CBSurf define seus campeões brasileiros de 2021

Publicado por AdrenaNews 0

Definidos os Campeões Brasileiros de Surfe Profissional e Amador 2021 da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf).

Mateus Herdy em ação. Foto: Orlando Rodrigues

As famosas ondas da Praia da Tiririca em Itacaré, Bahia, serviu de palco para o show das mais novas gerações do surf brasileiro. Os grandes campeões da categoria Sub 18, os mais experientes entre os participantes, foram a catarinense Tainá Hinckel e o paulista Caio Costa.

Caio Costa em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Tainá veio desde a Profissional dando trabalho e marcando presença na final (na qual ficou com a terceira colocação). Contudo, na sua categoria original a experiência falou mais alto e ela não deu chances para as adversárias, dominando a bateria para terminar com o título de Campeã Brasileira Sub 18 CBSurf 2021. Na segunda colocação ficou a não menos talentosa Laura Raupp, que vem mostrando uma grande evolução nos últimos anos para terminar o ano como a segunda melhor atleta na categoria. Na terceira colocação ficou a também catarinense Isabella Nalu, com Sophia Gonçalves completando o pódio na quarta colocação.

Laura Raupp em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Entre os homens o grande campeão foi o surfista Caio Costa, que surfou muito bem o evento inteiro para comemorar a vitória entre os competidores da Sub 18. Na segunda colocação ficou o paulista Ryan Kainalo, que foi mais um que mostrou muita qualidade de surfe e estratégia em toda a competição. O catarinense Leo Casal e o paulista João Artur completaram o pódio na terceira e quarta colocações, respectivamente.

Ryan Kainalo em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Entre os atletas da Sub 16 o destaque ficou por conta da atuação do potiguar Rafael Barbosa. Determinado a levar o título da categoria para seu estado natal, Rafael protagonizou uma disputa acirrada pela liderança da bateria superando o paulista Guilherme Fernandes. Em terceiro e quarto lugares ficaram os paranaenses Lukas Camargo e Lucas Cainan, respectivamente.

Rafael Barbosa em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Entre as atletas da Sub 16, Sophia Gonçalves foi a grande vencedora, com a catarinense Kiany Hyakutake em segundo, Isabelle Nalu na terceira colocação e Laura Raupp em quarto.

Sophia Gonçalves. Foto: Artur Holanda

Já entre os mais jovens do evento, os competidores da Sub 14, o destaque ficou por conta da apresentação de Kalani Robles. Empurrado pela torcida da família e amigos, com direito a uniforme, o paulista não se intimidou e surfando como gente grande conseguiu arrancar as maiores notas dos árbitros para conquistar o lugar mais alto do pódio, trazendo em segundo lugar o paranaense Lukas Camargo, com Guilherme Lemos em terceiro e João Ricardo na quarta colocação.

Kalani Robles em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Entre as mulheres a grande campeã da Sub 14 foi Isabelle Nalu, com Alexia Monteiro em segundo, Maria Amélia Autuori em terceiro e Aurora Ribeiro na quarta colocação.

Isabelle Nalu em ação. Foto: Orlando Rodrigues

DESTAQUES:

Sem sombra de dúvidas o maior destaque da competição foi a atuação de Isabelle Nalu. Ela, que já vinha de uma final entre as profissionais, esteve presente nas três finais do CBSurf Junior, isto é, foi a única atleta da competição a estar em todos os 4 pódios das categorias amadoras e profissional, entre homens e mulheres. Em sua categoria natural, a Sub 14, Nalu mostrou toda a sua preparação e experiência, virando na regressiva a semifinal e a final, mostrando muito autocontrole, determinação e foco. Sem sombra de dúvidas, o CBSurf Pro e Junior 2021 ficou marcado pela atuação da mais nova promessa do surfe brasileiro e todos que acompanharam a competição, tanto pela internet, quanto na praia, puderam testemunhar o nascimento da mais nova estrela do surfe brasileiro e mundial! Alguém duvida?

