Breakdance e Escalada confirmados nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024 – Assistam aos Vídeos.

Publicado por AdrenaNews 0

O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou a inclusão de mais duas modalidades no programa dos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.

Pelezinho em ação. Foto: Divulgação – Red Bul

A entidade oficializou a permanência da escalada esportiva, que já estará estreando nos Jogos de Tóquio em 2021 e do breakdance que fará a sua estreia em 2024. A inclusão destas duas modalidades havia sido proposta pela organização local dos Jogos de Paris, em 2019. E esperava pela aprovação do COI, que reuniu seu Comitê Executivo em Dezembro aprovando as sugestões dos franceses. Com estas novas modalidades, que não estão garantidas nas edições futuras das Olimpíadas, os Jogos de Paris esperam atrair um público mais jovem para o grande evento esportivo.

Escalada esportiva. Foto: Divulgação – The Good Life Denver.com

Sem qualquer histórico na Olimpíada, o breakdance fez sua estreia em grandes eventos esportivos em 2018, ao ser incluído no programa dos Jogos Olímpicos da Juventude, realizada em Buenos Aires. Organizada pela Federação Mundial de Dança Esportiva (World DanceSport Federation), a modalidade consiste em duelos entre dois atletas, que são avaliados por juízes. Para a competição realizada na Argentina, a inscrição para a disputa foi feita através do envio de vídeos dos interessados, pela internet.

Gilberto “Rato” Araújo em ação. Foto: Divulgação – Red Bul

Parte da cultura hip-hop, que surgiu em Nova York na década de 70, o breakdance não conta com grande estrutura em sua organização. Há apenas uma grande competição da modalidade, de nível mundial, a BC One (Break Championship), criada pela Red Bull.

B.Boy em ação. Foto: Robert Snow – Red Bul

O Red Bull BC One é a maior competição individual de B-Boys e B-Girls do mundo. Desde sua criação, em 2004, o evento já foi realizado em diversos países e acabou se tornando o principal campeonato de breaking do planeta. A cada ano, milhares de dançarinos competem em batalhas regionais e os dezesseis vencedores dessas etapas vão para o Red Bull BC One World Final, onde um deles é coroado campeão mundial. Para mergulhar e saber todos os detalhes dessa história, assista abaixo “ABC do… Red Bull BC One”, documentário da Red Bull TV que conta a jornada do campeonato.

ASSISTAM AO VÍDEO NO PLAYER ABAIXO:

Red Bull – ABC of Red Bull BC One:

A escalada esportiva fará sua estreia olímpica em Tóquio 2021 e contará com três disciplinas: velocidade, dificuldade e bouldering. Na disputa de velocidade, dois atletas percorrem uma rota fixa numa parede de 15 metros um contra o outro. No bouldering, os escaladores percorrem um número de rotas fixas em uma parede de 4m em um tempo especificado. Na dificuldade, os atletas tentam subir o mais alto possível em uma parede com mais de 15 metros de altura dentro de um tempo fixo. Nos Jogos Olímpicos, cada escalador competirá em todas as três disciplinas, sendo as classificações finais determinadas pelos resultados combinados.

Thais Makino em ação. Foto: Kauhan Teixeira

A prática de subir montanhas teve origem a milhares de anos, com pinturas que retratam a modalidade datadas de 400 A.C., mas o esporte como o conhecemos só surgiu na segunda metade do século XIX e teve as primeiras competições indoor nos anos 80. A escalada como prática esportiva não tem uma origem definida, porque registros apontam a grupos de escaladores em regiões montanhosas na Grã-Bretanha, Alemanha e Itália fazendo escaladas praticamente na mesma época. Já a primeira competição de escalada esportiva em rocha natural foi realizada na Itália em 1985. Um ano depois, em Lyon, na França, seria disputada a primeira competição indoor.

ASSISTAM AO VÍDEO NO PLAYER ABAIXO:

Band Esporte Clube – Conheça a escalada, o novo esporte olímpico:

Com as mudanças que o COI vem implementando nos últimos anos, cada sede dos Jogos Olímpicos pode acrescentar até cinco modalidades em seu programa, a partir da Olimpíada de Tóquio. A organização de Paris-2024 optou por apenas quatro modalidades, deixando de fora caratê, beisebol/softball e parkour, sugestão que causou polêmica nos últimos meses.

Como caratê e beisebol/softball estarão em Tóquio, no próximo ano, a Olimpíada de Paris terá uma redução de eventos e atletas em disputa. Serão 329 eventos, dez a menos que os Jogos de Tóquio, e 10.500 competidores, contra pouco mais de 11 mil que estarão na capital japonesa.

“Com esta programa, estamos tornando os Jogos de Paris-2024 mais adequados ao mundo pós-coronavírus. Além disso, estamos reduzindo os custos e a complexidade para sediar uma Olimpíada. Temos também um forte foco na juventude”, disse o presidente do COI, Thomas Bach.

Com o número de 10.500 atletas em Paris-2024, o COI alcançará marca idêntica de esportistas masculinos e femininos. Pela primeira vez na história das Olimpíadas, a divisão por gênero ficará em 50% contra 50%.

Reportagem: Edson “Adrena” Andrade (Fonte: COI)

Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72