foi bem, além do nervosismo que eu fiquei. Mas eu gosto muito de competir. A gente está mais treinada e desta vez pretendo ir mais longe nas baterias”, destacou a Paulinha, que tem como manobra preferida o layback. “Minha melhor onda surfada foi no Rio, em Joatinga”, finalizou.

Maria Paula Stefani em ação. Foto: Arquivo Pessoal

Segundo a mãe, Juliana, em pouco tempo de surfe já conquistaram pódios nos eventos regionais que correram. “Tirando o Hang Loose, sempre uma delas estiveram no pódio. Foram quatro surf treinos, entre São Paulo e Rio de Janeiro. No Rio, correram o último campeonato em julho deste ano. Foi muito legal vê-las no pódio. A Juju foi campeã e a Duda vice, na categoria sub 10”, falou orgulhosamente.

No Guarujá, as praias das Astúrias e Tombo são os picos mais frequentados por elas. E, quando estão no mar, se inspiram em Ítalo, Medina, Filipe, Caio e a na surfista de ondas grandes, Maya Gabeira. Juju, Duda e Paulinha estarão em Camburi para encararem novamente o Hang Loose Surf Attack, e a meta das três é avançar em suas baterias.

O Fu Wax apresenta Hang Loose Surf Attack 2021 também vai oferecer muita diversão para o público presente, com gincanas e sorteios de brindes. Entre uma bateria e outra, os atletas poderão utilizar o espaço da professora de educação física Stael Martins, treinadora de vários atletas de surfe amador, parceira da SPSurf, para manterem o condicionamento físico durante os confrontos dentro da água. Durante o evento será oferecido quase que um banquete aos atletas com distribuição de açaí, sucos, água e frutas à vontade.

É obrigatório que todos os atletas que estiverem com seus nomes nas listas de participantes nesta primeira etapa preencham o cadastro de inscrição e filiação, no site da SPSurf. É importante salientar que todos os competidores devem preencher o cadastro de inscrição e filiação, no site da SPSurf

Segundo o presidente da Federação de Surf do Estado de São Paulo, Zé Paulo, “a participação de atletas filiados se dá pelo motivo do Hang Loose Surf Attack ser uma vitrine para quem está iniciando. É um evento consolidado e respeitado e com mais de 30 anos de existência. Um circuito que consegue projetar e dar visibilidade para muitos atletas. O primeiro campeão mundial brasileiro, Gabriel Medina, que acaba de sagrar-se tricampeão mundial, que fez final com o atual vice-campeão mundial de surf Filipe Toledo, ambos são frutos deste forte trabalho de base que o empresário Alfio se dedica há mais de 30 anos”, lembrou o presidente da SPSurf.

O Hang Loose Surf Attack 2021 é apresentado pela Fu Wax e tem os patrocínios de Mobyou e Sthill. Apoios: Keahana Blanks, Special Boards, Miwa Beach Club, Protetor Solar Suntech, Loja 20 Pés, Surf Evolution, Delab Desing, Camburi Praia Hotel, Hostel Royal, Refúgio de Camburi, Açaí Gogordo Litoral Norte, Let’s Poke, Gimba, Frutaria Ventura, Taitiros Pizza e Sushi, Pizzaria Porto da Praia, Sim Suco e Sr. Altino Bar – Incentivando Talentos. Divulgação: Waves. Colaboração: Prefeitura Municipal de São Sebastião, Associação de Surf de São Sebastião (ASSS) e Associação de Surf de Camburi (Ascam): Organizado por: Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf).

Reportagem: Charles Roberto – SPSurf

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72