Ballito Pro – 03 brazucas classificados para as oitavas de final da etapa africana do CS – Assistam ao vídeo!

Publicado por AdrenaNews 0

Quatro brazucas classificados para as oitavas de final do Ballito Pro apresentado pela O`Neill em KwaZulu-Natal, na África do Sul. Acessem ao link abaixo com o vídeo dos melhores momentos.

KwaZulu-Natal, South Africa. Foto: Alan van Gysen – World Surf League

ASSISTAM AO VÍDEO, CLICANDO NO PLAYER ABAIXO:

Post Show Day 4: Ballito Pro apresentado pela O´Neill:

Michael Rodrigues, Mateus Herdy, Alejo Muniz e Summer Macedo, passaram suas baterias nas ondas de 3-4 pés da sexta-feira em Ballito e seguem na disputa dos títulos da terceira etapa do WSL Challenger Series 2022. A primeira chamada do sábado foi marcada para as 06h30 na África do Sul, 01h30 da madrugada no Brasil, e o evento está sendo transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

Mateus Herdy em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

O dia vai começar com a continuação das oitavas de final femininas. As duas primeiras baterias fecharam a sexta-feira e a brasileira Summer Macedo está na quinta, com a australiana Molly Picklum. Então, será a terceira a entrar no mar no sábado.

Summer Macedo em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

Depois, Alejo Muniz abre as oitavas de final masculinas com o japonês Reo Inaba. Na quarta bateria, Mateus Herdy enfrenta o francês Timothee Bisso e Michael Rodrigues disputa a sexta vaga para as quartas de final com o australiano Jacob Willcox.

Michael Rodrigues em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

Michael Rodrigues foi o último a se classificar e é quem está mais próximo do grupo dos 10 que serão indicados para a elite do WSL Championship Tour de 2023. Em uma bateria muito fraca de ondas, o norte-americano Eithan Osborne pegou as melhores para vencer por 14,33 pontos. Michael só conseguiu a segunda vaga nas duas últimas que surfou e valeram 4,07 e 3,37. Com estas notas, ele superou o peruano Lucca Mesinas por 7,44 a 7,06 pontos.

Lucca Mesinas em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

A terceira fase do Ballito Pro apresentado por O´Neill tinha começado com vitória brasileira de Alejo Muniz sobre o japonês Taichi Wakita e o sul-africano Slade Prestwich, que foi eliminado em 17.o lugar.

Alejo Muniz em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

Deivid Silva terminou em terceiro lugar no confronto seguinte, que classificou o havaiano Keanu Asing e o oponente do Alejo nas oitavas de final, Reo Inaba. Depois, Mateus Herdy e Rio Waida usaram os aéreos para despachar o americano John Mel, com o brasileiro vencendo a quarta bateria por 13,80 a 13,27 pontos do surfista da Indonésia, que ocupa a vice-liderança no ranking do WSL Challenger Series.

Deivid Silva em ação. Foto: Pierre Tostee – World Surf League

“Com todo respeito ao John Mel, mas eu e o Rio (Waida) somos grandes amigos. Nós ficamos olhando um pro outro, como se fosse só nós na bateria e foi muito divertido”, disse Mateus Herdy. “Ele (Rio Waida) me inspira bastante, já tem uma vitória no CS (Challenger Series na Austrália), mas agora é a minha vez (risos). Estou fora de casa desde o início do ano, trabalhando bastante e tento honrar cada convite (wildcard) que recebo. Meu surfe se encaixa no tour, então quero fazer meu 100% o tempo todo”.

INÍCIO PELO FEMININO: Antes dos homens competirem, as mulheres abriram a sexta-feira disputando classificação para as oitavas de final do Ballito Pro apresentado pela O´Neill. A segunda fase começou com duas eliminações de surfistas da América do Sul, ambas ficando em terceiro lugar nas baterias. Na primeira, a peruana Daniella Rosas foi barrada pela australiana Bronte Macaulay e pela portuguesa Teresa Bonvalot.

Bronte Macaulay em ação. Foto: Nicolette Tostee – World Surf League

Na segunda, a jovem brasileira Laura Raupp perdeu para a havaiana Zoe McDougall e a neozelandesa Paige Hareb, terminando em terceiro lugar a frente da australiana, Keely Andrew, somando dois mil pontos no ranking do CS.

Laura Rapp em ação. Foto: Nicolette Tostee – World Surf League

As outras duas sul-americanas competiram juntas na sexta bateria e a ex-top do CT 2022, Bettylou Sakura Johnson, fez uma das melhores apresentações do dia. A havaiana somou notas 7,83 e 6,83 para vencer por 14,66 pontos. A brasileira Summer Macedo também surfou bem, para passar para as oitavas de final em segundo lugar, com notas 5,93 e 5,50. Em terceiro ficou a norte-americana Sawyer Lindblad e em último a peruana Arena Rodriguez Vargas.

Bettylou Sakura Johnson em ação. Foto: Alan van Gysen – World Surf League

PRÓXIMAS BATERIAS DO BALLITO PRO NA ÁFRICA DO SUL:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.500 pontos:
——-últimos resultados da sexta-feira:

1.a: Bronte Macaulay (AUS) 10,47 x 8,10 Paige Hareb (NZL)
2.a: Zoe McDougall (HAV) 11,17 x 8,50 Teresa Bonvalot (PRT)

Baterias que vão abrir o sábado:

3.a: Alyssa Spencer (EUA) x Vahine Fierro (FRA)
4.a: Macy Callaghan (AUS) x Dimity Stoyle (AUS)
5.a: Molly Picklum (AUS) x Summer Macedo (BRA)
6.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) x Tessa Thysen (FRA)
7.a: Caitlin Simmers (EUA) x Nikki Van Dijk (AUS)
8.a: Sophie McCulloch (AUS) x Rachel Presti (ALE)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.500 pontos:

1.a: Alejo Muniz (BRA) x Reo Inaba (JPN)
2.a: Keanu Asing (HAV) x Taichi Wakita (JPN)
3.a: Rio Waida (IDN) x Luke Thompson (AFR)
4.a: Mateus Herdy (BRA) x Timothe Bisso (FRA)
5.a: Gatien Delahaye (FRA) x Eithan Osborne (EUA)
6.a: Michael Rodrigues (BRA) x Jacob Willcox (AUS)
7.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Liam O´Brien (AUS)
8.a: Frederico Morais (PRT) x Mikey McDonagh (AUS)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA NA ÁFRICA DO SUL:

TERCEIRA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=17.o lugar (2.000 pts):

1.a: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Taichi Wakita (JPN), 3-Slade Prestwich (AFR)
2.a: 1-Keanu Asing (HAV), 2-Reo Inaba (JPN), 3-Deivid Silva (BRA)
3.a: 1-Luke Thompson (AFR), 2-Timothe Bisso (FRA), 3-Vasco Ribeiro (PRT)
4.a: 1-Mateus Herdy (BRA), 2-Rio Waida (IDN), 3-John Mel (EUA)
5.a: 1-Eithan Osborne (EUA), 2-Michael Rodrigues (BRA), 3-Lucca Mesinas (PER)
6.a: 1-Jacob Willcox (AUS), 2-Gatien Delahaye (FRA), 3-Eli Hanneman (HAV)
7.a: 1-Leonardo Fioravanti (ITA), 2-Mikey McDonagh (AUS), 3-Dylan Moffat (AUS)
8.a: 1-Frederico Morais (PRT), 2-Liam O´Brien (AUS), 3-Cody Young (HAV)

SEGUNDA FASE – 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=17.o lugar (2.000 pts) e 4.a=25.o lugar (1.800 pts):

1.a: 1-Bronte Macaulay (AUS), 2-Teresa Bonvalot (PRT), 3-Daniella Rosas (PER), 4-Keala Tomoda-Bannert (HAV)
2.a: 1-Zoe McDougall (HAV), 2-Paige Hareb (NZL), 3-Laura Raupp (BRA), 4-Keely Andrew (AUS)
3.a: 1-Vahine Fierro (FRA), 2-Dimity Stoyle (AUS), 3-Pauline Ado (FRA), 4-Rina Matsunaga (JPN)
4.a: 1-Macy Callaghan (AUS), 2-Alyssa Spencer (EUA), 3-Zoe Steyn (AFR), 4-Sarah Baum (AFR)
5.a: 1-Molly Picklum (AUS), 2-Tessa Thyssen (FRA), 3-Brianna Cope (HAV), 4-Francisca Veselko (PRT)
6.a: 1-Bettylou Sakura Johnson (HAV), 2-Summer Macedo (BRA), 3-Sawyer Lindblad (EUA), 4-Arena Rodriguez Vargas (PER)
7.a: 1-Caitlin Simmers (EUA), 2-Sophie McCulloch (AUS), 3-Amuro Tsuzuki (JPN), 4-Luana Silva (HAV)
8.a: 1-Rachel Presti (ALE), 2-Nikki Van Dijk (AUS), 3-Kirra Pinkerton (EUA), 4-Mahina Maeda (JPN)

Covid-19: A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o www.worldsurfleague.com A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com

O Ballito Pro apresentado pela O´Neill é apoiado por O’Neill, KwaDukuza Municipality, Surfing South Africa, People’s Weather, SMG Rocks, Monster Energy, North Coast Courier, Coco de Mer e Fiamma Grill.

Reportagem: João Carvalho – World Surf League (WSL)

Edição Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas