Bravíssima Private Residense apresenta Itajaí Open de Surf 2021 – Começou o Circuito Catarinense.

Publicado por AdrenaNews 0

Com a vitória no Itajaí Open de Surf, apresentado pelo Bravíssima Private Residense, Derek Adriano larga na frente nos Circuitos Catarinense e da Associação de Surf Praias de Itajaí.

Derek Adriano em ação. Foto: The Cave

O campeonato reuniu 80 surfistas na praia Brava, em Itajaí, e contou com a presença de atletas dos três estados da região sul do país. O Itajaí Open ainda terá mais duas etapas, uma em abril e a última em setembro. Surfistas encontraram a praia Brava com boas ondas e um dia ensolarado.

Murilo Brant em ação. Foto: The Cave

A competição homologada pela Federação Catarinense de Surf – Fecasurf teve status de 2.000 pontos para o ranking do Campeonato Catarinense Amador. Todos os atletas receberam máscaras e tinham à sua disposição álcool gel. Seguindo o protocolo contra a covid 19.

A categoria Open, que possui o nível mais alto da competição, foi marcada pelo equilíbrio. Os surfistas mostraram muita garra durante toda a competição. O atual campeão Jonathan Busetti vinha com tudo e parecia que iria faturar a primeira etapa. Mas na segunda semifinal, Busetti foi eliminado por Derek Adriano e Pedro Nogueira. Na final Derek Adriano não deu chance para seus adversários e faturou mil reais de premiação, uma prancha da Edge Surf Boards, vale compra de R$ 500,00 na Santa Costa mais a premiação da Banana Wax e Bio Extratus Cosméticos Naturais.

Pódio Open. Foto: The Cave

Na Local, Jonathan Busetti não deu chance para seus adversários. A sua melhor nota 7,67, foi maior que a somatória de todos os seus oponentes. Em segundo lugar terminou Jhony Bernardi, Dickson Queiroz em terceiro e Ricardo Tavares ficou na quarta colocação. Quem também marcou presença na categoria Local foi o top model internacional e cria da Brava, Marlon Teixeira, que passou duas betarias. Como campeão Jonathan levou R$600,00, prancha Edge Surf Boards, vale compras da Santa Costa de R$500,00 e mais kit da BananWax e Bio Extratus Cosméticos Naturais.

Pódio Local. Foto: The Cave

Já na categoria Feminina, teve a disputa mais acirrada do dia. Gabriely Vasque e Yasmin Dias brigam pelo título onda a onda. Mas no final da bateria, Vasque se deu melhor por apenas 0,4 pontos e largou na frente no ranking Catarinense. Em terceiro terminou Cintia Cardoso seguida da atleta local Joana Machado. Pela vitória Gabriely levou pra casa R $400,00, vale compra de R $500,00 da Santa Costa e mais kit Banana Wax e Bio Extratus Cosméticos Naturais.

Pódio Feminino. Foto: The Cave

A categoria Júnior teve como campeão Murilo Brant. O surfista de Barra Velha largou na frente com uma nota 5,57, mas foi ultrapassado por Patrick Plachi, que em duas ondas somou 9,77. Faltando pouco mais de cinco minutos para o término da bateria, Murilo pegou uma onda e com uma série de manobras tirou 6,33 e virou a bateria. Patrick não conseguiu a onda para mudar o resultado da bateria e ficou em segundo. Na terceira e quarta colocação ficaram Luã Silveira e Lucas Ramon. Com o título Murilo levou pra casa R $400,00, vale compras Santa Costa de R $350,00 e kit Banana Wax e Bio Extratus Cosméticos Naturais.

Pódio Junior. Foto: The Cave

Na categoria Petiz, o futuro do surf nacional. Os pequenos surfistas deram um show. O campeão Cauã Deminski foi o grande destaque da categoria. O garotinho de apenas 9 anos teve a maior nota do evento. Na sua primeira bateria, o garoto do Farol de Santa Marta tirou 8,33 em uma esquerda que tinha quase o triplo do seu tamanho. Na final, ele manteve o ritmo e somou 13,34 pontos, não dando chances para seus adversários. Matheus Amaral terminou em segundo. Nalu Deminski, irmão do Cauã terminou em terceiro, Keoni Truz em quarto e a pequena Maya da Silva de apenas 5 anos em quinto. Maya, que entrou de colete e com seu pai Leandro Felipe da Silva contou que sua melhor onda foi a primeira porque ela fez um bom drop.

Pódio Petit. Foto: The Cave

O top model internacional e cria da praia Brava, Marlon Teixeira correu a categoria Local do Itajaí Open de Surf. Marlon mora na praia Brava e por conta da pandemia pode curtir seu quintal como nunca. “Quintal de casa é sempre o quintal de casa. Não estava pensando em competir, mas fui convidado pelo Alexandre (Monteiro – Marketing da ASPI) que me ensinou a surfar. Foi muito bom e ainda passei minhas baterias”, ressaltou.

Marlon disse também que competir com o seu amigo de infância Jonatahan Busetti foi muito bom. “Competíamos muito quando éramos moleques. E vencer ele na minha primeira bateria foi muito especial”, disse. O modelo está com passagem marcada para a Austrália para poder voltar a trabalhar e rever sua filha. “Dia 20 de janeiro abre para tirar os vistos de trabalho na Austrália. Pretendo ir para lá e continuar com o meu trabalho”.

Início de uma boa parceria

Quem também marcou presença no Itajaí Open de Surf foi o senhor José Carlos Trossini, presidente da PB Empreendimentos Imobiliários que acreditou no projeto da ASPI. O que chamou a atenção do investidor foi o planejamento que contempla 34 eventos voltados para o desenvolvimento do surf, a preservação do meio ambiente e o envolvimento com a comunidade que a associação tem em Itajaí. “Para nós é motivo de orgulho fazer parte do surf de Itajaí”, ressaltou o empresário que conhece a praia Brava há mais de 30 anos.

José Carlos Trossini presidente da PB Empreendimentos Imobiliários, seu filho e o presidente da ASPI Beto Mão na Borda Foto: The Cave

O patrocinador master da ASPI para 20201 lembrou da importância de proteger o meio ambiente e manter a praia Brava intocada. “O Bravíssima Private Residence está muito feliz de fazer parte desta família do surf. Esta parceria será de longo prazo”, afirmou.

Quem também marcou presença nas areias da praia Brava foi o ex-top da elite mundial do surf Wiggolly Dantas. O surfista profissional veio acompanhar seu cunhado, Patrick Plachi, que disputou a categoria Junior e terminou na segunda posição. Wiggolly participou da entrega de prêmios nas categorias Petiz e Junior.

Wiggolly Dantas e o ex-presidente da ASPI Juliano Secco. Foto Arquivo pessoal

O ex-top do WT falou que campeonatos como o Itajaí Open são muito importantes para o desenvolvimento do surf no país. “Vivemos o melhor momento do surf brasileiro com três campeões mundiais. Já que não podemos fazer grandes eventos que atraem muito público e estamos em uma época de pandemia. Eventos menores realizados pelas associações são muito importantes para o desenvolvimento do esporte no país”, disse.

Sobre a sua volta para a elite do surf mundial, Wiggolly falou que está focado e treinando muito. O surfista de Ubatuba se prepara para as competições no Marrocos e no Chile. “Era para eu ter conseguido a minha vaga no ano passado, mas com a pandemia ficou tudo parado. Meu objetivo é me classificar junto com meu irmão (Wesley Dantas) para corrermos juntos no mundial”, finalizou.

RESULTADOS:

CATEGORIA OPEN:

1- DEREK ADRIANO
2- RICARDO TAVARES
3- PEDRO NOGUEIRA
4- RONALDO ALVES

CATEGORIA SUB – 18:

1- MURILO BRAND
2- PATRICK PLACHI
3- LUÃ SILVEIRA
4- LUCAS CATAPAM – PR

CATEGORIA SUB – 10:

1- CAUÃ DEMSKI
2- MATHEUS AMARAL
3- NALU DEMSKI
4- KEONI TRUZ

CATEGORIA OPEN FEMININO:

1- GABRIELY VASQUES – PR
2- YASMIN DIAS
3- CINTIA CARDOSO
4- JOANNA MACHADO

CATEGORIA LOCAL:

1- JONATAN BUSETTI
2- JHONY BERNADI
3- DICKSON QUEIROZ
4- RICARDO TAVARES

O Itajaí Open de Surf, apresentado pelo Bravíssima Private Residense, contou com os apoios: Edge Surf Boards, Santa Costa, Banana Wax e Bio Extratus Cosméticos Naturais.

Reportagem: Rodrigo Sikorski

Edição: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72