OUTROS DESTAQUES:

Se levarmos em consideração que os esportes no mundo estão parados, ou em ritmo muito lento há quase dois anos e a média de idade dos inscritos era de 15 anos, o período da pandemia representa praticamente 20% das vidas desses jovens. Só por isso, todos eles já estão de parabéns e merecem o reconhecimento do esforço necessário para participar de uma competição como essa, de caráter nacional.

Contudo, alguns conseguiram ir um pouco mais além, com performances contundentes em apresentações de encher os olhos. Surfistas como os paranaense Lucas Catapan, Luara Mandeli e Lucas Cainan, Rickson Falcão, Cauã Costa (atual Campeão Sul-Americano Pro Junior 2021), os paulistas Ryan Kainalo, Matheus Neves, Daniel Duarte, Sol Carrion e Fabrício Rocha, os cearenses Guilherme Lemos, Ytalo Oliveira e Pedro Rian, os paraibanos Yuri Barros e João Lira e o potiguar Felipe Bezerra e a baiana Potira Castaman. Todos eles fizeram excelentes apresentações e perderam suas baterias no detalhe. Contudo, a experiência que eles tiveram nesses dias incríveis certamente irá se refletir no futuro esportivo e na vida deles. As interações, o intercâmbio entre equipes, as brincadeiras, as vitórias, as derrotas, os erros e os acertos. E aqueles que melhor conseguirem extrair de tudo isso as melhores lições certamente conseguirão evoluir como atletas e seres humanos.

Cauã Costa em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Na quinta-feira, Mateus Herdy deu mais um show de surfe para superar nomes de peso do surfe brasileiro e conquistar o Título de Campeão Profissional da CBSurf 2021. Em uma final eletrizante o catarinense abusou das suas armas mais letais para conquistar seu primeiro título como Profissional e encerrar o ano com o melhor resultado já conquistado no Brasileiro Profissional da CBSurf. Com o resultado Mateus embolsou a quantia de R$ 24.000,00 para, como ele mesmo disse, fechar o ano com chave de ouro.

Pódio Masculino Profissional. Foto: Fabriciano Junior

“Foi um evento irado. Eu comecei passando as baterias em segundo, mas ontem virou a chave e eu consegui achar um 9,90 que me deu confiança… Hoje eu acordei bem e queria muito ganhar. Estou sem acreditar! Esse ano foi difícil pra mim. Acabei não me classificando (para o CT) e ter vindo para esse último evento do ano e vencido foi muito bom. Foi um evento muito importante para a minha vida nesse momento”, declarou o campeão.

Na segunda colocação ficou o atleta da Baía da Traição, Samuel Igo, que comemorou muito o resultado no melhor estilo Índio do Surfe:

Samuel Igo em ação. Foto: Orlando Rodrigues

“Que bateria! Nomes de alto nível no cenário do surfe nacional e mundial… Eu continuei com minha estratégia, acreditando que ia vir a minha onda. Não consegui pegar a última, pra buscar a virada, mas estou muito feliz de ter feito essa final, ainda mais em um Campeonato Brasileiro, que eu considero um dos mais difíceis do mundo… Estou muito feliz. Vice-Campeão Brasileiro e me sinto cada vez mais próximo de conquistar meus objetivos”, comentou Samuel Igo, que com o resultado conquistou a premiação de R$ 12.000,00.

Na terceira colocação ficou o cearense radicado em Santa Catarina, Michael Rodrigues, que também comemorou muito o resultado e a conquista dos R$ 8.000,00 de premiação.

Michael Rodrigues em ação. Foto: Orlando Rodrigues

E na quarta colocação, mas nem por isso menos feliz que seus companheiros de Final, tivemos o paulista Daniel Adsaka, que com o resultado faturou R$ 6.000,00.

Daniel Adsaka em ação. Foto: Orlando Rodrigues

No feminino a grande campeão foi Silvana Lima. Acostumada aos pódios em Itacaré, Silvana lançou mão de toda a experiência reunida em seus 37 anos de praia e vários bons resultados na Praia da Tiririca para conquistar o lugar mais alto do pódio entre as mulheres:

Silvana Lima em ação. Foto: Orlando Rodrigues

“Tudo certo. Estou superfeliz. Mais um ano que a gente fecha com chave de ouro. Ano passado ganhei a última etapa e estou novamente aqui em Itacaré pra mais uma final e só tenho a agradecer a todos que estavam na torcida”, falou Silvana logo após o término da bateria. “Todo mundo (surfistas) ama Itacaré. Foi o melhor lugar que o Adalvo poderia escolher para definir os campeões do circuito. Parabéns a todos da organização. O evento foi incrível!”, falou Silvana, que completou: “Competir com essa nova geração que vem chegando com tudo me motiva a treinar ainda mais para continuar competindo, que é a coisa que mais gosto de fazer. Agora, vou com tudo para o WQS em busca de recuperar a minha vaga no CT”, finalizou a cearense, que além do título nacional, recebeu R$ 24.000,00 pela vitória.

Na segunda colocação ficou a jovem paulista Naire Marquez que não conteve a alegria com o impressionante resultado conquistado com apenas 15 anos de idade:

Naire Marquez em ação. Foto: Orlando Rodrigues

“Eu estou muito, muito, muito feliz em ter podido vir pra cá. Foi o meu melhor resultado em um evento Profissional da CBSurf. Ainda tenho a Sub 18 e a Sub 16 no Junior, que começa logo mais. É uma inspiração pra mim poder surfar com a meninas, a Bela, a Tainá, a Silvana e não só as que chegaram na Final, pois, o nível está muito alto. Esse evento foi incrível e eu espero que tenham mais campeonatos assim ano que vem”, finalizou a Vice-Campeã, que com o resultado engordou a sua conta bancária em R$ 12.000,00.

Em terceiro ficou a catarinense Tainá Hinckel, com Isabelle Nalu completando o pódio na quarta colocação. Pelos resultados elas também fizeram jus à premiação de R$ 8.000,00 e R$ 6.000,00, respectivamente.

Tainá Hinckel em ação. Foto: Orlando Rodrigues

Seleção Paulista é tricampeã por equipes e leva o 14º título por estados no CBSurf Junior 2021:

Individualmente, Caio Costa, Sophia Gonçalves e Kalani Robles sagraram-se campeões brasileiros Junior 2021, em suas categorias, representando a estreia da Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf) no CBSurf Junior. Ao todo São Paulo subiu sete vezes ao pódio. Seleção Paulista é tricampeã por equipes e leva o 14º título por estados no CBSurf Junior 2021. São Paulo, indiscutivelmente, é uma “máquina que fabrica” campeões no surfe. A exemplo disso, a Seleção Paulista de Surf, comandada por Marcio Cebola, e representando a Federação de Surf do Estado de São Paulo (SPSurf), conquistou o seu terceiro título nacional por equipes consecutivamente, além de sete pódios, dentre eles, três títulos de campeões brasileiros, dois no masculino e um no feminino, nas finais do CBSurf Junior 2021. São Paulo também recebeu o seu 14º título de campeão por Estados, em segundo ficou Santa Catarina, terceiro Rio Grande do Norte, e quarto Paraná.

Pódio Seleção Paulista de Surf. Foto: Artur Holanda

RENOVAÇÃO NO AR:

O CBSurf Pro 2021 ficará marcado pela nítida renovação do surfe brasileiro. Tanto entre os homens, com a vitória de Matheus Herdy, como entre as mulheres, onde no pódio tínhamos três atletas com menos da metade da idade da grande Campeã Silvana Lima, mostra que a renovação está em curso e o futuro do surfe brasileiro a nível mundial está garantido pelos próximos 10 anos, não somente por conta das finalistas, mas sim por uma nova geração que chega com muita sede de vitórias e conquistas. Foram quatro dias de altas ondas e manobras incríveis onde pudemos perceber que não há exagero algum em considerar o Brasil o país do surfe do Séc. XXI.

RESULTADOS:

Masculino Pro:

1º Mateus Herdy-SC
2º Samuel Igo-PB
3º Michael Rodrigues-CE
4º Daniel Adsaka-SP

Feminino Pro:

1ª Silvana Lima-CE
2ª Naire Martinez-SP
3ª Tainá Hinckel-SC
4ª Isabella Nalu-SC

SUB 18 Masculino:

1º Caio Costa-SP
2º Ryan Kainalo-SP
3º Leo Casal-SC
4º João Artur-SP

Sub 18 Feminino:

1ª Tainá Hinckel-SC
2ª Laura Raupp-SC
3ª Isabele Nalu-SC
4ª Sophia Gonçalves-SP

SUB 16 Masculino:

1º Rafael Barbosa-RN
2º Guilherme Fernandes-SP
3º Lukas Camargo-PR
4º Lucas Cainan-PR

Sub 16 Feminino:

1ª Sophia Gonçalves-SP
2ª Kiany Hyakutake-SC
3ª Isabelle Nalu-SC
4ª Laura Raupp-SC

SUB 14 Masculino:

1º Kalani Robles-SP
2º Lukas Camargo-PR
3º Guilherme Lemos-CE
4º João Ricardo-RN

Sub 14 Feminino:

1ª Isabelle Nalu-SC
2ª Alexia Monteiro-SC
3ª Maria Amélia Autuori-SC
4ª Aurora Ribeiro-SP

Maiores Informações:

Você pode conferir o Ranking Brasileiro atualizado, assim como os resultados de todas as baterias realizadas no CBSurf Pro e Junior 2021 através dos links: https://cbsurf.org.br/ e http://www.websurf.com.br/cbsurf/

IMPORTANTE:

A exemplo de anos anteriores, o ranking da CBSurf serve como referência para os editais de Bolsa Atleta divulgados pelos governos Federal, Estaduais e Municipais e pode ser utilizado integral ou parcialmente para a formação das equipes brasileiras que representarão o país no Jogos Mundiais da ISA, obedecendo sempre aos critérios estabelecidos no Livro de Regras da CBSurf.

Premiações:

Durante esses dias a mais nova geração do surfe brasileiro pode testemunhar e protagonizar mais um capítulo da história do esporte. Enquanto os profissionais disputavam entre si os títulos e a premiação de R$ 160.000,00, as categorias de base puderam sentir o gostinho de como é ser um surfista profissional. De disputar baterias valendo grana, buscando não deixar que isso atrapalhe o foco no resultado, afinal de contas, eles também disputaram uma premiação em dinheiro, R$ 40.000,00. Nesses dias, em que os ídolos transitavam entre eles, o sonho de ser um surfista profissional de sucesso povoou o imaginário de todos. E no fundo é isso que importa, porque ídolos inspiram fãs e sonhos impulsionam vidas!

O CBSurf Pro e Junior 2021 é Apresentado por Prefeitura de Itacaré. Patrocínio: Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Turismo. Apoio: Sundek, Quebra Onda, Associação de Surf de Itacaré, Pousada Raisis, Pousada Atlântica, Sage Point, Sertão Gourmet Food Truck, Abusada, Hotel Boutique Villa dos Sonhos, Pousada da Paz, Aldeia do Mar Hotel, Pousada L’arcobaleno, Imobtur, Manga Rosa Restaurante, Pousada Puerto Escondido, Pousada Vila N’Kara, Itacaré Prime, Vila do Dengo, Costa do Cacau Imóveis, São José Beach Club, Vila dos Pássaros, Tia Doth e Survive Photos. Promoção: Litoral-Esporte e Entretenimento e Febera. Realização: Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) e Federação Baiana de Surf (FBSurf).

Reportagem: George Noronha

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas