A WSL divulgou, calendário integrado para o Championship Tour e Challenger Series de 2022.

Publicado por AdrenaNews 0

A World Surf League anunciou os calendários do WSL Championship Tour 2022 e do WSL Challenger Series 2022, totalmente integrados.

Pipeline em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

Será inaugurada uma nova estrutura dos circuitos com três níveis de competição. Pela primeira vez, todas as dez etapas do CT e as oito do CS marcadas em 19 praias do mundo, serão disputadas por homens e mulheres. Outra novidade é que haverá um corte na elite dos top-34 e das top-17 no meio da temporada, já definindo os classificados para o CT de 2023.

Sunset em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

A etapa brasileira, o Oi Rio Pro em Saquarema, será a oitava do ano e já acontecerá com o novo formato de 24 participantes na categoria masculina e 12 na feminina. A nova estrutura dos circuitos da WSL que será implantada em 2022, busca enfatizar o descobrimento de novos talentos ao redor do mundo.

Italo Ferreira em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

Serão três níveis de competição, começando pelas etapas do WSL Qualifying Series 2022, promovidas pelos sete escritórios regionais da World Surf League, que indicarão os classificados para o WSL Challenger Series, novo campo de batalha pelas vagas para a elite que disputa os títulos mundiais no WSL Championship Tour.

Fernando de Noronha em ação. Foto: Daniel Smorigo – WSL

O WSL Championship Tour 2022 terá dez etapas em sete países. Começa em janeiro no maior palco do esporte, Pipeline, no Havaí, depois passa por Portugal, Austrália, Indonésia, Estados Unidos, Brasil, África do Sul, terminando em agosto nos tubos pesados de Teahupo´o, no Taiti. As dez etapas vão determinar os top-5 e as top-5 que decidirão os títulos mundiais da temporada em setembro no Rip Curl WSL Finals, cujo local ainda será anunciado.

Teahupo´o em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

“A WSL existe para celebrar o melhor surfe do mundo e a estrutura das competições é o motor central do nosso negócio”, disse o CEO da World Surf League, Erik Logan. “Nós estamos felizes e animados em anunciar aos nossos surfistas, com a colaboração dos nossos patrocinadores, uma nova estrutura para o esporte e um dos calendários mais empolgantes da história do WSL Championship Tour, com eventos como o Billabong Pro Pipeline, o MEO Portugal Pro, o Rip Curl Pro Bells Beach, o Quiksilver Pro G-Land, o Oi Rio Pro no Brasil, o Margaret River Pro e outros”.

Calendário do World Surf League Championship Tour 2022:

1.a etapa: Jan 29-10 Fev em Pipeline, Havaí
2.a: Fev 11-23 em Sunset Beach, Havaí
3.a: Mar 03-13 em Peniche, Portugal
4.a: Abr 10-20 em Bells Beach, Austrália
5.a: Abr 24-04 Mai em Margaret River, Austrália

Corte no meio da temporada com as etapas tendo o número de participantes reduzido de 36 para 24 homens e de 18 para 12 mulheres

6.a: Mai 28-06 Jun em G-Land, Indonésia
7.a: Jun 15-22 em Trestles, Estados Unidos
8.a: Jun 27-04 Jul em Saquarema, Brasil
9.a: Jul 09-18 em Jeffrey´s Bay, África do Sul
10.a: Ago 11-21 em Teahupo´o, Taiti

Os 5 primeiros colocados no ranking masculino e as 5 melhores do feminino vão decidir os títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals, de 7 a 18 de setembro em local a ser anunciado

“O calendário combinado de 2022, com todas as etapas sendo disputadas por homens e mulheres, começa em Pipeline e termina no Taiti, adicionando locais incríveis como G-Land e Jeffrey´s Bay”, destaca Erik Logan. “A etapa no Surf Ranch está no calendário do CT desde 2018 e vamos tirar um ano de folga em 2022. Continuaremos trabalhando na inovação da melhor tecnologia de ondas artificiais do mundo e estamos ansiosos para retornar com nosso sistema de ondas no calendário de 2023 e dos próximos anos”.

Gabriel Medina em ação. Foto: Pierre Tostee – WSL

CORTE NA ELITE – As etapas do WSL Championship Tour 2022 vão começar com o mesmo número de 36 competidores na categoria masculina e 18 na feminina dos últimos anos. Mas, somente até a quinta das dez etapas, a de Margaret River, na Austrália, quando haverá um corte na elite, já definindo os surfistas que serão mantidos na elite do CT para 2023, os 22 primeiros colocados no ranking masculino e as 10 melhores do feminino.

Margaret River em ação. Foto: Kelly Cestari – WSL

Depois, o formato para as cinco últimas etapas muda de 36 participantes para 24 e de 18 para 12, incluindo dois convidados em cada categoria. Apenas estes 22 e as 10 surfistas disputarão as vagas nos grupos dos top-5 e das top-5, que vão decidir os títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals 2022. Os surfistas que ficarem abaixo da linha de corte no meio da temporada, 12 da elite masculina e 7 da feminina, terão que buscar se manter no CT pelo WSL Challenger Series 2022, que começa logo após a etapa de Margaret River.

Filipe Toledo em ação. Foto: Damien Poullenot – WSL

“Pela primeira vez, em 2022 o Championship Tour e o Challenger Series terão calendários com todas as etapas combinadas, para homens e mulheres competirem nos mesmos eventos”, disse Jessi Miley-Dyer, vice-presidente de Circuitos e Competições da WSL. “Temos trabalhado bastante com nossos parceiros para apresentar calendários que irão impulsionar o melhor surfe do mundo, com ótimos locais e criando a melhor plataforma de eventos possível. Recebemos um feedback impressionante dos nossos surfistas e parceiros no desenvolvimento do WSL Challenger Series com oito eventos, incluindo os tradicionais Vans US Open of Surfing e o Quiksilver e Roxy Pro France. Então, não poderíamos estar mais ansiosos por 2022”.

Tatiana Weston-Webb em ação. Foto: Laurent Masurel – WSL

“É incrível fazer parte de um momento tão fantástico para o surfe feminino”, disse a representante das surfistas da WSL, Tatiana Weston-Webb. “2022 será lembrado como o primeiro ano que teremos um circuito completo combinado, para homens e mulheres competirem juntos em todos os eventos. Estou muito animada para competir nas melhores ondas do mundo e fazer história com todos os surfistas que estarão no CT em 2022”.

“Com o novo corte no meio da temporada, todos os eventos serão valiosos”, acredita o representante dos surfistas da WSL, Conner Coffin. “O fato de poder perder seu lugar na elite depois da quinta etapa do ano, realmente aumentará a competividade e vai instigar todos a surfarem muito em cada bateria”.

WSL CHALLENGER SERIES – O WSL Challenger Series será a segunda das três divisões para os melhores surfistas competirem, com etapas para 96 participantes na categoria masculina e 64 na feminina, incluindo os tops da elite atual do CT e os classificados pelos rankings regionais das etapas do WSL Qualifying Series promovidas pelos sete escritórios da World Surf League no mundo. Os rankings do WSL Challenger Series vão computar os cinco melhores resultados conquistados nas oito etapas, com os dez melhores do ranking masculino e as top-5 do feminino se classificando para disputar o WSL Championship Tour de 2023.

Huntington Beach em ação. Foto: Sean Rowland – WSL

O WSL Challenger Series 2022 será disputado em seis países, começando em maio na Austrália, passando pela África do Sul, Estados Unidos, Portugal, França, Nova Zelândia, terminando em Haleiwa Beach, em novembro no Havaí. A praia de Snapper Rocks, na Gold Coast, que foi o palco de abertura do WSL Championship Tour desde 1998, agora sediará a primeira etapa do WSL Challenger Series no mês de maio.

Calendário do WSL Challenger Series de 2022:

1.a: Mai 07-15 na Snapper Rocks, Gold Coast, Austrália
2.a: Mai 17-24 em Manly Beach, Sidney, Austrália
3.a: Jul 20-27 em Ballito, KwaZulu-Natal, África do Sul
4.a: Jul 30-07 em Huntington Beach, Califórnia, Estados Unidos
5.a: Out 01-09 em Ribeira D´Ilhas, Ericeira, Portugal
6.a: Out 15-23 em Hossegor, Landes, França
7.a: Nov 05-13 em Piha, Auckland, Nova Zelândia
8.a: Nov 26-07 Dez em Haleiwa Beach, Havaí, Estados Unidos

WSL QUALIFYING SERIES REGIONAL – A base fundamental da nova estrutura com três níveis de competição, será o WSL Qualifying Series Regional. Este será o principal caminho para se chegar ao WSL Challenger Series, proporcionando que os jovens surfistas e novos talentos se desenvolvam perto de casa, antes de encarar as viagens internacionais para competir em outros continentes.

João Chianca em ação. Foto: Keoki Saguibo – WSL

“O Qualifying Series Regional oferecerá mais oportunidades para celebrar as estrelas locais, reduzindo a pressão econômica para os surfistas, nesta luta pela classificação para o Challenger Series e, por último, para o CT”, disse o CEO da World Surf League, Erik Logan.

As sete regiões da World Surf League estão assim divididas: América do Sul, América do Norte, Havaí, Austrália, Europa, África e Ásia. Os rankings das etapas do WSL Qualifying Series promovidas por cada um dos sete escritórios, irão classificar um determinado número de surfistas das categorias masculina e feminina, para disputar no WSL Challenger Series as vagas para a elite dos melhores do mundo que participam do CT.

Protocolos COVID-19 – Todas as etapas e datas do WSL Championship Tour e do WSL Challenger Series agendadas para 2022, estão sujeitas a alterações devido às possíveis restrições relacionadas ao COVID-19, incluindo para as viagens internacionais.

A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que possui um robusto protocolo de procedimentos para serem cumpridos em todos os eventos do Circuito Mundial.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Mais informações sobre o surfe mundial no www.worldsurfleague.com e notícias em português no www.wsllatinamerica.com 

Reportagem: João Carvalho – WSL Latin America

Edição: Textos e Imagens: Edson “Adrena” Andrade

Tenha lindas artes exclusivas
mag72