Ballito Pro – Domingo decisivo sem brazucas na etapa africana do CS – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

Nas ondas de 3-5 pés em KwaZulu-Natal, pelo Ballito Pro apresentado pela O´Neill, os 03  brazucas que competiram neste sábado, foram eliminados e o domingo decisivo, será sem nossos representantes. Acessem ao link abaixo com o vídeo dos melhores momentos.

KwaZulu-Natal, South Africa. Foto: Alan van Gysen – World Surf League

ASSISTAM AO VÍDEO, CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Post Show Day 5: Ballito Pro apresentado pela O´Neill:

A primeira chamada para o domingo decisivo da terceira etapa do World Surf League (WSL) Challenger Series 2022, foi marcada para as 06h30 na África do Sul, 01h30 da madrugada no Brasil, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

O dia começou com o restante das baterias das oitavas de final femininas, onde Summer Macedo enfrentou a australiana Molly Picklum, pela terceira bateria do dia, porém Summer, não achou boas ondas e foi eliminada, terminando em nono lugar na etapa africana do WSL Challenger Series 2022.

Summer Macedo em ação. Foto: Alan van Gysen – World Surf League

Já a líder do ranking do CS, a americana Caitlin Simmers, foi o maior destaque desta fase, marcando a maior somatória (14,43) do dia e mais uma vez é uma das candidatas ao título da etapa.

Caitlin Simmers em ação. Foto: Alan van Gysen – World Surf League

As oitavas de final masculinas começaram com vitória brasileira do catarinense Alejo Muniz sobre o japonês Reo Inaba, por 10,16 a 8,70 pontos. Alejo achou até ondas melhores para mostrar seu surfe na abertura das quartas de final, porém acabou eliminado por uma pequena diferença de 13,40 a 13,10 pontos para o havaiano, Keanu Asing.

Alejo Muniz em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

Mateus Herdy começou o sábado dando um verdadeiro espetáculo, completando aéreos incríveis para fazer os recordes do dia. Ele derrotou o francês Timothe Bisso por uma larga vantagem de 17,24 a 11,43 pontos, com notas 9,07 e 8,17. Depois, Mateus enfrentou o amigo, Rio Waida, da Indonésia, que também estava usando os aéreos para derrotar seus adversários.

Mateus Herdy em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

O campeão da etapa passada do Challenger Series e vice-líder do ranking, Rio Waida aterrissou do melhor voo da bateria para ganhar 7,83. Mateus Herdy tentou a classificação até o último minuto, quando pegou uma direita e acertou o aéreo, seguido por uma manobra na junção. Ele precisava de 7,00 para vencer, mas recebeu 6,50 e Rio Waida avançou para as semifinais por 11,83 a 11,33 pontos.

Rio Waida em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

Além de Herdy e Muniz que terminaram em quinto lugar, mais um brasileiro estava classificado para competir nas oitavas de final, porém Michael Rodrigues nem competiu, porque contundiu o tornozelo, terminando na nona colocação. As eliminações do sábado marcaram a saída do Brasil da briga pelo título. Agora, a esperança de uma primeira vitória verde-amarela no WSL Challenger Series 2022, fica para a quarta etapa da temporada, o tradicional US Open of Surfing, que será realizado do dia 30 de julho a 7 de agosto em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos, após o CT de Jeffreys Bay na África do Sul.

Huntington Beach em ação. Foto: Sean Rowland – World Surf League

RESULTADOS DO SÁBADO NA ÁFRICA DO SUL:

OITAVAS DE FINAL FEMININA – 9.o lugar com 3.500 pontos:

Últimos resultados da sexta-feira:

1.a: Bronte Macaulay (AUS) 10,47 x 8,10 Paige Hareb (NZL)
2.a: Zoe McDougall (HAV) 11,17 x 8,50 Teresa Bonvalot (PRT)

Baterias que abriram o sábado:

3.a: Alyssa Spencer (EUA) 12,16 x 9,83 Vahine Fierro (FRA)
4.a: Macy Callaghan (AUS) 13,26 x 6,00 Dimity Stoyle (AUS)
5.a: Molly Picklum (AUS) 8,60 x 3,30 Summer Macedo (BRA)
6.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) 9,16 x 6,60 Tessa Thysen (FRA)
7.a: Caitlin Simmers (EUA) 14,43 x 12,33 Nikki Van Dijk (AUS)
8.a: Rachel Presti (ALE) 9,67 x 9,50 Sophie McCulloch (AUS)

QUARTAS DE FINAL MASCULINA – 5.o lugar com 5.000 pontos:

1.a: Keanu Asing (HAV) 13,40 x 13,10 Alejo Muniz (BRA)
2.a: Rio Waida (IDN) 11,83 x 11,33 Mateus Herdy (BRA)
3.a: Gatien Delahaye (FRA) 12,33 x 8,67 Jacob Willcox (AUS)
4.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 16,50 x 14,40 Frederico Morais (PRT)

OITAVAS DE FINAL MASCULINA – 9.o lugar com 3.500 pontos:

1.a: Alejo Muniz (BRA) 10,16 x 8,70 Reo Inaba (JPN)
2.a: Keanu Asing (HAV) 11,90 x 11,44 Taichi Wakita (JPN)
3.a: Rio Waida (IDN) 12,93 x 10,40 Luke Thompson (AFR)
4.a: Mateus Herdy (BRA) 17,24 x 11,43 Timothe Bisso (FRA)
5.a: Gatien Delahaye (FRA) 10,17 x 9,83 Eithan Osborne (EUA)
6.a: Jacob Willcox (AUS) x w.o Michael Rodrigues (BRA)
7.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 12,37 x 8,50 Liam O´Brien (AUS)
8.a: Frederico Morais (PRT) 10,70 x 6,83 Mikey McDonagh (AUS)

PRÓXIMAS BATERIAS DO BALLITO PRO NA ÁFRICA DO SUL:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.000 pontos:

1.a: Bronte Macaulay (AUS) x Zoe McDougall (HAV)
2.a: Macy Callaghan (AUS) x Alyssa Spencer (EUA)
3.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) x Molly Picklum (AUS)
4.a: Caitlin Simmers (EUA) x Rachel Presti (ALE)

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos:

1.a: Rio Waida (IDN) x Keanu Asing (HAV)
2.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Gatien Delahaye (FRA)

Covid-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o www.worldsurfleague.com

A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com

O Ballito Pro apresentado pela O´Neill é apoiado por O’Neill, KwaDukuza Municipality, Surfing South Africa, People’s Weather, SMG Rocks, Monster Energy, North Coast Courier, Coco de Mer e Fiamma Grill.

Reportagem: João Carvalho – World Surf League (WSL)

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas