Eleições CBSurf 2020 – Viva a Democracia – Assistam aos Vídeos.

Publicado por AdrenaNews 0

Democracia é um regime político em que todos os cidadãos elegíveis participam igualmente, diretamente ou através de representantes eleitos, na proposta, no desenvolvimento e na criação de leis, exercendo o poder da governação através do sufrágio universal.

Delegação Brasileira. Foto: Pablo Jimenez – ISA

Ela abrange as condições sociais, econômicas e culturais que permitem o exercício livre e igual da autodeterminação política. Este ano de 2020 é o ano em que o Comitê Olímpico Brasileiro elegeu seus membros diretores e o mesmo acontece e acontecerá com todas as Confederações que fazem parte do COB. Em Novembro será a vez da CBSk, eleger a sua diretoria e provavelmente em Dezembro, ainda sem data e local definidos, será a vez da CBSurf.

Na Confederação Brasileira de Surf, Duas chapas de oposição já se manifestaram pelo pleito, a Chapa Projeto Surfa Brasil com Jojó de Olivença encabeçando e a Chapa Nação Surfe Brasil com Ricardo Bocão a frente. Ambos são dois ícones do surf brasileiro que formaram chapas fortes e que estão pleiteando um novo direcionamento a frente da entidade para os próximos anos.

Conversando com o atual presidente da CBSurf, Adalvo Argolo o mesmo ainda não se manifestou sobre a sua reeleição ou na montagem de uma chapa com os membros da atual diretoria e informou que assim que tomarem as decisões, iram se pronunciar oficialmente, através de sua assessoria de imprensa, Adalvo, enviou um relatório do balanço aprovado pelo COB.

CBSurf atinge o primeiro lugar no ranking do COB de prestação de contas:

O compromisso com a governança e o comprometimento em fazer uma gestão profissional estão gerando resultados positivos para a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf). O relatório do Comitê Olímpico do Brasil (COB), aponta a CBSurf na primeira colocação no ranking de prestação de contas entre todas as confederações.

Um parâmetro sério, importante, onde são verificados e apurados a liberação de adiantamentos, os recursos para projetos, as prestações de contas finalizadas, com a compatibilidade das despesas e conformidade dos valores, e por fim, os projetos que tiveram “problemas”, com saneamento e ressaneamento ou atraso de entrega de documentações.

“Ou seja, não tivemos nenhum projeto em atraso, ou com problemas nas prestações”, afirmou o presidente da CBSurf, Adalvo Argolo, ressaltando que a entidade está em conformidade com todos os itens, alcançando a liderança nessa importante avaliação.

Adalvo Argolo. Foto: Divulgação

“Quando melhor o ranking de prestação de contas, melhor é a visão do COB em relação à maturidade da Confederação, à gestão financeira e à utilização de recursos, aumentando, assim, a possibilidade de pleitearmos novos ou mais recursos para o futuro, sempre visando a implementação do nosso esporte em todo o País”, disse.

Ele explica que esse é um dos critérios de análise de gestão das confederações, utilizados pelo COB, descrito em sua Política de Descentralização de Recursos (PDR – item 4.2.21 – XI), para liberação de recursos ordinários por meritocracia. “O ranking também é um indicativo para verbas privadas, sempre pensando na evolução do esporte como um todo e significando que a nossa gestão é feita de forma correta”, explicou. “Este resultado é consequência do nível de profissionalismo em nossa gestão, com uma equipe bem preparada, sempre atenta e comprometida em colaborar para o crescimento do surf”, completou Adalvo.

Conheça um pouco sobre as chapas candidatas e suas intenções abaixo:

Chapa Projeto Surfa Brasil:

Bicampeão brasileiro, e diretor da ONG Projeto Ondas, no Guarujá (SP), Jojó de Olivença tentará pela primeira vez um cargo eletivo e conta com apoio de um seleto grupo de surfistas e pessoas envolvidas com a modalidade. O Brasil é o terceiro maior mercado do surf no mundo, contudo está longe de ser um dos mais estruturados.

Jojó de Olivença em ação. Foto: Arquivo Pessoal

E para mudar esta situação e trazer uma nova perspectiva de futuro para o esporte no Brasil que o baiano Jojó de Olivença, bicampeão brasileiro em 1988 e 1992, decidiu lançar sua candidatura e concorrer ao pleito que definirá o novo presidente da CBSurf, em data a ser agendada pela entidade. E para potencializar a gestão de um dos esportes mais tradicionais no país, o ex-top do WCT Jojó de Olivença conta com o apoio de um seleto grupo de surfistas e profissionais ligados ao surf, composta por Luiz Henrique Campos “Pinga”, Marcelo Andrade, Evandro Abreu, Fred Leite, Carlos Gianotti e Márcio Monteiro.

Luiz Henrique Pinga, Jojó de Olivença, Marcelo Magalhães (Sec. Especial de Esportes) e Evandro Abreu. Foto: Divulgação

Como ‘cabeça’ de chapa, ao lado de Jojó, está o decacampeão capixaba, ex-presidente da Federação de surf do Espírito Santo (FESURF) e fundador da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP), Nelson Ferreira, que será o vice-presidente da chapa. “Este é um momento de reconstrução do surf no país e isso só será possível com uma gestão responsável e transparente, que terá o compromisso e a responsabilidade de organizar desde os processos e estruturas internas, até o gerenciamento e desenvolvimento das categorias de base visando garantir o futuro do esporte”, explica Jojó.

Nelson Ferreira em ação. Foto: Basílio Bosque Ruy

Outro nome de peso do grupo é o de Juca de Barros, Diretor Internacional e ex-presidente da CBSurf de 2002 a 2009, considerada a melhor gestões da história da entidade. Época em que a entidade foi recebida pelo COB e Ministério do Esporte com o reconhecimento devido à organização administrativa e esportiva.

O grupo já trabalha desde março para implementar ideias e projetos para o crescimento do surf, pensando na reestruturação e organização da entidade, otimização dos custos da CBSurf e padronizando a organização dos eventos realizados pela confederação. No plano de gestão estão inclusos a formação e contratação de profissionais capacitados para o quadro interno da entidade, o estabelecimento de um plano de metas a curto, médio e longo prazo, projetos para reestruturação de todas as entidades ligadas à CBSurf e criação de um cadastro nacional de surf, para atletas, comissão técnica, dirigentes, treinadores, professor e indústria.

Existe ainda uma série de propostas especiais, como a criação de núcleos para jovens de 10 a 17 anos e de oportunidade de capacitação para ex-atletas em um plano pós-carreira. O grupo também está atento às necessidades de se desenvolver parcerias socioambientais com entidades como WWF, Parley, Projeto Tamar, eco local Brasil etc.

A ideia do Projeto Surfa Brasil é determinar projetos que possam intensificar as modalidades de surf feminino, stand-up paddle e longboard. A chapa ainda possui propostas de realizar eventos como do amador ao profissional até o máster, buscar parcerias privadas e receitas através da negociação de propriedades, criação de canais de comunicação efetivos, transmissão dos eventos nacionais e geração de conteúdo próprio.

Conheça os integrantes da chapa: Projeto #SurfaBrasil:

Jojó de Olivença – Presidente
Nelson Ferreira – Vice-Presidente
Marcelo Andrade – Diretor Executivo
Luiz Henrique Campos “Pinga” – Diretor de Desenvolvimento e Alto Rendimento
Fred Leite – Diretor Institucional
Alexandre Beka – Diretor Jurídico
Carlos Gianotti – Diretor de Desenvolvimento Educacional
Evandro Abreu – Diretor de Marketing
Karina Abras – Diretora de Surf Feminino
Marcio Monteiro – Diretor Técnico
Juca de Barros – Diretor Internacional
Armando Diniz – Diretor Regional – Norte/Nordeste
Darian Ledesma – Diretor Regional – Sul
Luiz Phelipe – Coordenador Adaptsurf
Alemão Maresias – Coordenador Big Waves
Fabio Quencas – Coordenador Master

Chapa Nação Surfe Brasil:

Ricardo Bocão surfista profissional nas décadas de 70 e 80, e que trabalha com criação e produção de conteúdo para televisão há mais de 20 anos. Estreou como apresentador de TV no cultuado programa “Realce”, em 1983, sendo o 1º programa de esportes de ação e jovem do Brasil. Depois continuou com outros programas, até ter o seu próprio canal o Woohoo. Ao longo deste período produziu mais de 4.000 programas inéditos para a TV.

Ricardo Bocão em ação. Foto: Arquivo Pessoal

No exterior, temos a Tempestade Brasileira dominando a cena no surf profissional mundial há mais de cinco anos. Nesse mesmo período, no Brasil, campeonatos e circuitos foram minguando, em todas as categorias, até chegar à uma situação de quase abandono.

Paulo Moura em ação. Foto: Arquivo Pessoal

Em agosto, grandes nomes do surf nacional, com valores em comum, se juntaram para criar uma frente com credibilidade lastreada pelos seus próprios feitos, conquistas e títulos, e trazer o surf brasileiro, dentro do país, para o lugar que ele já ocupa no exterior – uma nação forte, respeitada, admirada e em constante evolução.

Ricardo Bocão, Paulo Moura e Flávio Padaratz. Foto: Divulgação

Debatemos rapidamente para chegar, em absoluto consenso, à cinco pilares das nossas iniciativas, movimentos e realizações:

1) Estruturar a entidade;
2) Organização, Planejamento e Transparência;
3) Fortalecimento das Federações estaduais;
4) Foco nos atletas;
5) Circuitos próprios da CBSurf e homologação dos circuitos das Federações Estaduais.

Diretoria:

Presidente – Ricardo Bocão (RJ)
Vice-Presidente – Paulo Moura (PE)
Dir. Executivo – Guilherme Gomes (RJ)
Dir. de Marketing – Flávio Padaratz (SC)
Dir. de Relações Institucionais – Geraldo Cavalcanti (PE)
Dir. Técnico – Victor Ribas (RJ)

Coordenadores:

Técnico da Equipe Brasil/COB – Leandro Dora (PR)
Nac. Surf Feminino – Jaqueline Silva (SC)
Nac. Eventos Big Wave – Tiago Jacaré (SC)
Nac. Jurídico/Cartorial (Dir. de relações instit.) – Bruno Bittencourt (ES)
Nac. Contábil (Dir. de relações instit.) – Vladimir Bittencourt (ES)
Nac. Surfe na Pororoca – Noélio Sobrinho (PA)
Nac. Meio Ambiente – Duda Tedesco (RJ)
Região Sul Prod. e Eventos/Surf Resgate – Bira Schaufert (SC)
Prod. e Eventos Região (NE) – Carlito Gilberto (PB) e Saulo Moraes (SE)
Prod. e eventos Região Sudeste – Milton Waksman (RJ)
Coord. de intercâmbio Internacional (Europa) – Pedro Muller (Portugal)
Tour Manager Nacional: Alex Willians (ES)

Diretores de Prova:

Nacional categoria Master – Ricardo Tatui (RJ)
Nacional categoria Longboard – Picuruta Salazar (SP)
Cat. de Base Sudeste – Raoni Monteiro (RJ)
Cat. de Base Sul – Jihad Kodr (PR)
Cat. de Base Nordeste – Itim Silva (CE) e Bino Lopes (BA)
Cat. Profissional Nordeste – Otávio Lima (PB)
Cat. Profissional Sul – Guga Arruda (SC)
Cat. Profissional Sudeste – Piu Pereira (SP)
Cat. Longboard Norte/Nordeste – Jhonson Jaques (PB)
Cat. Longboard e S. na Pororoca Norte/Nordeste – Marcelo Bibita (CE)

Observação: Outros nomes de grande relevância e capacidade técnica para o surfe brasileiro ainda vão compor a diretoria, o conselho fiscal e o conselho consultivo desta chapa.

A pergunta que todos farão: “O que eu posso esperar da reunião desses nomes para formar uma entidade?”

A nossa resposta: “Um grupo, que já conta com 20 pessoas, com experiência suficiente em cada área de atuação, para estruturar e realizar, em nome da CBSurfe, com total sinergia entre as Federações, projetos que desenvolvam novamente os campeonatos e circuitos de todas as categorias, seminários com ênfase esportiva e cultural para as categorias de base, e eventos de mentoria profissional e financeira para os atletas em geral. Através de um trabalho sério, com responsabilidade, estilo leve e alto astral, vamos devolver ao nosso esporte, essa atividade lúdica que nos arrebatou ainda adolescentes, tudo aquilo que recebemos dele durante todos esses anos”.

Programa Surf em Debate:

O apresentador e comentarista, Klaus Kaiser junto com o ex-surfista profissional Giovanni Mancuso, estão a frente da bancada do Programa “Surf em Debate”. Agora em Outubro o programa trouxe as duas chapas de oposições para serem entrevistadas.

ASSISTAM AOS VÍDEOS NOS PLAYERS ABAIXO:

SURF EM DEBATE – ELEIÇÃO CBS – CHAPA JOJÓ DE OLIVENÇA
Transmitido ao vivo em 5 de out. de 2020

SURF EM DEBATE – ELEIÇÃO CBS – CHAPA RICARDO BOCÃO
Transmitido ao vivo em 12 de out. de 2020

Surf em Debate: É um programa diferente sobre surf, um programa de debates, opiniões fortes e que promete também muita polêmica com os assuntos atuais do nosso esporte. Os programas são ao vivo todas as segunda-feira as 20 horas. Além de Klaus Kaiser e Giovanni Mancuso, “Surf em Debate” conta também com os produtores, Gustavo Pibernat e Pietro Ceratti.

Reportagem: Edson “Adrena” Andrade (Fontes: Surf em Debate, Fabio Maradei e Chapas Concorrentes)

Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72