Circuito Banco do Brasil de Surfe – Começa nesta quinta-feira na Praia da Ferrugem.

Publicado por AdrenaNews 0

Começa nesta quinta-feira na Praia da Ferrugem em Garopaba o Circuito Banco do Brasil de Surfe.

Praia da Ferrugem, em Garopaba, Santa Catarina. Foto: Murilo da Rosa – Prefeitura de Garopaba

A cidade de Garopaba é reconhecida oficialmente como a “Capital Catarinense do Surf” e foi a escolhida para sediar a abertura do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Serão três etapas do World Surf League (WSL) Qualifying Series realizadas com o princípio da igualdade na premiação para homens e mulheres, incentivada pela Liga. A primeira começa nesta quinta-feira na Praia da Ferrugem, com participação de grandes estrelas do surfe nacional e de outros países da América do Sul.

Uma das metas do Circuito Banco do Brasil de Surfe é descobrir novos talentos no surfe nacional e as etapas foram marcadas em cada região do país. A primeira é nesta semana em Santa Catarina, a segunda em maio na Bahia, nos dias 12 a 15 na Praia de Stella Maris, em Salvador, e a última será no litoral norte de São Paulo, de 25 a 28 de agosto na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, onde surgiu o hoje líder do ranking mundial, Filipe Toledo.

“Investir no surf é remar junto” é o lema do Circuito Banco do Brasil de Surfe, que oferece um incentivo a mais aos participantes, além dos pontos nos rankings regionais da WSL Latin America. Quem ficar em primeiro lugar na classificação geral computando os resultados das três etapas, receberá um convite especial para participar da única etapa do Challenger Series na América Latina, o Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, em novembro.

COLETIVA DE IMPRENSA: Na quarta-feira, alguns destaques da etapa de abertura do Circuito Banco do Brasil de Surfe, participaram da Coletiva de Imprensa realizada na tarde da quarta-feira na área VIP da arena do evento na Praia da Ferrugem. As duas atletas patrocinadas pelo BB Asset Management, Silvana Lima, que por muitos anos fez parte da elite mundial do CT e uma das grandes promessas do surfe feminino brasileiro, Juliana dos Santos, a recém-coroada campeã sul-americana profissional com apenas 16 anos, Sophia Medina, além de dois ex-tops do CT, Peterson Crisanto e Alex Ribeiro.

Silvana Lima, Sophia Medina, Juliana dos Santos, Alex Ribeiro e Peterson Crisanto. Foto: Alan Pedro – Prefeitura de Garopaba

“Quero parabenizar ao Banco do Brasil, que está fazendo esse evento aqui, depois na Bahia e vai finalizar em Ubatuba. Neste ano tem bastante eventos e o foco continua. Eu amo competir e meu maior objetivo é estar nas Olimpíadas mais uma vez”, disse Silvana Lima, que participou da estreia do surfe como modalidade olímpica, nos Jogos de Tóquio no Japão. “Eu acho que esse circuito é importante para o Banco do Brasil sentir essa vibração dos surfistas. O Banco do Brasil já foi pra praia com o Vôlei de Praia, mas agora vai sentir um pouco mais a realidade do surfe e acredito que virão mais eventos pela frente”.

Silvana Lima em ação. Foto: Damien Poullenot

Ao contrário de Silvana Lima, a também cearense Juliana dos Santos está iniciando sua carreira de surfista profissional e prometeu lutar para vencer o ranking do Circuito Banco do Brasil de Surfe, para ganhar a vaga de convidada para o Challenger Series de Saquarema: “Estou muito focada, estou firme e pronta para as batalhas que vierem pela frente. Estou me dedicando e me esforçando ao máximo, buscando evoluir a cada treino, e vou dar o meu melhor para estar no Challenger Series”.

Sophia Medina respondeu sobre ter conseguido o título sul-americano com 1 ano de idade a menos do que seu irmão, o tricampeão mundial Gabriel Medina: “Foi muito importante essa conquista e não sabia que ia chegar tão cedo. Eu sempre vi o que meu irmão fez, sinto vontade de fazer igual, mas na real foi só o resultado do trabalho que venho fazendo. Eu fiquei muito feliz, minha família inteira ficou feliz, o Gabriel também, que é meu irmão coruja (risos). É legal, porque a história continua, o sonho é o mesmo e vou tentar fazer o meu melhor, para escrever a minha própria história”.

Sophia Medina em ação. Foto: Tony D’Andrea

Alex Ribeiro e Peterson Crisanto estiveram juntos com Gabriel Medina na elite da World Surf League até o ano passado e vão tentar recuperar suas vagas pelo Challenger Series este ano. A etapa de Garopaba do Circuito Banco do Brasil de Surfe, é a última parada antes deles embarcarem para o início da divisão de acesso para o CT 2023 na Austrália, que começa em maio.

Alex Ribeiro em ação. Foto: Tony D’Andrea

“Vão ser duas etapas importantes lá, na Gold Coast e em Manly Beach, então vim aqui mais pra ganhar ritmo mesmo, competindo com os melhores surfistas do Brasil e da América do Sul, para chegar mais bem preparado para o Challenger Series”, disse Alex Ribeiro.

Peterson Crisanto se contundiu no ano passado e só agora está voltando a competir: “Infelizmente, logo após a etapa do Mexico (em agosto de 2021), eu acabei rompendo os ligamentos do meu pé e fiquei 5 meses sem competir, fazendo fisioterapia da cirurgia, mas estou confiante agora. Eu já competi aqui uns 15 anos atrás, ganhei uma categoria, então tenho boas recordações aqui da Ferrugem, é uma onda muito boa, estou bem psicologicamente, fisicamente também e espero conseguir um bom resultado nesse evento”.

 

Peterson Crisanto em ação. Foto: Matt Dunbar

SURFISTAS ESCALADOS: Os 112 participantes da categoria masculina da etapa de abertura do Circuito Banco do Brasil de Surfe, foram divididos em três fases. Serão 32 entrando nas 8 baterias da rodada inicial, mais 48 na segunda fase e na terceira estreiam os 32 cabeças de chave. Neste grupo dos mais bem colocados no ranking da WSL Latin America, estão as principais estrelas do evento, como os ex-tops da elite mundial do CT, Alejo Muniz, que vem de vitória no QS da Argentina, Willian Cardoso, Ian Gouveia, Alex Ribeiro, Wiggolly Dantas e o cabeça de chave número 1 em Garopaba, Peterson Crisanto.

Também fazem parte desta lista, alguns surfistas classificados para disputar o Challenger Series 2022, que começa em maio na Austrália: Willian Cardoso, Matheus Navarro, Alex Ribeiro e o argentino Santiago Muniz. Em Garopaba, a batalha no Circuito Banco do Brasil de Surfe já é pelas vagas para o Challenger Series do ano que vem. Esta será a segunda etapa valendo pontos para os rankings regionais de 2022/2023 da WSL Latin America, que classifica os surfistas da América do Sul para a divisão de acesso ao CT.

Na categoria feminina, todas as 32 participantes foram divididas nos oito confrontos da primeira fase do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Logo na primeira bateria, está a peruana Daniella Rosas, que venceu as duas últimas etapas do Qualifying Series no continente em semanas seguidas, na Praia Mole de Florianópolis e na Argentina. Daniella vai enfrentar a argentina Catalina Mercere e duas brasileiras, Isabela Saldanha e Sophia Gonçalves.

A atual campeã sul-americana da WSL Latin America, Sophia Medina, vai estrear na quinta bateria com mais três brasileiras, Julia dos Santos, Marina Rezende e Maria Amelia Autuori. Já as atletas patrocinadas pelo BB Asset Management, foram escaladas na segunda e na oitava e última bateria desta rodada inicial. A jovem Juliana dos Santos está na segunda e a grande estrela, Silvana Lima, vai disputar as duas últimas vagas para a segunda fase.

CIRCUITO BANCO DO BRASIL DE SURFE – GAROPABA:
(baterias sujeitas à alterações até o início da competição)

PRIMEIRA FASE – 3.a=17.o lugar (200 pts) e 4.a=25.o lugar (150 pts):

1.a: Daniella Rosas (PER), Isabela Saldanha (BRA), Sophia Gonçalves (BRA), Catalina Mercere (ARG)
2.a: Taina Hinckel (BRA), Melanie Giunta (PER), Juliana dos Santos (BRA), Potira Castaman (BRA)
3.a: Yanca Costa (BRA), Kalea Gervasi (PER), Kemily Sampaio (BRA), Genesis Garcia (ECU)
4.a: Laura Raupp (BRA), Karol Ribeiro (BRA), Naire Marquez (BRA), Rafaella Montesi (CHL)
5.a: Sophia Medina (BRA), Julia dos Santos (BRA), Marina Rezende (BRA), Maria Amelia Autuori (BRA)
6.a: Isabelle Nalu (BRA), Dominic Barona (ECU), Yasmin Neves (BRA), Gabriely Vasque (BRA)
7.a: Kiany Hyakutake (BRA), Sol Carrion (BRA), Maya Carpinelli (BRA), Juliana Meneguel (BRA)
8.a: Arena Rodriguez (PER), Sol Aguirre (PER), Silvana Lima (BRA), Luara Mandelli (BRA)

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar (20 pts) e 4.o=105.o lugar (14 pts):

1.a: Tomas Lopez Moreno (ARG), Claudio Stanisci (BRA), Guilherme Carvalho (BRA), Ryan Campos (BRA)
2.a: Odacir Nonato (BRA), Philippe Neves (BRA), Gabriel Arturo Vargas (PER), Raul Rios (PER)
3.a: Diego Rosa (BRA), Gabriel Souza (BRA), Ronaldo Silveira (BRA), Lucas Silveira (BRA)
4.a: Kayan Medeiros (BRA), Jihad Khodr (BRA), Lucas Santos (BRA), João Artur de Holanda (BRA)
5.a: Marcos Aurelio Alves (BRA), Samuel Joquinha (BRA), Esdras Morais (BRA), Ruan Guimarães (BRA)
6.a: Murilo Brandt (BRA), José Muniz (BRA), Joaquin del Castillo (PER), Diogo Santos (BRA)
7.a: Luã da Silveira (BRA), Guilherme Fernandes (BRA), Santiago Medeiro (URU), Rodrigo Couto (BRA)
8.a: Pedro Mendes (BRA), Marcus Cintra (BRA), Matias Veloz Rojas (CHL), Kauã Campos (BRA)

SEGUNDA FASE – 3.o=65.o lugar (53 pts) e 4.o= 81.o lugar (40 pts):

01: Uriel Sposaro (BRA), Messias Felix (BRA), Denisson Santos (BRA), 1.o da 1.a da 1.a fase
02: Roberto Araki (CHL), Ricardo João (BRA), Wallace Vasco (BRA), 2.o da 1.a
03: Edgard Groggia (BRA), Daniel Matos (BRA), Derek Adriano (BRA), 1.o da 2.a
04: Hedieferson Junior (BRA), Pedro Bianchini (BRA), Martin Ottado (URU), 2.o da 2.a
05: Luan Carvalho (BRA), Niccolas Padaratz (BRA), Vitor Valentim (BRA), 1.o da 3.a
06: Artur Silva (BRA), Luan Hanada (BRA), Eric Bahia (BRA), 2.o da 3.a
07: Douglas Silva (BRA), Thiago Muller (BRA), Willian Feiden (BRA), 1.o da 4.a
08: Fernando Junior (BRA), Gabriel Klaussner (BRA), Cauet Frazão (BRA), 2.o da 4.a
09: Luan Wood (BRA), Diego Aguiar (BRA), Thiago Meneses (BRA), 1.o da 5.a
10: Igor Moraes (BRA), Renan Rodrigues (BRA), Luiz Mendes (BRA), 2.o da 5.a
11: Deyvson Santos (BRA), Heitor Alves (BRA), Marco Polo (BRA), 1.o da 6.a
12: Pedro Neves (BRA), Theo Fresia (BRA), Kainan Meira (BRA), 2.o da 6.a
13: Luciano Brulher (BRA), Felipe Oliveira (BRA), Marco Giorgi (URU), 1.o da 7.a
14: Daniel Adisaka (BRA), Fabricio Rocha (BRA), João Ferreira (BRA), 2.o da 7.a
15: Cauã Costa (BRA), Edson de Pra (BRA), Thiago Eduardo (BRA), 1.o da 8.a
16: Kauê Germano (BRA), Patrick Plachi (BRA), Walley Guimarães (BRA), 2.o da 8.a

TERCEIRA FASE – entrada dos 32 cabeças de chave:
03.o=33.o lugar (66 pts) e 4.o=49.o lugar (60 pts)

01: Matheus Navarro (BRA), Vitor Ferreira (BRA), 1.o da 1.a da 2.a fase e 2.o da 2.a
02: Caetano Vargas (BRA), Gabriel André (BRA), 1.o da 2.a e 2.o da 1.a
03: Alejo Muniz (BRA), Pedro Dib (BRA), 1.o da 3.a e 2.o da 4.a
04: Thiago Camarão (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), 1.o da 4.a e 2.o da 3.a
05: Marcos Correa (BRA), Gustavo Borges (BRA), 1.o da 5.a e 2.o da 6.a
06: Ryan Kainalo (BRA), Rodrigo Saldanha (BRA), 1.o da 6.a e 2.o da 5.a
07: Krystian Kymerson (BRA), Leo Casal (BRA), 1.o da 7.a e 2.o da 8.a
08: Alex Ribeiro (BRA), Yuri Gonçalves (BRA), 1.o da 8.a e 2.o da 7.a
09: Willian Cardoso (BRA), Felipe Ximenes (BRA), 1.o da 9.a e 2.o da 10.a
10: Ian Gouveia (BRA), Giovani Pontes (BRA), 1.o da 10.a e 2.o da 9.a
11: José Gundesen (ARG), Amando Tenorio (BRA), 1.o da 11.a e 2.o da 12.a
12: Renan Peres (BRA), Rafael Teixeira (BRA), 1.o da 12.a e 2.o da 11.a
13: José Francisco (BRA), Marcio Farney (BRA), 1.o da 13.a e 2.o da 14.a
14: Mateus Sena (BRA), Lucas Vicente (BRA), 1.o da 14.a e 2.o da 13.a
15: Weslley Dantas (BRA), Sebastian Olarte (URU), 1.o da 15.a e 2.o da 16.a
16: Santiago Muniz (ARG), Peterson Crisanto (BRA), 1.o da 16.a e 2.o da 15.a

O Circuito Banco do Brasil de Surfe conta com patrocínio do Banco do Brasil e BB Asset Management e esta primeira etapa será realizada também com o apoio da Prefeitura Municipal de Garopaba e da Rede Atlântida.

A competição será transmitida ao vivo da Praia da Ferrugem ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo WSL app

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – World Surf League

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas