Cuervo Surf Ranch Classic – Blomfield e Delpero, vencem primeira etapa.

Publicado por AdrenaNews 0

A havaiana Honolua Blomfield e o francês Edouard Delpero conquistaram os títulos do Cuervo Surf Ranch Classic em Lemoore, na Califórnia, Estados Unidos.

Honolua Blomfield em ação. Foto: Thomas Lodin

A bicampeã mundial sacramentou a vitória com a única nota 10 da primeira etapa do World Surf League Longboard Tour no Surf Ranch. Ela e o francês largam na frente na corrida pelos títulos mundiais de 2021, que serão decididos no Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, na próxima semana em Malibu Beach, na Califórnia. A participação sul-americana terminou nas semifinais, com a brasileira Chloe Calmon e o peruano Lucas Garrido Lecca ficando em quinto lugar no Cuervo Surf Ranch Classic.

A norte-americana Soleil Errico vinha sendo o destaque do evento. Ela foi a melhor da primeira fase com 15,57 pontos, com Chloe Calmon ficando em segundo com 13,46. Na semifinal, ganhou uma nota 9,03 e totalizou 16,23 pontos, ficando em primeiro lugar novamente. Mas, na decisão do título, Honolua Blomfield surfou uma esquerda de forma espetacular, fazendo as manobras clássicas no bico dos pranchões e se entocando nos tubos para ganhar a única nota 10 do Cuervo Surf Ranch Classic. A havaiana somou o 10 com o 8,50 da segunda direita que surfou, para superar Soleil Errico por 18,50 a 16,47 pontos. A francesa Alice Lemoigne ficou em terceiro com 13,10 e outra norte-americana, Avalon Gall, em quarto com 12,34.

Soleil Errico em ação. Foto: Thomas Lodin

“É uma das minhas vitórias favoritas até agora na minha carreira”, disse Honolua Blomfield. “Eu quero agradecer a Soleil (Errico) por me fazer elevar o meu nível e dar meu máximo para vencer. Estou muito feliz por ganhar esse evento, significa muito para mim e foi muito divertido competir aqui. Eu adoraria conseguir outro título mundial, só que eu sei que vai ser difícil com todas as meninas competindo tão bem, mas vou dar o meu melhor em Malibu”.

Na categoria masculina, Justin Quintal também foi o melhor no Qualifying, na semifinal e falhou na decisão do título. O atual campeão mundial venceu a semifinal por 18,07 pontos, somando notas 9,27 na direita e 8,80 na esquerda, mas acabou caindo nas duas direitas da final. O norte-americano acabou em quarto lugar e o francês Edouard Delpero faturou o título com as notas 8,33 e 7,67 das primeiras ondas que surfou na final. Com os 16,00 pontos, superou os 14,30 do australiano Harrison Roach, os 10,76 do havaiano Kai Sallas e os apenas 8,67 do norte-americano Justin Quintal.

Edouard Delpero em ação. Foto: Thomas Lodin

“Foi, certamente, um trabalho pesado, difícil, então estou muito feliz por esta vitória”, disse Edouard Delpero. “Parabéns a todos os surfistas, que me incentivaram a surfar o meu melhor aqui. Certamente, foi o resultado de muito treinamento e estou muito grato por tudo que aconteceu hoje para mim. Eu mal posso esperar para chegar em Malibu e dar tudo de mim para conseguir outra grande vitória. Espero que eu possa prolongar esse momento lá”.

MELHOR SUL-AMERICANO: O peruano Lucas Garrido Lecca também fez boas apresentações nas direitas e esquerdas do Surf Ranch, alongando ao máximo as manobras “hang ten” e “hang five” mais tradicionais dos pranchões. Ele foi o sétimo melhor nas duas primeiras entradas na piscina, ficando entre os oito classificados para as semifinais. O peruano não conseguiu vaga para a grande final, caindo nas sessões de tubos. Mas, foi o melhor sul-americano no Surf Ranch e é o mais bem colocado no ranking mundial, em oitavo lugar.

Lucas Garrido Lecca em ação. Foto: Grant Ellis

O Cuervo Surf Ranch Classic terminou nesta quarta-feira e no domingo já começa o prazo do Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, que vai até 13 de outubro em Malibu Beach. O evento será transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo aplicativo grátis da WSL. O World Surf League Longboard Tour 2021 é patrocinado por Jose Cuervo, Jeep, Havaianas, Hydro Flask, Athletic Brewing, US Army, Aviator Nation, Firewire e Flying Embers.

PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA: A participação do Brasil no Cuervo Surf Ranch Classic não foi tão boa como nas etapas do World Surf League Championship Tour, com Gabriel Medina e Filipe Toledo decidindo os três títulos lá disputados. No Longboard, só teve uma classificação para as semifinais, da carioca Chloe Calmon, que fez a segunda melhor apresentação na primeira fase realizada na terça-feira.

Chloe Calmon em ação. Foto: Thomas Lodin

Na quarta-feira, ela não repetiu a boa atuação na primeira entrada na piscina. Na segunda, chegou a melhorar a nota da direita, de 5,43 para 6,73. Ficou precisando de 6,24 na esquerda para entrar no grupo das quatro finalistas, mas caiu logo no início da onda e terminou em sexto lugar no geral, com 12,47 pontos. Ficou bem perto de avançar para a decisão do título, pois a francesa Alice Lemoigne se classificou com 12,90 pontos. A brasileira marcou 5.000 pontos no Surf Ranch e é a quinta colocada no ranking mundial.

“Sempre foi um sonho surfar aqui no Surf Ranch. Já tinha visualizado isso há muitos meses, muitos anos, então quando cheguei aqui, eu sabia que tinha que manter os pés no chão e não ficar deslumbrada com tudo”, disse Chloe Calmon. “Eu tentei dar meu melhor, mas aquela queda na minha última esquerda custou a vaga na final. Mesmo assim, estou feliz pela oportunidade de voltar a competir, de viajar, depois de tanto tempo. Agora já vamos para Malibu semana que vem e estou muito feliz e animada para competir lá”.

TRÊS BRASILEIROS: Entre os homens, apenas três brasileiros competiram no Cuervo Surf Ranch Classic. O bicampeão mundial Phil Rajzman teve problemas com o visto de entrada nos Estados Unidos e só participará do Jeep Malibu Classic apresentado pelas Havaianas, que fecha o WSL Longboard Tour 2021 na próxima semana em Malibu Beach. O ranking que define os títulos mundiais da temporada, computará os resultados destas duas etapas da Califórnia e da única em 2020, o Noosa Longboard Open na Austrália.

Nas melhores ondas artificiais do mundo, os brasileiros não foram bem e ficaram nas últimas posições, entre os dezoito participantes. Augusto Olinto, que foi semifinalista em 2020 na Austrália, terminou na penúltima posição. O vice-campeão mundial de 2019, Rodrigo Sphaier, ficou na 15.a e Jefson Silva na 14.a. Os dois não tinham participado da etapa da Austrália e marcaram 3.500 pontos no ranking no Cuervo Surf Ranch Classic.

“Foi uma experiência legal estar aqui na piscina, é divertido, mas pra se adaptar eu acho que precisava surfar algumas ondas a mais. Nós tivemos só uma onda de treino e a onda tem uma força diferente da do mar”, analisou Jefson Silva. “Eu não consegui finalizar todas as minhas ondas, mas fico feliz em ter uma etapa de longboard aqui na piscina do Kelly (Slater). É um sonho de todo atleta participar de um evento aqui e agora é se preparar para Malibu. Foi o primeiro lugar que fui treinar quando cheguei aqui nos Estados Unidos, então já estou mais acostumado e fica mais fácil para que o trabalho seja bem feito lá”.

RESULTADOS DA QUARTA-FEIRA NO SURF RANCH:

FINAL FEMININA – 2 entradas para surfar 1 direita e 1 esquerda:

Campeã: Honolua Blomfield (HAV) – 18,50 pontos – D 8,50+10,0 E – 10.000 pontos no ranking
2.o lugar: Soleil Errico (EUA) – 16,47 pontos – D 8,07+8,40 E – 8.000 pontos
3.o lugar: Alice Lemoigne (FRA) – 13,10 pontos – D 6,77+6,33 E – 6.500 pontos
4.o lugar: Avalon Gall (EUA) – 12,34 pontos – D 6,07+6,27 E – 6.500 pontos

SEMIFINAL FEMININA – 2 entradas para surfar 1 direita e 1 esquerda:

Classificadas para a decisão do Cuervo Surf Ranch Classic:

1.a: Soleil Errico (EUA) – 15,80 pontos = D 8,67+7,13 E
2.a: Honolua Blomfield (HAV) – 13,90 = D 7,50+6,40 E
3.a: Avalon Gall (EUA) – 13,73 = D 6,00+7,73 E
4.a: Alice Lemoigne (FRA) – 12,90 = D 7,20+5,70 E

5.o lugar com 5.000 pontos no ranking:

5.a: Kelis Kaleopaa (HAV) – 12,53 pontos = D 6,73+5,80 E
6.a: Chloe Calmon (BRA) – 12,47 = D 6,67+5,80 E
7.a: Sally Cohen (HAV) – 12,24 = D 7,17+5,07 E
8.a: Natsumi Taoka (JPN) – 10,57 = D 4,90+5,67 E

FINAL MASCULINA – 2 entradas para surfar 1 direita e 1 esquerda:

Campeão: Edouard Delpero (FRA) – 16,00 pontos – D 8,33+7,67 E – 10.000 pontos no ranking
2.o lugar: Harrison Roach (AUS) – 14,30 – D 6,80+7,50 E – 8.000 pontos
3.o lugar: Kai Sallas (HAV) – 10,76 – D 7,43+3,33 E – 6.500 pontos
4.o lugar: Justin Quintal (EUA) – 8,67 – D 2,00+6,67 E – 6.500 pontos

SEMIFINAL MASCULINA – 2 entradas para surfar 1 direita e 1 esquerda:

Classificados para a decisão do Cuervo Surf Ranch Classic:

1.o: Justin Quintal (EUA) – 18,07 pontos = D 9,27+8,80 E
2.o: Harrison Roach (AUS) – 16,70 = D 9,53+7,17 E
2.o: Edouard Delpero (FRA) – 16,57 = D 8,20+8,37 E
4.o: Kai Sallas (EUA) – 15,56 = D 7,43+8,13 E

5.o lugar com 5.000 pontos no ranking:

5.o: Taylor Jensen (EUA) – 14,17 = D 7,30+6,87 E
6.o: Cole Robbins (EUA) – 14,00 = D 7,67+6,33 E
7.o: Joel Tudor (EUA) – 13,20 = D 6,87+6,33 E
8.o: Lucas Garrido Lecca (PER) – 11,13 – D 4,63+6,50 E

QUALIFYING MASCULINO – 2 entradas para surfar 1 direita e 1 esquerda:

Classificados para as semifinais do Cuervo Surf Ranch Classic:

1.o: Justin Quintal (EUA) – 16,06 pontos = D 7,83+8,23 E
2.o: Taylor Jensen (EUA) – 15,80 = D 7,53+8,27 E
3.o: Kai Sallas (HAV) – 15,20 = D 6,23+8,83 E
4.o: Harrison Roach (AUS) – 15,13 = D 7,93+7,20 E
5.o: Edouard Delpero (FRA) – 15,06 = D 6,73+8,33 E
6.o: Joel Tudor (EUA) – 13,60 = D 5,77+7,83 E
7.o: Lucas Garrido Lecca (PER) – 13,14 = D 7,17+5,97 E
8.o: Cole Robbins (EUA) – 12,97 = D 7,27+5,70 E

9.o lugar com 3.500 pontos no ranking:

9.o: Kevin Skvarna (EUA) – 12,90 pontos = D 5,70+7,20 E
10: Steven Sawyer (AFR) – 12,30 = D 4,63+7,67 E
11: Kaniela Stewart (HAV) – 11,50 = D 5,97+5,53 E
12: Ben Skinner (ING) – 11,07 = D 6,27+4,80 E
13: Tony Silvagni (EUA) – 10,77 = D 5,50+5,27 E
14: Jefson Silva (BRA) – 9,70 = D 4,17+5,53 E
15: Rodrigo Sphaier (BRA) – 9,50 = D 5,20+4,30 E
16: Kaimana Takayama (EUA) – 8,50 = D 4,43+4,07 E

17.o lugar com 2.000 pontos no ranking:

17: Augusto Olinto (BRA) – 8,10 = D 3,27+4,83 E
18: Taka Inoue (JPN) – 7,70 = D 4,13+3,57 E

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin América

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72